back to top

11 coisas que as pessoas que vivem com rosácea querem que você saiba

Não são apenas as bochechas rosadas.

publicado

Sou a Lex Gillies. Sou uma blogueira de beleza e tenho rosácea.

Mas o que diabos *é* rosácea? Deixe-me explicar. Falei com o Dr. Anjali Mahto, dermatologista e porta-voz da British Skin Foundation, para oferecer a minha experiência em primeira mão e também o ponto de vista de um profissional sobre a doença e como controlá-la.
Lex Gillies

Mas o que diabos *é* rosácea? Deixe-me explicar. Falei com o Dr. Anjali Mahto, dermatologista e porta-voz da British Skin Foundation, para oferecer a minha experiência em primeira mão e também o ponto de vista de um profissional sobre a doença e como controlá-la.

1. Certas pessoas têm uma tendência maior a ter rosácea.

Instagram: @thebeautygeekette

A rosácea apareceu em mim pela primeira vez aos 21 anos. Sempre tive bochechas vermelhas e ruborizava facilmente, mas com o passar do tempo a vermelhidão tornou-se mais severa, especialmente em certas ocasiões: quando eu bebia álcool, após me exercitar e quando ficava muito estressada. Minha pele ficava extremamente quente e com coceira, quase como naquelas alergias causadas pelo calor, e levava horas ou às vezes dias para aliviar.

Aparentemente um princípio de rosácea tão precoce é raro, como o Dr. Anjalo Mahto me disse: ela "afeta mais frequentemente indivíduos com idades entre 30 a 60 anos. Geralmente é mais comum em mulheres e se apresenta como uma vermelhidão facial, que costuma ser intermitente no início mas que pode tornar-se permanente com o tempo. A rosácea tende a afetar pessoas com pele clara, olhos azuis ou origem celta".

2. Ninguém sabe ao certo qual a causa.

Instagram: @ausskinfacebody

Há muitas teorias: vasos sanguíneos mais fracos que dilatam mais facilmente do que deveriam; causas genéticas; ácaros minúsculos vivendo no seu rosto *medo*. Mas, atualmente, ninguém tem certeza sobre a causa da rosácea. Você pode ler mais sobre a pesquisa atual que investiga possíveis causas AQUI.

Apesar da maioria das pessoas nunca ter ouvido falar na rosácea, ela é bem comum. Um porta-voz da British Skin Foundation explicou que "o NHS (serviço público de saúde britânico) estima que aproximadamente 1 em cada 600 pessoas são diagnosticadas com rosácea todos os anos no Reino Unido".

3. Atualmente, não há cura.

Instagram: @talontedlex

Receber o diagnóstico de uma doença dermatológica no rosto já é assustador, mas descobrir que não há cura torna tudo bem mais difícil de lidar. Felizmente há formas de controlar a doença e limitar seus efeitos.

Tenho várias dicas no meu blog, que você pode encontrar AQUI, incluindo aconselhamento sobre mudanças que você pode fazer nos seus cuidados com a pele do rosto, no seu estilo de vida, na sua dieta e na sua mentalidade que realmente ajudam. Algumas são mais difíceis que as outras (cortar o álcool e os laticínios foi bem traumático...) mas os resultados tornam essas escolhas bem mais fáceis de lidar.

4. Não é a mesma coisa que acne.

Instagram: @talontedlex

Apesar das pústulas se parecerem com acne, as causas, e consequentemente o tratamento, são completamente diferentes. O Dr. Anjali Mahto explicou a diferença: "Os sintomas da rosácea incluem sensibilidade na pele do rosto, vermelhidão ou uma sensação de calor e pequenas brotoejas conhecidas como pápulas. Algumas pessoas podem desenvolver vasos sanguíneos dilatados proeminentes, no que se conhece por telangiectasia. Outros problemas em potencial incluem inchaço facial, irritação ocular, aumento e vermelhidão no nariz (rinofima). [Enquanto] a acne é uma doença de pele comum, que é uma combinação de comedões (cravos) e pústulas inflamadas (espinhas) e geralmente começa durante a puberdade".

Os tratamentos para a acne são geralmente agressivos demais para a pele sensível de quem tem rosácea, portanto vale a pena saber a diferença.

5. Não é uma condição "bonita".

Se eu ganhasse uma libra para cada vez que alguém dissesse "mas bochechas rosadinhas são tão fofas" ou usasse a expressão "brilho saudável" ao se referir à rosácea, eu teria dinheiro suficiente para um transplante de rosto. Ficar ruborizada é algo inofensivo, mas um rosto que fica vermelhão, dolorido e cheio de coceira não é nada bom.
Katrin Davis/ BuzzFeed

Se eu ganhasse uma libra para cada vez que alguém dissesse "mas bochechas rosadinhas são tão fofas" ou usasse a expressão "brilho saudável" ao se referir à rosácea, eu teria dinheiro suficiente para um transplante de rosto. Ficar ruborizada é algo inofensivo, mas um rosto que fica vermelhão, dolorido e cheio de coceira não é nada bom.

6. Ela é afetada por muitas coisas, tanto físicas como psicológicas.

Instagram: @talontedlex

Os gatilhos da rosácea variam de pessoa para pessoa e podem mudar com o tempo, à medida que a doença progride, mas os gatilhos mais comuns são: estresse, álcool, temperaturas extremas, bebidas quentes, comida apimentada e exercício. Você pode encontrar uma lista de gatilhos comuns AQUI, de uma pesquisa conduzida pela National Rosacea Society.

Eu tenho uma manha esperta para descobrir se algo vai piorar a minha rosácea: me pergunto se é algo divertido, e se for, geralmente a minha pele vai surtar. Champanhe? Ela odeia. Uma noite de verão agradável em uma cervejaria ao ar livre? Nem pensar. Um banho quente quando se está doente? O que diabos você estava pensando?

7. Mantenha um acompanhamento dos seus gatilhos.

instagram.com

A melhor coisa que eu fiz quando estava aprendendo a lidar com a minha rosácea foi manter um diário dos meus sintomas. Não precisa ser nada complicado, basta escrever uma descrição da crise e anotar quaisquer fatores que possam ter contribuído.

Alguns gatilhos são mais fáceis de evitar que outros. Por exemplo, eu não bebo mais vinho branco porque um gole só faz o meu rosto ficar roxo de um jeito que provavelmente é visível do espaço. Contudo, alguns gatilhos são impossíveis de evitar e precisam simplesmente ser aceitos. Claro que é mais fácil falar do que fazer: um médico uma vez me disse para simplesmente "evitar estresse" como se eu nunca tivesse pensado nisso. Puxa vida, pessoal, quem diria que para não ficar estressado basta evitar o estresse?!

8. O protetor solar é o seu novo melhor amigo.

Instagram: @larocheposay

Eu uso protetor solar fator 50 todos os dias antes de sair de casa, o que pode parecer um saco, mas pode acreditar em mim – a sua pele vai agradecer. Se não acreditar em mim, a British Skin Foundation também recomenda o uso de protetor solar: "É extremamente importante usar protetor solar diariamente para ajudar a controlar sua rosácea, já que a radiação UV é um dos gatilhos comuns. Idealmente, deve-se usar um protetor solar com fator 50 e que ofereça proteção ampla contra raios UVA e UVB".

9. As pessoas ainda são ignorantes quanto à aparência da rosácea.

É um fato triste, mas todo mundo julga pela aparência, mesmo que não perceba isso. Já ouvi muitos comentários dolorosos nos últimos 10 anos de gente que não entendia porque meu rosto tem a aparência que tem. Já ouvi comentários que as pessoas talvez não fariam a alguém com uma condição mais conhecida (por exemplo, acne ou eczema): todo verão alguém me diz "parece que alguém tomou sol demais no fim de semana!". Já me disseram "você ficou vermelha, por acaso está a fim dele?". Outros já questionaram minha competência no trabalho porque eu parecia "perturbada". Já me disseram que eu usava maquiagem demais. Moças em banheiros de bares já me olharam como se eu estivesse tendo um colapso nervoso por eu estar pressionando meu rosto fervendo contra os azulejos gelados em uma tentativa desesperada de refrescar o rosto. Ainda estou aprendendo a ignorar ou tentar educar as pessoas sobre seus comentários, mas tem ficado mais fácil.
imgur.com

É um fato triste, mas todo mundo julga pela aparência, mesmo que não perceba isso. Já ouvi muitos comentários dolorosos nos últimos 10 anos de gente que não entendia porque meu rosto tem a aparência que tem.

Já ouvi comentários que as pessoas talvez não fariam a alguém com uma condição mais conhecida (por exemplo, acne ou eczema): todo verão alguém me diz "parece que alguém tomou sol demais no fim de semana!". Já me disseram "você ficou vermelha, por acaso está a fim dele?". Outros já questionaram minha competência no trabalho porque eu parecia "perturbada". Já me disseram que eu usava maquiagem demais.

Moças em banheiros de bares já me olharam como se eu estivesse tendo um colapso nervoso por eu estar pressionando meu rosto fervendo contra os azulejos gelados em uma tentativa desesperada de refrescar o rosto. Ainda estou aprendendo a ignorar ou tentar educar as pessoas sobre seus comentários, mas tem ficado mais fácil.

10. Vai ter dias em que você não vai querer sair de casa.

Instagram: @ladyrosacea

Mesmo que eu tenha tido rosácea por mais de 10 anos, ela ainda tem a capacidade de me devastar. Alguns dias eu olho no espelho e só quero me esconder no meu apartamento. Qualquer condição que afeta o seu rosto está sujeita a ter um impacto em sua confiança, porque você não consegue escapar. Para a maioria das pessoas, é impossível prosseguir com suas vidas diárias com o rosto coberto e quando a pele fora de controle, é fácil para você se sentir perdido e sobrecarregado. Quando sua pele está pegando fogo, você não consegue empurrar a sua percepção para o fundo da sua mente, porque a rosácea faz você ficar super consciente do seu rosto sempre, o que pode ser desgastante.

Uma investigação conduzida pela Sociedade Nacional de Rosácea descobriu que muitos afetados por rosácea acham que a condição tem um impacto negativo sobre a sua confiança e vida social, com muitos tendo problemas para estabelecer novas relações e acabam cancelando planos por causa da forma como eles parecem e se sentem.

11. Visite seu médico.

Instagram: @talontedlex

Não existe um teste para diagnosticar rosácea, mas o seu médico saberá examinar você e dizer se você tem a doença. Apesar do diagnóstico ser decepcionante, senti um alívio enorme ao saber o que havia de errado, já que isso significava que eu poderia começar a me tratar e a lidar com isso.

Assim como mudanças no seu estilo de vida, cuidados com a pele e dieta, seu clínico geral ou dermatologista podem aconselhar vários tratamentos. O Dr. Anjali Mahto listou algumas das opções disponíveis, que incluem "antibióticos orais, tratamentos tópicos, medicamentos contra o rubor e terapias com laser para tratar a rosácea". Você pode ler mais sobre como eu lido com a minha rosácea aqui e como eu abordo cuidados com a pele aqui.

Independentemente de você decidir lidar com isso por conta própria ou com a ajuda do seu médico, lembre-se de que essa doença não define quem você é. Pode soar brega, mas aprender a aceitar o meu rosto, grande e vermelho como ele é, foi o passo mais importante para lidar com a minha rosácea.

Para mais informações, visite o site The National Rosacea Society.

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil?

Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.