back to top

Campanha associa gravação de vídeo sem consentimento à dor de cabeça

ATUALIZAÇÃO: agência devolveu prêmio depois que Bayer disse não ter nada a ver com campanha. Peça publicitária da AlmapBBDO foi premiada em Cannes e levantou críticas nas redes sociais. Agência diz que "não houve intenção de tratar abusos com indiferença".

publicado

Uma das críticas mais compartilhadas no Facebook é da mestranda em comunicação e semiótica Ana Paula Passarelli: “Ei AlmapBBDO, é sério mesmo que vocês acharam que dizer em uma campanha publicitária, que compartilhar fotos e vídeos íntimos daria dor de cabeça e para RESOLVER esse incômodo seria só tomar uma Aspirina?”.

Facebook: passadeuvapassa

No texto, Ana Paula ainda lembrou que Cannes criou no ano passado uma nova categoria para premiar marcas que quebram os estereótipos de gênero.

Em nota a agência afirmou que não tinha intenção de passar essa mensagem.

“Com relação à discussão envolvendo o anúncio de Aspirina, a AlmapBBDO esclarece que não houve a intenção de tratar com indiferença abusos de qualquer natureza. Mas entendemos que pode ter havido interpretações diferentes da mensagem que a peça queria passar.

A AlmapBBDO repudia a prática de filmagem não consensual e qualquer espécie de violência ou invasão de privacidade. Ficaremos atentos para evitar o problema no futuro.”

ATUALIZAÇÃO (24 de junho, 13h07): segundo a revista AdWeek, a Bayer, dona da marca Aspirina, declarou não ter nada a ver com a campanha. A própria AlmapBBDO pagou pela veiculação. A reportagem fez com que a agência devolvesse o prêmio.