back to top

Estes retratos mostram de maneira perfeita como as muçulmanas não cabem em estereótipos

"A única diferença é o deus para o qual oramos."

publicado

Conheça Alia Youssef, uma fotógrafa de Toronto (Canadá) que está provando da maneira mais bonita possível que todas as muçulmanas são únicas.

Alia Youssef

Ela é a criadora do The Sisters Project, uma série de retratos que mostram a diversidade de um grupo de mulheres frequentemente vítima de estereótipos.

Tudo começou no último semestre, em um curso sobre mulheres no islã na Universidade Ryerson, onde Youssef está prestes a se formar em fotografia. Segundo Youssef, um dos palestrantes convidados comentou na aula como "a mídia tende a pintar todas as muçulmanas com uma só pincelada"."Essa citação fez muito sentido para mim", disse a fotógrafa ao BuzzFeed Canadá.
Alia Youssef

Tudo começou no último semestre, em um curso sobre mulheres no islã na Universidade Ryerson, onde Youssef está prestes a se formar em fotografia. Segundo Youssef, um dos palestrantes convidados comentou na aula como "a mídia tende a pintar todas as muçulmanas com uma só pincelada".

"Essa citação fez muito sentido para mim", disse a fotógrafa ao BuzzFeed Canadá.

Ela então fez uma série de 25 retratos de muçulmanas, tomando o cuidado de ouvir suas histórias e fotografar cada uma em um lugar significativo.

A mulher acima é Abeer, mãe de três filhos já adultos que trabalha em um centro comunitário."Abeer adora viajar e ler, especialmente se for em um lugar calmo como um jardim ou uma praia. Quando eu conheci Abeer, ela me deu um Kisses de chocolate da Hershey’s e me deu o maior sorriso", diz a descrição da foto na página do projeto no Instagram.
Alia Youssef

A mulher acima é Abeer, mãe de três filhos já adultos que trabalha em um centro comunitário.

"Abeer adora viajar e ler, especialmente se for em um lugar calmo como um jardim ou uma praia. Quando eu conheci Abeer, ela me deu um Kisses de chocolate da Hershey’s e me deu o maior sorriso", diz a descrição da foto na página do projeto no Instagram.

Esta é a estudante de ciências Mehnaz:

"Na maioria dos ambientes em que me encontro (na Universidade de Toronto, em laboratórios de pesquisa, em aviões, em outros países), acredito que sou percebida como uma minoria. Às vezes penso que as pessoas me veem como um símbolo... uma representação da 'mulher muçulmana', quase como um protótipo de como a maioria das mulheres muçulmanas agem, o que fazem e o que querem ser", disse ela a Youssef.
Alia Youssef

"Na maioria dos ambientes em que me encontro (na Universidade de Toronto, em laboratórios de pesquisa, em aviões, em outros países), acredito que sou percebida como uma minoria. Às vezes penso que as pessoas me veem como um símbolo... uma representação da 'mulher muçulmana', quase como um protótipo de como a maioria das mulheres muçulmanas agem, o que fazem e o que querem ser", disse ela a Youssef.

E esta é Dyhia, doutora em ciências da pesca que trabalha na Ecotrust Canada:

Alia Youssef

"É comum na islamofobia — ou em qualquer tipo de ódio ou opressão — a tendência de pegar todo um grupo de pessoas e vê-las como a mesma pessoa", disse Youssef.

Alia Youssef

"Essa ideia de que as muçulmanas são pessoas quietas e oprimidas é o principal estereótipo que estou combatendo."

Alia Youssef

E suas fotos mostram exatamente isso — mulheres que são artistas, líderes, atletas, dançarinas e professoras.

Alia Youssef

Mulheres que estão fazendo sua voz ser ouvida.

Alia Youssef

"As muçulmanas têm muita determinação para se fazerem ouvir", disse Youssef. "Você poderia pensar que elas, porque está sendo tão oprimidas agora, ficariam quietas, mas é exatamente o contrário."

Alia Youssef

"Elas estão realmente falando e mostrando seu impacto em suas comunidades."

Alia Youssef

"Estou testemunhando como as muçulmanas combatem a opressão sendo mulheres fodonas."

Alia Youssef

Embora a série tenha começado como um projeto universitário, Youssef planeja mantê-la enquanto puder. Ela disse que um projeto como este é especialmente necessário após a vitória de Donald Trump nas eleições norte-americanas.

"A política agora está encorajando as pessoas a exporem seu ódio publicamente", disse ela.Recentemente, houve uma manifestação anti-islã do lado de fora de uma mesquita no centro de Toronto, a poucos minutos do campus universitário de Youssef.
Alia Youssef

"A política agora está encorajando as pessoas a exporem seu ódio publicamente", disse ela.

Recentemente, houve uma manifestação anti-islã do lado de fora de uma mesquita no centro de Toronto, a poucos minutos do campus universitário de Youssef.

"Eu não sei se eu poderia ter feito um projeto mais relevante, na verdade", disse ela.

"Ele te lembra que as muçulmanas são exatamente como as outras mulheres e que todas nós temos nossas fés, ações e decisões que são pessoais", disse Youssef. "A única coisa que nos torna diferentes é o deus para o qual oramos."
Alia Youssef

"Ele te lembra que as muçulmanas são exatamente como as outras mulheres e que todas nós temos nossas fés, ações e decisões que são pessoais", disse Youssef. "A única coisa que nos torna diferentes é o deus para o qual oramos."

Você pode acompanhar o The Sisters Project e conhecer as mulheres envolvidas no Instagram.

Alia Youssef

Este post foi traduzido do inglês.

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil?

Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.