back to top

Campanha associa gravação de vídeo sem consentimento à dor de cabeça

ATUALIZAÇÃO: agência devolveu prêmio depois que Bayer disse não ter nada a ver com campanha. Peça publicitária da AlmapBBDO foi premiada em Cannes e levantou críticas nas redes sociais. Agência diz que "não houve intenção de tratar abusos com indiferença".

publicado

Estão circulando nas redes sociais imagens de uma campanha que utiliza frases como esta, que sugere alguém filmando outra pessoa numa situação íntima sem consentimento.

A campanha, da AlmapBBDO, foi premiada em Cannes e está no site da premiação. São imagens de outdoors com diversas frases que associam problemas sérios (e até crimes) à dor de cabeça.

As peças conquistaram o terceiro lugar na categoria Outdoor.

Uma das críticas mais compartilhadas no Facebook é da mestranda em comunicação e semiótica Ana Paula Passarelli: “Ei AlmapBBDO, é sério mesmo que vocês acharam que dizer em uma campanha publicitária, que compartilhar fotos e vídeos íntimos daria dor de cabeça e para RESOLVER esse incômodo seria só tomar uma Aspirina?”.

Facebook: passadeuvapassa

No texto, Ana Paula ainda lembrou que Cannes criou no ano passado uma nova categoria para premiar marcas que quebram os estereótipos de gênero.

No Facebook da agência onde também foram publicadas as peças o público se manifestou:

Muitos comentários são sobre o machismo da mensagem sobre vídeo sem autorização.
Facebook: AlmapBBDO

Muitos comentários são sobre o machismo da mensagem sobre vídeo sem autorização.

A agência também vem sendo criticada por tentar apagar as críticas feitas em sua página no Facebook.

Na ficha técnica publicada pelo Clube de Criação constam todos os envolvidos na criação da campanha. Os sete profissionais são homens.

Em nota a agência afirmou que não tinha intenção de passar essa mensagem.

“Com relação à discussão envolvendo o anúncio de Aspirina, a AlmapBBDO esclarece que não houve a intenção de tratar com indiferença abusos de qualquer natureza. Mas entendemos que pode ter havido interpretações diferentes da mensagem que a peça queria passar.

A AlmapBBDO repudia a prática de filmagem não consensual e qualquer espécie de violência ou invasão de privacidade. Ficaremos atentos para evitar o problema no futuro.”

ATUALIZAÇÃO (24 de junho, 13h07): segundo a revista AdWeek, a Bayer, dona da marca Aspirina, declarou não ter nada a ver com a campanha. A própria AlmapBBDO pagou pela veiculação. A reportagem fez com que a agência devolvesse o prêmio.

Veja também: