back to top

15 coisas que os cientistas simplesmente não conseguem explicar

… ainda.

publicado

1. O que aconteceria se uma pessoa caísse em um buraco negro.

Físicos costumavam a acreditar que você não perceberia que está caindo num buraco negro até ter cruzado o chamado "horizonte de eventos", a fronteira conhecida como o "ponto de não-retorno". Mas novas descobertas de 2012 sugerem que na verdade você daria de frente com um parede de fogo e ficaria tostado (ui!). Se alguma das duas teorias estiver correta, algumas leis básicas da física estão em apuros.
Alain r / Via en.wikipedia.org

Físicos costumavam a acreditar que você não perceberia que está caindo num buraco negro até ter cruzado o chamado "horizonte de eventos", a fronteira conhecida como o "ponto de não-retorno". Mas novas descobertas de 2012 sugerem que na verdade você daria de frente com um parede de fogo e ficaria tostado (ui!). Se alguma das duas teorias estiver correta, algumas leis básicas da física estão em apuros.

2. Porque são necessários mais genes para fazer um tomate do que um humano.

youtube.com

Os tomates têm mais de 30 mil genes, enquanto os humanos têm entre 20 e 30 mil. Este problema já existe há muitos anos em outras versões e costumava ser conhecido como o "paradoxo do valor C". Em 2003, botânicos decidiram rebaixá-lo para a categoria de "enigma" - então a coisa permanece inexplicada.

3. Como funciona o efeito placebo.

Basta que você espere que um comprimido faça efeito para ele funcionar de verdade - seja um comprimido real ou uma imitação feita de açúcar. Isto é o efeito placebo e, para deixar as coisas ainda mais estranhas, ele parece funcionar até mesmo quando você sabe que está tomando uma pílula de açúcar.Ah, e não é só com pílulas - o efeito placebo funciona também se você acredita que foi submetido a uma cirurgia, mesmo que o procedimento crucial não tenha sido efetuado. Arrã.
r_mackay

Basta que você espere que um comprimido faça efeito para ele funcionar de verdade - seja um comprimido real ou uma imitação feita de açúcar. Isto é o efeito placebo e, para deixar as coisas ainda mais estranhas, ele parece funcionar até mesmo quando você sabe que está tomando uma pílula de açúcar.

Ah, e não é só com pílulas - o efeito placebo funciona também se você acredita que foi submetido a uma cirurgia, mesmo que o procedimento crucial não tenha sido efetuado. Arrã.

4. Se a sonda Viking encontrou vida em Marte nos anos 70.

A Viking, enviada para Marte em 1976, levava três experimentos para testar se havia vida por lá. Um deu positivo. Mas os outros dois experimentos não deram, então o resultado positivo teve que ser descartado.Mas em 2012 uma equipe de cientistas reexaminou os dados utilizando uma nova técnica e contestou o veredicto de não existência de vida. Com isso, a questão ainda está em aberto.
Nasa / Via nssdc.gsfc.nasa.gov

A Viking, enviada para Marte em 1976, levava três experimentos para testar se havia vida por lá. Um deu positivo. Mas os outros dois experimentos não deram, então o resultado positivo teve que ser descartado.

Mas em 2012 uma equipe de cientistas reexaminou os dados utilizando uma nova técnica e contestou o veredicto de não existência de vida. Com isso, a questão ainda está em aberto.

5. Como e por que havia água líquida no início da história do planeta Terra.

Nos primórdios da história da Terra, o Sol teria sido mais fraco do que é agora, e não teria poder suficiente para derreter o gelo no planeta. Mas por meio de indícios geológicos, sabemos que existia água líquida na superfície do nosso planeta entre 3,8 e 2,4 bilhões de anos atrás, quando a vida se desenvolveu. Existem algumas teorias no ar, mas nenhuma explicação concreta.
katana0007

Nos primórdios da história da Terra, o Sol teria sido mais fraco do que é agora, e não teria poder suficiente para derreter o gelo no planeta. Mas por meio de indícios geológicos, sabemos que existia água líquida na superfície do nosso planeta entre 3,8 e 2,4 bilhões de anos atrás, quando a vida se desenvolveu. Existem algumas teorias no ar, mas nenhuma explicação concreta.

6. Onde estão todos os alienígenas.

Essa questão é conhecida como o paradoxo de Fermi e a sua lógica é a seguinte: existem bilhões de estrelas na galáxia que são mais velhas que o nosso sol. Algumas delas devem ter planetas parecidos com a Terra, e provavelmente alguns desses desenvolveram vida inteligente. Uma menor porção desses planetas pode ter desenvolvido viagens interestelares - então por que nós nunca encontramos esses viajantes interplanetários alienígenas?
upload.wikimedia.org

Essa questão é conhecida como o paradoxo de Fermi e a sua lógica é a seguinte: existem bilhões de estrelas na galáxia que são mais velhas que o nosso sol. Algumas delas devem ter planetas parecidos com a Terra, e provavelmente alguns desses desenvolveram vida inteligente. Uma menor porção desses planetas pode ter desenvolvido viagens interestelares - então por que nós nunca encontramos esses viajantes interplanetários alienígenas?

7. Por que algumas regiões do oceano possuem níveis misteriosamente baixos de fitoplâncton.

Existem regiões do oceano na Antártida onde o nível de nutrientes é alto, mas o nível de fitoplâncton, um tipo de plâncton minúsculo que cria a sua própria comida usando a luz do sol, é surpreendentemente baixo. Os biólogos marinhos têm algumas possíveis explicações para isso, mas nenhuma delas é clara. A questão é chamada de o paradoxo antártico.
NOAA MESA Project / Via photolib.noaa.gov

Existem regiões do oceano na Antártida onde o nível de nutrientes é alto, mas o nível de fitoplâncton, um tipo de plâncton minúsculo que cria a sua própria comida usando a luz do sol, é surpreendentemente baixo. Os biólogos marinhos têm algumas possíveis explicações para isso, mas nenhuma delas é clara. A questão é chamada de o paradoxo antártico.

8. Por que as baleias azuis não têm câncer com mais frequência do que os humanos, apesar de serem muito maiores que nós.

Via a-place-named-paradise.tumblr.com

Não parece haver qualquer correlação entre o tamanho de uma espécie animal e sua taxa de incidência de câncer. Este é o paradoxo de Peto, cujo nome é uma homenagem ao biólogo Richard Peto.

Considerando-se que o câncer começa com mutações nas células de um animal, os cientistas acreditam que mamíferos com mais células deveriam ter uma taxa maior de câncer. Estranhamente, esse não parece ser o caso.

9. Onde está todo o lítio que deveria existir no universo.

Um tipo de lítio tem apenas um terço da abundância que deveria apresentar no universo. Ele não aparece de forma suficiente nem nas estrelas mais antigas, cuja composição os cientistas esperariam que espelhasse aquela do universo em seu período inicial.
NASA, The Hubble Heritage Team, STScI, AURA

Um tipo de lítio tem apenas um terço da abundância que deveria apresentar no universo. Ele não aparece de forma suficiente nem nas estrelas mais antigas, cuja composição os cientistas esperariam que espelhasse aquela do universo em seu período inicial.

10. Por que os imãs sempre têm um polo sul e um polo norte.

Não importa quantas vezes você divide um imã ao meio, os objetos resultantes sempre terão um polo sul e um polo norte. A mecânica quântica afirma que monopolos magnéticos (um polo norte ou sul separadamente) sempre irão existir. Recentemente, monopolos magnéticos foram criados em laboratório. Apesar disso, nós nunca os encontramos na natureza.
Flickr: daynoir / Creative Commons

Não importa quantas vezes você divide um imã ao meio, os objetos resultantes sempre terão um polo sul e um polo norte. A mecânica quântica afirma que monopolos magnéticos (um polo norte ou sul separadamente) sempre irão existir. Recentemente, monopolos magnéticos foram criados em laboratório. Apesar disso, nós nunca os encontramos na natureza.

