back to top

11 coisas que você provavelmente não sabia sobre a sua memória

É, as lembranças falsas realmente existem.

publicado

1. Entrar em uma sala nova, na verdade, faz você esquecer o motivo para entrar lá.

hogarthpress.tumblr.com

Já entrou em uma sala e, em seguida, esqueceu completamente o motivo para entrar lá? Acontece que isso é uma coisa real que os cientistas têm estudado.

Em um estudo publicado na Quarterly Journal of Experimental Psychology, pesquisadores descobriram que novos episódios de memória são criados quando você deixa uma sala e entra em outra, tornando mais difícil se lembrar de informações do episódio anterior, como o motivo exato para você entrar na sala. É quase como se seu cérebro trabalhasse contra você.

2. Na verdade, apenas imaginar estar passando por uma porta pode fazer você esquecer.

gifbay.com

No mês passado, um novo estudo com 51 estudantes descobriu que apenas imaginar estar passando por uma porta pode fazer você esquecer.

Os pesquisadores dizem que isso combina com o "Modelo do Horizonte de Eventos" da memória de curto prazo, de que nós separamos as lembranças em capítulos, de que cruzar uma fronteira (como uma porta) desencadeia um novo capítulo e de que nós somos mais propensos a esquecer além das fronteiras de eventos.

Isso mesmo, seu cérebro está literalmente escrevendo a história de sua vida, capítulo por capítulo.

Em um estudo sobre isso, 23 pessoas leram seis histórias em uma tela e depois fizeram um teste para ver o quanto se lembraram das narrativas. Christian Jarrett, no blog da British Psychological Society's Research Digest, explica:

A descoberta-chave foi que os participantes tinham mais dificuldade para se lembrar de uma frase que vinha depois de uma fronteira temporal. É como se as informações dentro de um episódio estivessem, de alguma forma, ligadas entre si e como se uma divisão de memória fosse colocada entre informações que abrangessem dois episódios diferentes.

("Fronteira temporal" significa apenas que a frase começou com algo como "Um tempo depois disso..." para indicar a passagem do tempo.)

Publicidade

4. Fechar os olhos pode ajudar você a se lembrar.

Ingram Publishing / Getty Images

Se você está lutando para se lembrar de algo, experimente fechar os olhos.

Um estudo com 178 pessoas publicado na revista Legal and Criminal Psychology descobriu que as pessoas que fecharam os olhos ao tentar se lembrar de detalhes de um filme a que acabaram de assistir conseguiram responder a 23% mais perguntas corretamente.

Isso funciona por remover as distrações e liberar seu cérebro para usar mais recursos no processo de lembrança.

5. Lembranças falsas são bastante fáceis de plantar.

Columbia Pictures

Cuidado para não ir longe demais e acabar recuperando lembranças que nunca aconteceram com você. Lembranças falsas realmente existem e são muito assustadoras.

Em um teste de laboratório, psicólogos entregaram às pessoas uma lista de palavras relacionadas com dormir (cama, descanso, acordado, etc.), mas não chegaram a incluir a palavra "dormir" na lista. Depois, os participantes se lembraram erroneamente da palavra "dormir" com a mesma frequência com que se lembraram de palavras que realmente estavam na lista.

Em outro estudo, uma "minoria considerável" foi levada a acreditar que tinha tido uma má experiência com o Pluto na Disney durante a infância depois de lhes mostrarem um material que sugeria que aquilo tinha acontecido.

6. Você poderia até "se lembrar" de um crime que nunca cometeu.

totalfilm.tumblr.com

As lembranças falsas são uma prova de que é fácil para testemunhas de um crime se lembrarem de coisas que não aconteceram, mesmo sem estarem cientes disso. Tudo que precisam é que alguém sugira que o fato pode ter acontecido, e a semente de uma memória falsa pode ser plantada.

É possível até mesmo levar você a se lembrar de um crime que você não cometeu. Um artigo publicado no mês passado pela Psychological Science mostrou que um entrevistador conseguiu convencer 70% dos participantes de que eles tinham cometido um crime na adolescência e os levou a se lembrar de, pelo menos, dez detalhes dele... apesar do fato de ele nunca ter acontecido.

Publicidade

Paul Reber, professor de psicologia na Universidade Northwestern, disse à Scientific American:

Os neurônios se combinam de uma forma que cada um contribua com muitas lembranças ao mesmo tempo, aumentando exponencialmente a capacidade de armazenamento de memória do cérebro para algo bem perto de 2,5 petabytes. Você teria de deixar a TV ligada continuamente por mais de 300 anos para usar todo esse armazenamento.

9. Salvar informações em um computador nos deixa menos propensos a nos lembrar delas.

Stelyaphoto / Getty Images

Um estudo publicado na Science em 2011 descobriu que, quando as pessoas pretendiam ter acesso a uma informação no futuro, elas eram menos capazes de recuperá-la. Mas isso não é uma coisa ruim, pois significa que seu cérebro foi liberado para aprender mais coisas e que você ficou, na verdade, mais propenso a se lembrar de novas informações.

Em três experimentos, pesquisadores descobriram que salvar um arquivo antes de estudar um novo arquivo melhorou significativamente a memória dos participantes do estudo para o segundo arquivo.

10. Dizer aos alunos que eles terão de ensinar uma informação os ajuda a se lembrar melhor dela.

Paramount Pictures

Em um estudo, 56 formandos foram divididos em dois grupos: a um grupo foi dito que eles tinham de ler um texto e que fariam um teste com base nele depois; ao outro foi dito que eles teriam de ensinar o texto depois de lê-lo.

Os pesquisadores escreveram: "Os participantes que teriam de ensinar produziram recordações livres mais completas e mais bem organizadas da passagem e, em geral, responderam corretamente a mais perguntas sobre a passagem do que os participantes que fariam um teste."

Publicidade

11. Se isso falhar, choques leves também podem melhorar sua memória.

f(x) / SM Entertainment

E não apenas para o que você está fazendo quando recebe o choque, mas também para o que você fez antes disso.

Um artigo publicado na Nature descreve um experimento em que foram mostrados dois conjuntos de imagens às pessoas, ambos com animais e ferramentas. Enquanto olhavam para o segundo conjunto, os participantes receberam choques elétricos quando viram as fotos do animal ou ferramenta. Um dia depois, foi mostrado um novo conjunto de fotos aos participantes, dessa vez sem os choques.

Veja um diagrama útil extraído do artigo:

Dunsmoor et al. / Via nature.com

Quando fizeram um teste mais tarde sobre suas lembranças das fotos, as pessoas que tinham recebido o choque enquanto olhavam para os animais durante a segunda etapa se lembraram melhor dos animais. Mas não apenas dos animais da segunda etapa; elas também se lembravam melhor dos primeiros.

"No momento em que via os animais, você não sabia que eles seriam importantes depois", disse a autora do estudo Lila Davachi ao The Verge.

(O mesmo aconteceu com pessoas que receberam um choque enquanto olhavam para ferramentas.)

A pesquisa ainda está bem no começo, mas Davachi disse ao The Verge que a perspectiva de trazer de volta lembranças que você nunca imaginou que fossem importantes na época é "super empolgante".