back to top

16 coisas que os gays novinhos nunca vão entender

Por favor respeitem as cacuras.

publicado

1. Ficar com um boy na balada e torcer para encontrá-lo na semana seguinte e vocês quererem se pegar de novo.

Pensem que não tinha celular, nem internet, nem tantos gays assumidos ou famílias em que era ok ser LGBT. O negócio era por puro acaso mesmo.
Miss Biá e Kaka di Polly/Divulgação

Pensem que não tinha celular, nem internet, nem tantos gays assumidos ou famílias em que era ok ser LGBT. O negócio era por puro acaso mesmo.

2. Correr de skinhead todo final de semana e entrar correndo na balada.

Os anos 80 e 90 não foram fácil. Pelo menos em São Paulo você precisava ter muito cuidado para chegar na boate e vira e mexe acabava sendo perseguido por carecas. Toda semana praticamente um amigo não chegava na festa e você sabia que ele tinha apanhado no caminho :(
google.com.br

Os anos 80 e 90 não foram fácil. Pelo menos em São Paulo você precisava ter muito cuidado para chegar na boate e vira e mexe acabava sendo perseguido por carecas. Toda semana praticamente um amigo não chegava na festa e você sabia que ele tinha apanhado no caminho :(

3. Para ver qualquer imagem relacionada ao mundo gay, você tinha que passar horas nas prateleira da locadora vendo as sinopses.

youtube.com

Algo que raramente acontecia. Não havia gays nas novelas, programas de TV e etc.

4. Ou então tomar coragem para comprar ou assinar a revista “Bananaloca”.

5. A vida era muito bullying sendo chamado de Buba, sendo que você nem sabia o que significava a palavra "hermafrodita".

Para refrescar a memória: Buba era a personagem da atriz Maria Luiza Mendonça na novela “Renascer”. Ainda bem que você cresceu e descobriu que não era ofensa.
canalviva.globo.com

Para refrescar a memória: Buba era a personagem da atriz Maria Luiza Mendonça na novela “Renascer”. Ainda bem que você cresceu e descobriu que não era ofensa.

6. E nos anos 90 a "ofensa" da vez era Sarita, de "Explode Coração".

Linda personagem, que seria melhor se fosse interpretada por uma trans mesmo, né?
globotv.globo.com

Linda personagem, que seria melhor se fosse interpretada por uma trans mesmo, né?

7. Já no começo da internet, você vivia entrando escondido no Mix Brasil para tentar ver uma foto de nu.

E quando não dava certo apelava para os contos eróticos mesmo.
web.archive.org

E quando não dava certo apelava para os contos eróticos mesmo.

8. E se dava sorte de encontrar uma foto, tinha que ter um DISQUETE pra salvá-la.

E às vezes cabia UMA ÚNICA FOTO.
publicdomainpictures.net

E às vezes cabia UMA ÚNICA FOTO.

9. E ter que limpar TODA VEZ o histórico de navegação.

10. Depois surgiram os bate-papo UOL e o Mirc.

O problema é que custavam uma fortuna e se você morasse com os pais provavelmente dividia o computador com eles, o que tornava as coisas muito difíceis.
Twitter: @g4bzty

O problema é que custavam uma fortuna e se você morasse com os pais provavelmente dividia o computador com eles, o que tornava as coisas muito difíceis.

11. E no ICQ tinha uma lista de contato só de pegação.

E morrendo de medo daquelas pessoas serem fakes.
myce.com

E morrendo de medo daquelas pessoas serem fakes.

12. E sentir MUITO medo de ser reconhecido quando entrava em algum chat.

13. E você passava o telefone de um ORELHÃO para poder falar com o crush, porque não podia correr o risco de seus pais atenderem o telefone de casa.

E mesmo se você fosse rico e tivesse uma linha no seu quarto não poderia correr riscos.
Flickr: pedropavanato

E mesmo se você fosse rico e tivesse uma linha no seu quarto não poderia correr riscos.

14. Se você tinha uma família mais moderna, até podia colecionar revistas das Spice Girls.

Se não tinha, elas iam para o seu esconderijo junto com a G Magazine.
lista.mercadolivre.com.br

Se não tinha, elas iam para o seu esconderijo junto com a G Magazine.

15. Ficar acordado até de madrugada para conseguir assistir "Os Assumidos" no canal a cabo Cinemax.

Não tinha isso de baixar "Queer As Folk" não.
Divulgação.

Não tinha isso de baixar "Queer As Folk" não.

16. A Parada Gay era pra quem era corajoso e tinha só meia dúzia de pessoas.

A quem devemos agradecer muito.
blogsestadao.com.br

A quem devemos agradecer muito.

Veja também: