back to top

Como seria uma novela se ela fosse fiel ao Censo do Brasil

Imaginamos uma nova versão de "Avenida Brasil" segundo a divisão étnica do país. Quer ver como ficou?

publicado

Tentamos imaginar como seria uma novela se ela fosse mais fiel à população brasileira e, para isso, escolhemos um dos maiores sucessos da Globo: "Avenida Brasil". Substituímos alguns atores brancos por outros de cores parda e negra, já que o Censo de 2010 revelou que 43,1% dos brasileiros (82 milhões de pessoas) se consideram pardas e 7,6% (15 milhões) pretos. Ou seja, somados, negros e pardos são mais da metade do país.

Alguns atores da trama não foram substituídos por já contemplarem as cores de pele que buscamos na nossa experiência. Vale lembrar que, assim como no Censo, a cor da pele é autodeclarada. Os atores não foram consultados para a experiência, apenas servem como ilustração para o debate.

1. Nina - Sophie Charlotte

Sophie já se mostrou uma excelente atriz em novelas como "O Rebu" e seria uma ótima escolha para ser Nina, a mocinha ambígua na trama. De quebra ainda representaria muito bem os 43,1% da população que se considera parda.

2. Carminha - Dira Paes

Uma mocinha parda pede uma vilã também parda, afinal na trama original todo o núcleo central era composto de atores brancos. No Brasil, negros e pardos somam 50,7 % da população, segundo o Censo de 2010.

3. Tufão - Seu Jorge

São poucos os atores negros no Brasil e a escolha óbvia aqui poderia ser o grande Lázaro Ramos. Porém Seu Jorge já se mostrou um ótimo ator em “Cidade de Deus” e até em longas americanos como “A Vida Marinha de Steve Zissou”. Tiraria de letra o papel de ex jogador de futebol que enriqueceu e seguiu morando no bairro em que cresceu. Ainda por cima, faria jus aos 7,6% da população negra do país.

5. Jorginho - Cauã Reymond

Alex Carvalho / imprensa.globo.com

Cauã, além de lindo, é bom ator e se encaixa bem no biotipo brasileiro então seguiria como o conflituoso Jorginho. Mas dessa vez faria muito mais sentido ele ser filho de Marcos Pasquin e Dira Paes, do que da Adriana Esteves e do Marcelo Novaes, como foi na trama original.

6. Muricy - Zezé Motta

Dos 31 papéis feitos na televisão listados no perfil da Wikipédia da atriz Zezé Motta, em 19 ela representou empregadas, escravas ou mães de santo. Em apenas três deles ela viveu personagens que fogem do estereótipo do negro na TV. Já passou da hora da atriz ter uma papel de destaque no horário nobre da emissora e acabar de vez com essa ideia de que atores negros só podem fazer papeis menores.

7. Leleco - Milton Gonçalves

Difícil imagina o fofo Milton Gonçalves como o malandrão Leleco? Pois então trate de assistir a série "Lili - a Ex" e se delicie com Seu Anselmo, um dos personagens mais divertidos da carreira do ator. Assim como Zezé, o ator tem uma carreira recheada de papeis de escravos, pais de santo e bandidos.

8. Ivana - Samantha Schmütz

Leticia Isnard arrancou gargalhadas de todo mundo em "Avenida Brasil" então seria preciso uma atriz de peso para o papel de Ivana. No ar na novela "Totalmente Demais", Samantha tem mostrado fôlego em uma trama diária.

10. Monalisa - Juliana Paes

A eterna ex-namorada de Tufão ganharia sua versão parda com Juliana Paes. Para quem já encarou a maior das morenas do Brasil, Gabriela, tiraria de letra uma dona de salão de cabeleireiro que vive às voltas com a melhor amiga.

12. Mãe Lucinda, Nilo e Santiago - Vera Holtz, José Abreu e Juca de Oliveira

O trio do lixão foi interpretado com maestria por Vera Holtz, José Abreu e Juca de Oliveira, então nada mais justo do que mantê-los na nova versão. Eles representariam os 47,7% de brancos que compõem o país.

13. Nucleo do Cadinho.

Raphael Dias

Cumprindo a cota de brancos de acordo com o Censo, seguiriam na trama em seus respectivos papeis os atores Alexandre Borges (Cadinho), Carolina Ferraz (Alexia), Camila Morgado (Noemia), Debora Bloch (Veronica), Nathalia Dill (Debora) e Ronny Kriwat (Tomas).

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss