back to top

Em debate, Doria e Marta viraram BFF e isolaram Haddad

BFF = melhores amigos para sempre. Petista ficou dois blocos sem questionamento. Já Erundina ajudou Haddad ao ligar Marta a Temer e dizer que tucano quer privatizar até cemitério.

publicado

A três dias da eleição e com uma das vagas no segundo turno indefinida entre três candidatos, o líder nas pesquisas, João Doria (PSDB), e Marta Suplicy (PMDB) fizeram uma dobradinha: pouparam-se mutuamente e levantaram bolas, um para outro, para cortar na cabeça do prefeito Fernando Haddad (PT).

A coreografia dos novos BFF (best friends forever, melhores amigos para sempre) foi a seguinte: Marta dirigiu perguntas a Doria, sempre criticando as "promessas não cumpridas" do prefeito, sobre políticas públicas na periferia, habitação e saúde da família. O tucano dirigiu pergunta a ela sobre pixações.

Marta diz que Haddad —com quem disputa lugar no 2º turno— não fez tudo o que prometeu na periferia. Doria responde… https://t.co/cNIMYekBtI

Publicidade

Na periferia, por exemplo, Doria chegou a elogiar os CEUs criados durante a gestão Marta (2001-2004), quando ela ainda estava no PT.

A proximidade era tanta que alguém na plateia chegou a sugerir, com uma elevada dose de sarcasmo, que o tucano e a ex-petista sairiam do debate para jantarem juntos.

Ao tabelarem, eles evitaram o confronto direto com Haddad. O petista passou dois blocos sem responder perguntas e só foi questionado pelos nanicos Luiz Erundina (Psol) e Major Olímpio (SDD).

Ao deixarem a emissora, Doria e Marta foram questionados pelos jornalistas pela parceria. O tucano negou a existência de um "acordo prévio" e a peemedebista disse que preferiu Doria porque ele teve mais tempo de TV no primeiro turno.

De acordo com as pesquisas eleitorais mais recentes, Russomanno, Marta e Haddad brigam pela segunda vaga no segundo turno, contra Doria, o único virtualmente garantido. O último levantamento Ibope traz o seguinte quadro: Doria (28%), Russomanno (22%), Marta (16%) e Haddad (13%).

Doria e Russomanno tabelaram sobre "indústria da multa".

Doria e Russomanno concordam sobre multas. Candidato do PRB responde: "Pois é, Doria, você tá certo…", e promete ca… https://t.co/5u9aSAoLVK

Também houve tabela entre Doria e Russomanno contra Haddad. O tucano perguntou , falando da suposta "indústria das multas".

O segundo colocado começou a resposta concedendo: "concordo com você, Doria" e prometeu suspender todos os processos abertos pela prefeitura contra motoristas acusados de infrações de trânsito. Doria prometeu fazer a Guarda Civil Metropolitana "proteger a população" em vez de "ficar multando".

Numa resposta a Erundina, Haddad se defendeu das acusações de ter montado uma máquina de arrecadar com multas de trânsito. Ele defendeu a redução dos limites de velocidade no município.

Publicidade

Haddad tentou constranger Marta quando perguntou a ela sobre sua proposta de recriar a inspeção veicular no município.

Durante a gestão Gilberto Kassab (2006-2012), a concessionária das vistorias, a Controlar, esteve no centro de um escândalo sob suspeita de pagamento de propinas. A pergunta tinha objetivo de ligar Marta a Kassab, que a apóia.

A ex-prefeita disse que a inspeção será "gratuita e opcional". "Quem não quer, não vai e pronto", respondeu.

Marta devolveu dizendo que o petista não entregou todos os CEUs e obras na saúde que prometeu na campanha de 2012.

Erundina fez Marta defender Temer e chamou Doria de lobista.


Coube a Luiza Erundina a artilharia mais política contra Doria e Marta. Ao perguntar sobre desemprego, a candidata do Psol ligou Marta ao governo Michel Temer.

A peemedebista se alterou: "Tenha paciência, a culpa da crise não é do governo que tem alguns meses. A culpa é da incompetência de Dilma Rousseff".

Marta Suplicy foi ministra da Cultura entre 2012 e 2014, no primeiro mandato de Dilma.

Quando discutiam a política pública para o lixo em São Paulo, a candidata do Psol foi crítica em relação ao adversário, que é defensor aberto das privatizações: "Ser moderno é querer privatizar cemitério?".

Erundina também chamou o tucano de lobista, afirmando que os fóruns empresariais que ele organizou na iniciativa privada usaram "quase unicamente recursos públicos".

Erundina ataca Doria, que defende privatizar e recebeu verba pública para fazer fóruns de empresários. "É um capitalismo sem risco", espetou

Doria disse que respeita Erundina, mas que é "gestor, e não político" e é contra "o Estado inchado". "Somos diferentes", disse o tucano.

Doria repete que não é político, mas lembra que seu pai foi deputado cassado pela ditadura militar. Manteve o discu… https://t.co/T3GGSiyYta

A candidata do Psol disse que o adversário, ao negar a política, "deseduca a juventude".


Graciliano Rocha é Editor de Notícias do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email graciliano.rocha@buzzfeed.com.

Contact Graciliano Rocha at graciliano.rocha@buzzfeed.com.

Tatiana Farah é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ela pelo email tatiana.farah@buzzfeed.com.

Contact Tatiana Farah at Tatiana.Farah@buzzfeed.com.

Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email alexandre.aragao@buzzfeed.com

Contact Alexandre Aragão at alexandre.aragao@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.