back to top

13 coisas que o Pelé pensa sobre a Copa do Mundo e o futuro do futebol

"Todo mundo está dizendo 'ah, o Neymar vai fazer o Brasil ganhar a Copa do Mundo', mas eu acho que essa é uma responsabilidade muito pesada para ele."

publicado

São Paulo — Pelé é o maior jogador de futebol que o mundo já viu. Respeitado globalmente como o Papa, talvez; uma divindade inquestionável do esporte mais amado do mundo. Aos 73 anos, é embaixador da Volkswagen do Brasil --a maior montadora do país-- e cumpre vários outros acordos de patrocínio que o deixam mais ocupado do que Kanye West. Com a febre da Copa do Mundo a todo vapor, o BuzzFeed falou com o Rei do Futebol em um evento de imprensa realizado no estádio do Santos.

Quem você acha que é o melhor jogador do mundo hoje?

LLUIS GENE / Getty

Pelé: É difícil escolher, mas acho que os dois melhores são Cristiano Ronaldo, sem dúvida, e Messi. Quando Messi joga no Barcelona, ​​ele é um jogador; quando joga na Argentina, é outro. Mas acho que ele é um dos melhores.

O que você acha do Neymar?

Buda Mendes / Getty

Pelé: O ano que o Neymar passou jogando na Europa foi ótimo para ele e para o Brasil. Mas esta é a primeira Copa do Mundo do Neymar. Eu não acho que se deve colocar toda a responsabilidade de vencer sobre ele. Todo mundo está dizendo "ah, o Neymar vai fazer o Brasil ganhar a Copa do Mundo", mas eu acho que essa é uma responsabilidade muito pesada para ele.

De todos os jogadores com quem você jogou, qual foi o melhor companheiro de time?

Popperfoto / Getty

Pelé: Eu tinha um monte de grandes companheiros de time, por isso que pude fazer tantos gols! No Santos, Coutinho. Na Seleção Brasileira, Garrincha. Quando Pelé e Garrincha jogaram juntos, em 15 anos, o Brasil nunca perdeu.

De que forma o futebol mudou da sua época até hoje?

Neil Leifer / Getty

Pelé: Eu acho que os meios de comunicação e a visibilidade tornaram o futebol de hoje mais importante e difícil do que era no meu tempo. Com o Santos, costumávamos ir à Europa para disputar cinco jogo ao longo de um mês ou dois, e depois voltar para a América do Sul e disputar cinco jogos aqui. Isso não acontece mais. A quantidade de dinheiro também é diferente hoje. Mas a única coisa que não mudou é que os bons jogadores são bons e os maus jogadores são ruins. O tempo não muda isso.

Alguma vez você sofreu racismo como jogador?

Popperfoto / Getty

Pelé: Sempre houve racismo no futebol. No meu tempo, alguns torcedores jogavam mangas, laranjas e bananas [nos jogadores], mas eu não prestava atenção neles. Quando comecei a jogar, eles diziam as mesmas [coisas], mas nós não nos importávamos.

Quais são as melhores seleções da Europa atualmente?

Pelé: Os melhores times são o da Espanha e o da Alemanha. A Espanha é muito organizada e eu gosto da maneira como a Alemanha joga, com mais controle de bola. Mas, claro, deve-se respeitar a Inglaterra e a Itália.

Você acha que os EUA conseguirão chegar ao topo do futebol um dia?

Jamie Squire / Getty

Pelé: As pessoas esquecem que na Copa do Mundo no Japão e na Coreia do Sul [em 2002], os EUA quase foram à final. Eles têm um time bom, mas hoje é difícil enfrentar qualquer equipe porque os jogadores sabem [dos pontos fortes e fracos dos outros jogadores, pois jogam juntos na Europa]. Isso equilibra as coisas.

Se a Seleção Brasileira de 1958 jogasse com a de 1970, qual ganharia?

Rolls Press/Popperfoto / Getty

Pelé: Em qual time você vai me colocar? (risos) Em 1958 havia mais jogadores individuais, todos os melhores jogadores. Em 1970, tínhamos um time mais organizado, que era muito mais forte que o de 1958. O de 1970 ganharia. Foi a melhor Seleção que o Brasil já teve.

O que vai acontecer se o Brasil não ganhar a Copa do Mundo?

Image courtesy of Volkswagen

Pelé: Eu sei como é isso. Tinha 9 anos e me aproximei do meu pai, que estava ouvindo o rádio, e seu amigo estava ao lado dele, chorando. Eu perguntei 'o que aconteceu?' Eles disseram que o Brasil havia perdido a Copa do Mundo [de 1950]. Houve um grande silêncio, tristeza. O Brasil foi muito bem, e ninguém esperava que fosse perder na final. Agora eu espero que o meu filho não me veja chorar.

O que você acha dos protestos no Brasil?

Imagem cortesia da Volkswagen

Pelé: Estávamos um pouco preocupados com as manifestações, mas o futebol sempre foi uma forma de promover o país. O Brasil perdeu uma grande oportunidade com os atrasos na construção dos estádios e com tudo o que aconteceu, mas os manifestantes têm que perceber que os jogadores e a Seleção não têm nada a ver com a corrupção. É preciso separar o esporte disso.

Esta será a primeira Copa do Mundo com a tecnologia de linha do gol. O que você acha dela?

Ulrich Baumgarten / Getty

Pelé: Eu estava com a FIFA e com o comitê quando votamos nessa experiência. No início, havia um chip na bola que enviava um sinal quando ela passava da linha do gol, mas os goleiros aprenderam a cobrir o chip. Foi uma boa ideia que não funcionou, então tiveram que mudá-la.

Nota do editor: A FIFA vai usar o GoalControl, sistema que emprega imagens 3D geradas a partir de múltiplas câmeras e envia um sinal imediato para os relógios usados ​​pelos árbitros quando a bola atravessa a linha do gol.

Quando você se deu conta de que se daria bem no futebol?

Hulton Archive / Getty

Pelé: Meu primeiro teste foi no Santos, quando eu tinha 16 anos. Quando eu cheguei, já estava confiante em mim mesmo. Nesse ano eu joguei contra Argentina, então adquiri um pouco de experiência (risos).

De todos os 1.283 gols que você marcou, há algum favorito ou melhor?

Globo / Getty

Pelé: É difícil dizer. Em 1958, o meu primeiro objetivo era levar o Brasil à final. Vencemos por 1 a 0, e esse era um objetivo muito importante. Além disso, o meu milésimo gol, na frente de todo o mundo no Maracanã. Algumas pessoas dizem: "ah, mas foi em uma cobrança de pênalti". Mas era o meu milésimo gol! E, pela primeira vez na minha vida, quando eu coloquei a bola no chão para chutar, eu estava tremendo. Olhei em volta no Maracanã e disse "meu Deus, se eu perder essa!"

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss