back to top

Isto é o que um homem aprendeu ao usar maquiagem por uma semana

Um homem, cinco dias e muito rímel.

publicado

Eu me cortei me barbeando. Um pouco de sangue desliza pelo meu lábio até minha boca. Xingo em silêncio e jogo água sobre minha navalha velha, raramente utilizada, como se molhando-a fosse afiá-la de alguma forma. Deslizo a lâmina debaixo de meu nariz, jogo água em meu rosto e me olho no espelho. Meu queixo parece uma bunda. Eu odeio fazer a barba. Mas tenho que fazer isso, pois prometi a dois dos meus colegas de trabalho que irei usar maquiagem por uma semana inteira de trabalho.

Gosto de me considerar uma pessoa que topa qualquer coisa. Tenho 13 tatuagens, constantemente mudo meu corte de cabelo e tive piercings e mechas loiras em meus anos de faculdade. A única coisa que permanece constante em minha aparência é a forma como me visto, com um uniforme formado por botas, jeans e camisas de botão. Geralmente me sinto confiante independente de minha aparência, então quando os editores de beleza da equipe do BuzzFeed Life me fizeram a proposta para esta experiência de maquiagem, eu topei. O experimento seria simples: usar maquiagem durante toda a semana, de segunda a sexta-feira, com mais maquiagem sendo adicionada a cada dia. Quão difícil poderia ser?

E então veio o dia um.

Publicidade

A primeira coisa na manhã de segunda-feira, minha colega de trabalho (e maquiadora durante a semana) Augusta se inclina e desliza o que parece ser uma vassoura através dos meus cílios. "Isso realmente fará seus olhos se destacarem", diz ela. O primeiro dia trata-se inteiramente de simplicidade. Algumas deslizadas de rímel Benefit's They're real e um pouco de corretivo Fake Up sob os olhos. Nada extravagante.

Augusta termina de alongar meus cílios, um fotógrafo tira algumas fotos e eu entro no escritório.

A primeira pessoa que vejo é meu chefe. Estendo a mão para um aperto de mão e ele diz: "Agora sei como você se parecia no jardim de infância". Se ele notou algo além de minha falta de barba, não disse uma palavra. Isso acontece o dia todo. Em reuniões. Sentado em minha mesa. Indo para a cozinha para pegar frozen iogurt. Várias pessoas comentam sobre minha falta de pelos faciais, "você pode, por favor, dizer ao seu pai para vir trabalhar?", brinca um colega de trabalho. Mas nem uma única pessoa menciona minha maquiagem nos olhos.

O QUE É INSANO! No meio do dia vou ao banheiro e olho para meu rosto. Como ninguém percebe isso? Meus cílios parecem espinhos negros brotando de minhas pálpebras; o contraste faz com que minhas íris brilhem em um tom de verde claro diferente. A área ao redor dos meus olhos parece lisa e inexpressiva. Estranhamente, tudo o que consigo pensar é que pareço com uma boneca American Girl. Meu escritório tem muita diversidade, é repleto de pessoas com todos os tipos de origens, crenças e interesses. Imaginei que minha maquiagem seria aceita muito rapidamente, e presumi que as pessoas notariam a diferença desde o começo.

Não sei se gosto de minha maquiagem ou não, mas com certeza eu a noto. Como ninguém mais nota?

"Por que você se barbeou?"

Eu não contei à minha namorada que usaria maquiagem durante a semana. Então, quando chego em casa após o trabalho, ela só me questiona sobre o rosto sem pelos.

"Notou algo a mais?", pergunto. Ela não nota, até que começo a bater meus cílios.

"Você não precisa de maquiagem", é algo que eu disse tolamente à minha namorada no início de nosso relacionamento. Pensei que era a coisa certa a dizer. Seu rosto é tão bonito. Por que colocar tinta nele? "Você fica melhor sem maquiagem". Na verdade, foi um sentimento bobo, enraizado na falácia de que as mulheres só usam maquiagem para chamar a atenção masculina, como se apenas as opiniões dos homens importassem. Pensei que ao dizer isso, essencialmente tiraria de seus ombros a responsabilidade de se maquiar. Agora ela poderia suspirar de alívio, jogar seus delineadores Stila no lixo e dar um amasso comigo. E também há aquela história de que "natural é a única forma de beleza que conta, pois a sociedade é uma horrível esteira distópica". Admito: Sem saber, caí nessa armadilha. Mas nós estamos juntos há mais de dois anos e uma das (muitas) coisas que aprendi é que ela gosta de usar maquiagem, e isso não tem nada a ver comigo. Além disso, ela é ótima nisso.

Portanto, estava apostando que minha namorada seria quem mais me apoiaria nesta experiência. Em vez disso, ela ficou um pouco nervosa. Continuou a me olhar como se eu fosse um monstro do pântano que acabou de chegar na cidade.

Antes de dormir, ela pergunta: "Posso ensinar como remover isso?"

Publicidade

Sentar na cadeira enquanto Augusta aplica o delineador me lembra de quando faço uma tatuagem. Você não quer se mexer, pois tem medo que a pessoa com o objeto pontiagudo possa estragar tudo.

Tatuagens, piercings, tintura de cabelo. Tudo isso é normal para os homens. Mas a maquiagem, não. A maquiagem é apenas para mulheres. Drag queens. Um homem deve sair para o mundo com sua pele manchada e olheiras. É o esperado.

Hoje vou usar o lápis para olhos Fluidline, da MAC Cosmetics, o rímel Benefit They're Real , o corretivo Fake Up, e a base compacta MAC Pro Longwear. O último é aplicado em todo o rosto e em meu pescoço. Imediatamente vou ao banheiro e me observo. Eu pareço mais acordado. Revigorado. Como se tivesse passado o último mês tendo oito horas de sono todas as noites em uma cama com lençóis de seda.

"Você parece um cadáver", diz um colega de trabalho enquanto passa pela minha mesa.

Hoje as pessoas notam. Assim que descobrem que estou usando maquiagem para um artigo, elas se sentem livres para compartilhar suas opiniões sobre minha aparência. Isto não me surpreende. O que surpreende é minha reação. Claro, minha cor está um pouco estranha. Eu pareço um pouco pálido (descobri mais tarde que a base que foi utilizada naquele dia era um tom muito claro para meu tom de pele). Mas realmente machuca meus sentimentos quando as pessoas jogam isso na minha cara. A maquiagem não é um chapéu de bobo ou uma camisa mal escolhida... é seu rosto.

Publicidade

"Você está usando maquiagem?" Hugh, meu barman, olha para mim incrédulo, enquanto me entrega uma cerveja e uma dose.

"Sim, o que você acha?", eu viro o uísque.

"Acho que o mundo está cada vez mais de cabeça para baixo a cada maldito dia", diz Hugh. Nós apertamos as mãos, e Hugh vai embora.

"Seus cílios estão impecáveis", diz uma garçonete, enquanto deixa os copos na esteira do bar.

Hugh vira de volta para mim e diz: "É isso o que eu quis dizer", ele diz. "Seus cílios estão impecáveis", ele sorri. Ninguém no bar menciona minha maquiagem novamente, mas as pessoas olham.

Quando chego em casa, minha namorada me cumprimenta dizendo: "Você está parecendo um filme expressionista alemão". Me sinto cansado e chateado, drenado pelo simples ato de caminhar o dia todo com uma sutil maquiagem no rosto. O que pensei que seria uma experiência divertida, está realmente começando a minar minha auto confiança.

"Você está bem diferente", explica minha namorada. "Pense nisso, você me vê o tempo todo com maquiagem, mas também sem ela. Em sua mente, sempre sou eu. Mas eu nunca vi você de maquiagem antes. Isso não se parece com você. Não dá a sensação que é você".

Entro no banheiro e começo a remover a base. Antes desta experiência, eu não lavava o rosto regularmente. Talvez isso não seja a coisa mais higiênica a admitir, mas até esta semana minha limpeza facial era uma esguichada de água. Agora, lavo meu rosto com vários produtos e cremes até ficar exausto.

"Ei". Minha namorada me puxa de volta da pia. Minha base foi removida, mas meu rímel e delineador transformaram-se em círculos borrados em volta dos meus olhos. "Agora parece que você está em uma banda pop-punk", diz ela. "Isso eu consigo aceitar". Não sei se devia ou não me sentir ofendido, até que ela me puxa para um beijo, e, em seguida, pelo corredor.

Publicidade

"Suas bochechas estão rosadas!" Alguns dos meus colegas de trabalho parecem estar aceitando a ideia. Se é porque levou tempo para que se acostumassem com a maquiagem ou porque mudamos o tom da base e acrescentamos blush, não tenho certeza. Uma gerente me conta que tem recebido inúmeros emails perguntando por que estou usando maquiagem, o que faz sentido. As pessoas não querem ofender, mas estão curiosas.

No trem, noto que as pessoas mais velhas me observam e viram os rostos quando passo por elas. As pessoas mais jovens nem sequer olham para cima. Maquiagem para olhos, base, corretivo e blush em um rapaz não causam muita comoção na cidade de Nova York. Dito isto, começo a notar a maquiagem de outras pessoas cada vez mais. Estilo gatinho, contornos, brilho labial, blush, etc. Eu até começo a perceber que os homens poderiam se beneficiar de um pouco da maquiagem. Deixe essa pele homogenizada, filho. Combine o delineador com a cor de seus olhos, cara. Preencha essas falhas na sobrancelha, irmão!

Acordo animado. Estive esperando pela parte dramática do experimento, e hoje eu recebo cor! Passei quase uma hora na cadeira, mas estou muito contente. Hoje vamos abusar (amanhã, ainda mais). Mas hoje, abusar significa batom e olhos esfumados. Quando me pediram para fazer esta experiência eu disse que sim, em parte, porque estava com inveja de um amigo que usou delineador azul-escuro em uma festa de Natal. Se ele pode usar uma maquiagem ousada, por que eu não posso?

Logo após Augusta acabar de colocar maquiagem em meu rosto, conduzo uma reunião em que eu sou o único homem na sala. Fico impressionado com as críticas e elogios das mulheres sobre as técnicas e produtos que compõem meu visual. Sai me sentindo bem, mas enquanto ando pelo escritório, não posso deixar de notar que a maioria dos homens evitava meu olhar. Estou acostumado a andar por aí e fazer contato visual, balançando a cabeça, sorrindo e recebendo contato visual, acenos e sorrisos em troca. Mas cada homem no trabalho que não conheço (é um escritório grande), olha para qualquer direção, menos para meu rosto.

No almoço, tento comer macarrão sem destruir meu batom. Deixo cair comida em minha boca, como se minha mão fosse um pássaro mãe e eu fosse o bebê. Então, desisto. No banheiro, limpo o batom Luster Matte, da Sephora (no tom "Mulberry") borrado ao redor de minha boca. Homens entram e saem das divisórias e olham para mim com os cantos dos olhos. Pergunto a um conhecido como ele passou o feriado, e ele me conta sua noite de Réveillon sem me olhar uma única vez.

Publicidade

É o último dia e vamos pegar pesado. Cores escuras e intensas, de púrpura a roxo escuro, todas com brilho. Eu pareço um post no Tumblr de uma fã adolescente da Lorde. Nem tenho certeza do que significa contornar, mas vamos fazer isso também, e não é que pareço mais magro?! Contornar com certeza é uma feitiçaria. Pela primeira vez nesta semana, me sinto realmente confiante. Não sei se é devido ao meu glamouroso visual extravagante ou pelo fato de que sei que é o último dia da experiência, mas ando por aí me sentindo deslumbrante. Me sentido da maneira que esperava me sentir durante toda a semana. Olho nos olhos das pessoas, quer elas olhem para mim ou não. E a maioria das pessoas me olha de volta. Elas me cobiçam. No escritório, um colega de trabalho grita "Você parece uma princesa gótica", enquanto damos um hi-five. Na rua, as pessoas passam e se viram para olhar novamente. Encontro com um amigo de um amigo em um bar após o trabalho e ele me cumprimenta com: "Você está com um visual fantástico". Nós nunca nos abraçamos antes, mas nos abraçamos agora.

Após o bar, sigo para o metrô na Union Square. A estação está cheia e conforme giro uma catraca, um homem vindo na outra direção tromba em mim.

"Preste atenção, viado", diz ele, empurrando para frente. Antes que eu possa responder, ele segue em frente e desaparece na multidão. É um momento pelo qual eu estava de certa forma esperando durante toda a semana, mas como todos esses momentos, quando ele realmente acontece, sou pego despreparado. Fico sem reação. Apenas fico lá parado enquanto o mundo gira em meu crânio, até que a multidão me empurra para a estação.

Nem tenho certeza se ele viu minha maquiagem.

No trem, todos me encaram. Jovens, velhos, não importa. Mas as pessoas sorrirem também. Especialmente as mulheres. As mulheres com grandes lábios coloridos olham para mim e são as que mais sorriem. Há um desfile acontecendo no meu rosto! Fogos de artifício! Pela primeira vez esta semana, lamento ter que remover a maquiagem.

Sei que não vou aderir ao costume de usar maquiagem diariamente — eu nem mesmo consigo colocá-la sozinho e ficarei surpreso se ao menos aderir ao hábito de removê-la todas as noites.

Mas gostei de como meus olhos chamaram atenção quando estiveram delineados com rímel. Gostei da forma como meus lábios brilhavam após serem cobertos por batom (a base provavelmente não é para mim, mas talvez isso seja porque não encontrei meu próprio tom ainda). Acima de tudo, achei que usar maquiagem foi uma experiência interessante no quesito de auto apresentação — algo que não entendo normalmente, já que sou um cara que tem se vestido da mesma maneira há anos.

Esta semana de maquiagem me tornou visível de uma forma com a qual eu não estava acostumado. Além de ser um choque contínuo ver meu rosto brilhante e em alto contraste, tive que lidar com a forma como todos se sentiam em relação a isso. Como eu me sentia em relação a isso. Como a maquiagem estava em desacordo com o restante de meu visual, como a maquiagem nem sequer precisava estar pesada para fazer com que as pessoas se sentissem estranhas, como eu me sentia estranho, sufocado e autoconsciente mesmo assim.

Para muitos, a maquiagem é um conforto. É ambientar-se, sentir-se atrativo, destacar-se da forma que você preferir. No último dia, apesar das vibrações estranhas e do constrangimento da semana, eu finalmente senti isso também.

Por enquanto, vou voltar a deixar minha barba crescer. Um rosto perfeito não funciona para mim. Ainda assim, aprendi um truque ou dois, me familiarizei com certos cremes e como limpar o rosto. Quem disse que uma barba não pode ser usada com rímel verde?

Todos os produtos cosméticos da MAC e da Benefit apresentados neste post foram fornecidos ao BuzzFeed.