back to top

30 lugares deslumbrantes em São Paulo que vão fazer você se sentir um turista

"Meu Deus, como nunca fui nesse lugar?"

publicado

Localizado no centro da cidade, o edifício Itália foi construído em 1954. Do terraço onde se localiza o restaurante, é possível ver toda a cidade e de quebra ainda tomar um drink. Durante a semana é liberada visita apenas à vista panorâmica. Informações aqui.

Antigamente chamado de Jardim da Aclimação, o local foi sede do primeiro zoológico de São Paulo no final do século 19 e atualmente é uma opção de lazer para a região da Liberdade e Paraíso com um lago, concha acústica, jardim japonês com espelho d'água, aparelhos de ginástica, pista de cooper e caminhada, além de playgrounds infantis, paraciclo e campos de futebol, voleibol e basquetebol. Para saber mais clique aqui.

Gigante e interativo, o Museu da Imigração do Estado de São Paulo fica localizado no Brás, berço da imigração italiana e conta com uma sede totalmente restaurada e muita informação incrível. Vale separar uma tarde e aproveitar o charmoso café. Confira aqui.

Localizada no Jardim Europa, a casa projetada e construída pelo engenheiro-arquiteto Alfredo Ernesto Becker em meados dos anos 50 abriga a coleção reunida por Ema Klabin. Aos sábados ainda rolam atividades musicais. Mais informações aqui.

Construído em 1939, o Banespão sediou o Banco do Estado de São Paulo, e está situado no ponto alto do centro velho. Inspirado na arquitetura do Empire State Building, em Nova York, tem 161,22 metros de altura, 35 andares e por quase 20 anos foi o mais alto da cidade. Do alto do mirante, o raio de visão é de 360º e atinge 40 quilometros. Saiba mais aqui.

Localizado na área da antiga fazenda de um rico empresário, o parque conta com um prédio sede em arquitetura colonial, um conjunto de lagos e área ajardinada. Há 35 anos, sedia a Festa das Cerejeiras, que comemora o florir da árvore símbolo do Japão. Veja mais aqui.

Fundada em 1925, é a maior biblioteca pública da cidade e a segunda maior biblioteca pública do país. Localizada no centro da cidade, foi reinaugurada em 2011, e tornou disponível ao público as áreas de consulta das coleções fixas – Artes, Coleção Geral, Mapoteca e Raros e Especiais – e um auditório. Confira a programação aqui.

A Casa de Vidro foi construída por Lina Bo Bardi em 1951 e conta com um terreno de 7.000 m² no Morumbi. Sede do Instituto Lina Bo e P.M. Bardi, criado em 1990, a casa contempla o acervo pessoal do casal constituído de obras de arte, móveis, documentos, objetos e cerca de 7.500 desenhos de Lina e 17.000 fotografias. Para mais informações clique aqui.

O Museu de Arte Contemporânea ganhou sua nova sede ao completar 50 anos em 2013. Instalado no complexo arquitetônico criado nos anos 1950 por Oscar Niemeyer, que sediava o Detran, o espaço conta com diversas exposições e uma fantástica vista panorâmica da região. Saiba mais aqui.

O prédio construído durante 13 anos, entre 1911 e 1924, foi idealizado como Palácio das Indústrias para exposições do tema e transformado pelo governo do estado em um espaço para atividades culturais divididas em quatro eixos: Universo, Vida, Engenho e Sociedade. Localizado na região do Brás. Mais informações aqui.

O Centro de Preservação Cultural (CPC) oferece atividades relacionadas à preservação do patrimônio cultural, como cursos, exposições, seminários e atividades educativas. Criado em outubro de 2002, o espaço ocupa o casarão da interessantíssima figura Dona Yaya, milionária que viveu confinada no espaço por 40 anos após ser considerada louca. O CPC ainda promove atividades culturais sazonais aos fins de semana. Confira a programação aqui.

Instalado em uma área de 6.900m2 no estádio do Pacaembu, o Museu do Futebol foi uma proposta do arquiteto Mauro Munhoz atrelado ao projeto do arquiteto Ramos de Azevedo, na década de 1930, e conta com um acervo permanente e exposições itinerantes sobre o esporte. Para saber mais clique aqui.

Localizado na Vila Leopoldina, zona oeste da cidade, o CEAGESP é o Entreposto Terminal de São Paulo (ETSP) e tem 700 mil m². É de lá que sai a maior parte das frutas, verduras, legumes, flores e peixes que abastecem mais de 60% da Grande São Paulo, além de outros estados e países vizinhos. Vale ficar de olho na programação de festivais de sopas e frutos do mar. Veja mais aqui.

O Memorial da Resistência de São Paulo fica no prédio onde funcionou entre 1940 e 1983, o Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo – Deops/SP e é uma instituição dedicada à preservar as memórias da resistência e da repressão políticas do Brasil. As reproduções das celas são impecáveis. O prédio abriga ainda a Estação Pinacoteca, que conta com acervo fixo e exposições itinerantes. Para saber mais clique aqui.

O Solar da Marquesa de Santos é um raro exemplar de residência urbana do século 18. Não se sabe ao certo a data de construção, porém documentos atestam a existência de quatro casas na Rua do Carmo entre 1739 e 1754. O espaço ganhou este nome por conta de sua ilustre moradora, a Marquesa de Santos, Domitila, que foi a proprietária entre 1834 e 1867, e ali deu muitas festas.

Atualmente o primeiro piso traz exposições e o segundo objetos e móveis usados pela Marquesa. Saiba mais aqui.

A Cripta da Catedral da Sé está localizada abaixo do altar principal. Para conhecer é necessário realizar a visita monitorada à igreja. Com 619 m² e sete metros de altura, a cripta conta com quinze corpos de bispos portugueses e brasileiros sepultados, incluindo o cacique Tibiriçá, um dos primeiros índios a ser catequizado. Mais informações aqui.

O edifício foi projetado por Christiano Stockler das Neves em 1925 para sediar uma estação da Estrada de Ferro Sorocabana e hoje abriga a Sala São Paulo, sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Além dos concertos, o espaço recebe exposições. Confira aqui.

O Goethe-Institut São Paulo realiza diversos eventos culturais que apresentam o intercâmbio entre a cultura local com a alemã, além de disseminar a língua alemã através de aulas e certificados. Sazonalmente promovem eventos ligados ao ensino, à música, à literatura, ao esporte, ao teatro, à culinária, à arquitetura, ao cinema e ao meio ambiente. Saiba mais aqui.

Localizado no Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega, no Parque Ibirapuera o Museu Afro Brasil conserva, em 11 mil m² mais de 6 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas produzidas por brasileiros e estrangeiros entre o século XVIII e os dias de hoje. Veja mais aqui.