back to top

15 fatos sobre vagina que você nem imagina

Ela é REALMENTE muito maravilhosa!

publicado

1. Vagina é só um pedacinho do órgão reprodutor feminino.

drauziovarella.com.br

Popularmente as pessoas chamam o órgão reprodutor feminino de vagina, mas, segundo este artigo do site do Dr. Drauzio Varella, cientificamente a vagina é só um pedacinho disso tudo, mais especificamente o canal que vai dos pequenos lábios até o colo do útero. Se a gente está falando só da parte externa do órgão, o nome tecnicamente correto seria vulva.

2. Dois terços das mulheres jovens têm VERGONHA de falar os termos vagina e orgasmo para seus médicos.

instagram.com

Uma pesquisa da Eve Appeal, um fundo de pesquisa de câncer, revelou que quase 66% das mulheres entre 18 e 24 anos têm vergonha de falar as palavras vagina para profissionais da área médica e esse pode ser um dos fatores pelos quais a maioria delas preferem buscar diagnóstico para seus problemas sexuais na internet (57%) a buscar ajuda médica presencial. E às vezes quando isso acontece já é tarde demais.

3. Existe uma discussão se a imprensa deve ser 100% fiel à terminologia técnica.

br.pinterest.com

Se a gente deixar o lado técnico correto um pouco de lado - que seria vulva - e todo mundo achar normal escutar e falar "vagina", talvez as meninas tenham menos vergonha de falar sobre suas partes íntimas entre si e com os outros. Existe uma longa discussão sobre a melhor terminologia, inclusive por um ângulo feminista. Você pode ler um pouco mais sobre o assunto nesse artigo do Huffington Post. Neste post, optamos por usar o termo vagina mesmo.

4. Uma das primeiras menções à palavra vagina em um filme provavelmente foi em um vídeo da Disney.

imdb.com

Um vídeo educativo da Disney de 1946 foi provavelmente um dos primeiros filmes em que a palavra "vagina" foi falada. "The Story of Menstruation" traz uma explicação básica do que seria e para que serve a menstruação com a ajuda de diagramas. Você pode assisti-lo aqui.

Publicidade

5. Apenas 35% das mulheres são capazes de atingir o orgasmo só com penetração.

giphy.com

Segundo o professor Kim Alley da Universidade de Emery, aparentemente tudo é uma questão do posicionamento do clitóris: quem tiver o clitóris a menos de 2,5 cm da uretra deve conseguir chegar ao orgasmo com a penetração. Mas se o clitóris estiver a mais de 3 cm da uretra, provavelmente não vai rolar orgasmo só com penetração.

6. Apenas 1/4 do clitóris é visível.

makery.info

Um clitóris completo tem cerca de 10 cm, mas apenas 1/4 de sua extensão, o "sininho", é visível a olho nu, o restante está escondido no interior da vagina. O modelo 3D da imagem acima pode ajudar a ter uma ideia de sua extensão e onde exatamente ele fica localizado.

7. A vagina tem mais semelhanças com o pênis do que você imagina.

revistagalileu.globo.com

Segundo a ginecologista Flávia Fairbanks, até mais ou menos a sexta semana de vida intrauterina, o pênis e o clitóris são idênticos e isso inclusive que inclusive impossibilita identificar se um feto é masculino ou feminino olhando exclusivamente para parte genital e só depois desse período começam a se diferenciar. "Do ponto de vista de terminações nervosas, de capacidade de excitação, de resposta sexual, prazer sexual, as estruturas são sim muito semelhantes", conta.

8. O orgasmo das mulheres é mais longo que o dos homens.

instagram.com

O orgasmo feminino pode durar de 10 a 30 segundos e, na comparação com o orgasmo masculino, sempre será mais longo. Tudo isso é possível graças às mais de oito mil terminações nervosas que a mulher tem no clitóris, quase o dobro da quantidade que um homem tem no pênis.

Publicidade

9. A vagina tem o pH bem semelhante ao do vinho.

instagram.com

O pH aproximado de uma vagina saudável de uma mulher durante a fase adulta é 4.5, enquanto que o da maioria dos vinhos varia 3.0 e 4.0. Já o sêmen tem pH aproximado de 8.0, que é próximo ao pH da água (entre 6.7 to 7.4).

10. A vagina é totalmente autolimpante!

instagram.com

O design da vagina é tão perfeito que ela é capaz de se autolimpar por meio do descarte de secreções. E, diferente do que se imagina, pegar muito pesado no sabonete íntimo ou em soluções antissépticas pode deixá-la mais vulnerável do que protegê-la de infecções!

11. E o hímen não serve pra muita coisa.

qph.ec.quoracdn.net

Os especialistas ainda não entraram em consenso sobre a funcionalidade (ou a falta de) do hímen. Por enquanto, ele não é exatamente confiável como atestado de virgindade. "É extremamente comum ele ser rompido na primeira relação sexual com penetração. No entanto, é muito importante a gente lembrar que muitas meninas acabam tendo práticas sexuais, inclusive com parceiros, em que não acontece a penetração" exemplificou a Dra. Flávia Fairbanks.

12. Você dificilmente vai perder alguma coisa dentro da vagina.

instagram.com

Um absorvente interno ou uma camisinha mal utilizada dificilmente vão ficar perdidos por muito tempo. A entrada para o útero é muito pequena para que algo se perca pelo seu corpo, a não ser que você esteja para dar a luz. Então, mesmo que você ache que perdeu algo *lá,* tudo deve ser expelido naturalmente nas próximas vezes que você usar o banheiro.

Publicidade

13. Uma vagina que já pariu um bebê não terá tamanho muito diferente das que não pariram.

instagram.com

Segundo dados de uma pesquisa publicada em 1996, não há diferença entre o tamanho de vaginas de mulheres que tiveram bebês e as mulheres que não tiveram.

14. Se uma mulher fizer sexo grávida, o pênis do parceiro NÃO vai entrar em contato com o bebê.

todamateria.com.br

Existem múltiplas camadas entre a vagina - onde acontece de fato a relação sexual - e o bebê. "Entre os dois tem o colo do útero, revestido por um tecido próprio. Dentro do colo do útero, tem o tampão mucoso, que só sai perto do momento do parto, e ainda tem a bolsa das águas, o próprio líquido amniótico. Só então vem o bebê. Não há risco, a não ser em caso de contra-indicação médica", assegura a ginecologista Flávia Fairbanks.

15. A vagina mais forte do mundo ganhou este recorde ao fazer um levantamento de 12 quilos!

instagram.com

O assoalho pélvico, o conjunto de músculos que dão suporte aos intestinos, bexiga e órgãos sexuais, é surpreendentemente forte. E, como qualquer conjunto muscular, pode ser fortalecido com exercícios do tipo Kegels, tornando-se capaz até de levantar coisas, acopladas a ganchos, por exemplo.

A recordista de levantamento de peso com a vagina é uma russa chamada Tatiata Kozhevnikova. Ela conta que começou a exercitar a área há mais de 20 anos, após sentir que os músculos de sua vagina mais fracos após o nascimento de seu primeiro filho. Ela tem até um canal no YouTube no qual ensina truques para a exercitar a vagina. Pena que não dá pra entender nada porque naturalmente está em russo.

Publicidade