11. Qual o comprimento exato do litoral do Reino Unido.

O formato dos litorais lembra um fractal, ou seja, vários padrões que se repetem. Se você der um zoom num fractal, encontrará simplesmente o mesmo formato em escalas cada vez menores, então o comprimento deles não é bem definido.
Alvesgaspar / Via en.wikipedia.org

O formato dos litorais lembra um fractal, ou seja, vários padrões que se repetem. Se você der um zoom num fractal, encontrará simplesmente o mesmo formato em escalas cada vez menores, então o comprimento deles não é bem definido.

Quanto menor for a régua usada para medir o comprimento de um litoral, maior será a resposta obtida.(Mas é possível fazer uma aproximação dependendo da escala escolhida - de acordo com o Ordnance Survey, numa escala de 1:10.000, o litoral da Grã-Bretanha tem 11.072,76 milhas.)
Avsa / Acadac / Via commons.wikimedia.org

Quanto menor for a régua usada para medir o comprimento de um litoral, maior será a resposta obtida.

(Mas é possível fazer uma aproximação dependendo da escala escolhida - de acordo com o Ordnance Survey, numa escala de 1:10.000, o litoral da Grã-Bretanha tem 11.072,76 milhas.)

12. Por que a atmosfera do sol é tão mais quente que a sua superfície.

A atmosfera do Sol, conhecida como coroa, se estende por mais de um milhão de quilômetros a partir da sua superfície e atinge temperaturas de dois milhões de graus. Quando comparados com os meros 5.000 graus que a superfície do Sol atinge, não há explicação para aquela temperatura ser tão alta.
Habbal, et al. / Via nasa.gov

A atmosfera do Sol, conhecida como coroa, se estende por mais de um milhão de quilômetros a partir da sua superfície e atinge temperaturas de dois milhões de graus. Quando comparados com os meros 5.000 graus que a superfície do Sol atinge, não há explicação para aquela temperatura ser tão alta.

13. Por que a época do Eoceno foi tão quente.

Via veil-of-oblivion.tumblr.com

De 56 milhões a 34 milhões de anos atrás, durante o Eoceno, indícios geológicos mostram que as temperaturas podem ter ficado na casa de 15˚C a 20˚C nos polos da Terra. A razão para esse período de clima quente ainda não foi esclarecida.

14. De onde vêm essas estranhas estrias escuras em Marte.

Elas aparecem durante estações quentes e viajam morro abaixo, antes de desaparecerem quando o clima esfria novamente. Cientistas acreditavam que elas pudessem ser água congelada, que é trazida à superfície quando esquenta, escorrendo para baixo. Porém, dados colhidos pela Mars Reconnaissance Orbiter, da Nasa, não detectaram qualquer sinal de água ali.
HiRISE, MRO, LPL (U. Arizona), NASA / Via uahirise.org

Elas aparecem durante estações quentes e viajam morro abaixo, antes de desaparecerem quando o clima esfria novamente. Cientistas acreditavam que elas pudessem ser água congelada, que é trazida à superfície quando esquenta, escorrendo para baixo. Porém, dados colhidos pela Mars Reconnaissance Orbiter, da Nasa, não detectaram qualquer sinal de água ali.

15. De onde vêm os raios cósmicos impressionantemente energéticos.

O limite GZK é o limite teórico máximo da energia de raios cósmicos e é ditado pela teoria da relatividade de Einstein. Mas físicos no Observatório Akeno, no Japão, encontraram raios cósmicos que ultrapassam esse limite. Não há nenhuma fonte que poderia estar produzindo-os perto da Terra, o que faz da sua aparição um mistério.
Simon Swordy (U. Chicago), NASA / Via apod.nasa.gov

O limite GZK é o limite teórico máximo da energia de raios cósmicos e é ditado pela teoria da relatividade de Einstein. Mas físicos no Observatório Akeno, no Japão, encontraram raios cósmicos que ultrapassam esse limite. Não há nenhuma fonte que poderia estar produzindo-os perto da Terra, o que faz da sua aparição um mistério.

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil?

Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.