11 coisas do dia-a-dia que poderiam ter matado você antigamente

Ou, pelo menos, arruinado sua vida para sempre.

1. Chapéus

Hulton Archive / Getty Images

O segredo dos homens parecerem tão elegantes no século 19? Mercúrio. Os produtores de chapéus utilizavam um componente tóxico quando confeccionavam pele com feltro, e depois de uma exposição prolongada, envenenamento por mercúrio levava eles a comportarem-se de maneira errática - e ficavam até com tremores - é é daí que vem a expressão “louco feito um chapeleiro”. Então quando Alice encontrou o chapeleiro maluco no País das Maravilhas, ele não estava tão longe assim da realidade.

2. Maquiagem

Diferente da nossa paixão por pele bronzeada, uma aparência fantasmagórica era moda alguns séculos atrás. Chumbo, mercúrio e arsênio eram apenas alguns dos ingredientes usados ou vendidos em produtos cosméticos para empalidecer a pele.

3. Papel de Parede

Flickr: wdwbarber / Creative Commons

Se as paredes falassem no século 19, elas provavelmente iriam mandar você sair correndo. Tintas que continham arsênio para obter uma bela tonalidade verde eram utilizadas no papel de parede, que no final, era venenoso - mesmo sem consumi-lo. Embora a causa da morte de Napoleão ainda seja debatida, alguns pesquisadores acreditam que os altos níveis de arsênio encontrado no seu sangue poderia ter sido absorvido dos seus arredores (inclusive, do seu papel de parede verde).

4. Álcool

Flickr: uhmlibrary / Creative Commons

Bem, isso é óbvio. Mas essas bebidas não eram como a produção de um barril de cerveja que deu errado. Durante a Proibição, contrabandistas pediram para que químicos retirassem as substâncias químicas do álcool industrial (usadas para tintas e outros suprimentos) para torná-lo consumível. Já que eles odiavam qualquer diversão, o governo dos Estados Unidos pediu que mais venenos fossem adicionados para impossibilitar o consumo das bebidas, matando centenas de pessoas.

5. Água

Flickr: gizmodoc / Creative Commons

Antes das pessoas descobrirem que a radiação não era tão vantajosa quanto Alex Mack fez parecer, rádio era utilizado como um cura-tudo. Durante o ápice da mania por radiação, prescreveram uma tônica com rádio chamada Radithor para o rico industrialista Eben Byers quando ele machucou o braço. Após enormes doses dessa água, o seu corpo deteriorou-se lentamente - incluindo a maior parte da sua mandíbula! - até ele morrer em 1932.

6. Relógios

Flickr: darronb / Creative Commons

Nós ainda não saímos da estação de radiação: A condição das trabalhadoras que pintavam a tinta radioativa que brilha-no-escuro nos relógios de pulso foram apelidadas de Garotas do Rádio. As mulheres morreram por envenenamento de rádio - ou sofreram efeitos colaterais desastrosos, especialmente aquelas que lambiam a ponta dos pinceis para mantê-los finos.

7. Tinta

Flickr: compleo / Creative Commons

Antes da U.S. Consumer Product Safety Commission (comissão responsável pela segurança dos produtos de consumo) proibir tinta à base de chumbo em 1977, crianças que comiam raspas de tinta ou qualquer um que respirasse a poeira da tinta (de, digamos, lixa) também estavam ingerindo quantidades assustadoras de chumbo. Coisa que, como você pode imaginar, gera graves consequências para a saúde. Ainda dá para encontrar esse tipo de tinta em vários apartamentos antigos.

8. Absorventes Internos

Flickr: imjustkimmie / Creative Commons

As mulheres estão bem familiarizadas com a ameaça constante da Síndrome do Choque Tóxico (SCT), uma infecção bacteriana gerada por absorventes internos que pode ser fatal. Depois de uma explosão de casos ligados à alta-absorvência dos absorventes internos Rely na década de 70, os fabricantes do produto receberam diversos processos e a marca foi retirada do mercado. Hoje em dia, ainda há entrada de processos contra outras empresas, mas casos de SCT diminuíram drasticamente desde 1980.

9. Lápis

Flickr: 25073464@N05 / Creative Commons

Lápis de chumbo é um contra-senso comum já que seu conteúdo interno é na verdade feito de grafite e argila. Mas antigamente, a parte externa do lápis continha chumbo, fazendo com que as crianças que roíam os seus lápis ficassem sujeitas ao envenenamento por chumbo antes de virar um produto controlado nos anos 70.

10. Desinfetante para as Mãos

Flickr: winnipeglovesmyrone / Creative Commons

Vivemos num planeta cheio de coisas nojentas, então desinfetante para as mãos é um produto bastante reconfortante. A não ser que ele seja o Desinfetante Antimicrobiano da Clarcon, o qual continha bactérias causadoras de infecções que poderiam exigir atenção médica (ou cirúrgica!). Pior ainda, ele era indicado como tratamento para feridas abertas e pele machucada. A Administração Federal de Drogas (FDA) dos EUA mandou retirar os produtos do mercado em 2009.

11. Naftalina

Flickr: fourtwenty / Creative Commons

A ameaça da naftalina, que contém produtos químicos potencialmente cancerígenos, ainda existe. Os riscos à saúde, conhecidos como naftaleno ou paradiclorobenzeno, são responsáveis por aquele delicioso aroma, porém foi demonstrado que a substância também causa câncer em animais. Diga para sua avó usar cedro ao invés de naftalina!

Check out more articles on BuzzFeed.com!

 
  Sua reação
 

Reações

Buzzing agora