back to top

SP tem protesto gigantesco após Temer desdenhar "40 pessoas"

PM começou a atirar bombas quando multidão ia embora. Polícia diz que foi acionada após depredação do metrô. Seguranças do metrô disseram ao BuzzFeed Brasil que não chamaram os policiais.

publicado

São Paulo viveu neste domingo o maior protesto contra o presidente Michel Temer desde que ele assumiu o governo. Gritos que predominaram: "Fora, Temer" e "Diretas Já".

Ironicamente, a manifestação aconteceu um dia depois que o presidente Michel Temer desdenhou, durante viagem à China, os protestos contra o seu governo.

"As 40 pessoas que quebram carro?", disse Temer.

Publicidade

Leia aqui.

Não foi possível obter uma estimativa independente do número de participantes. Organizadores disseram que havia 100 mil pessoas. A Polícia Militar não divulgou estimativa.

Mas tinha muita gente.

Segundo @sptrans_, passeata atravessa av. Brasil, nos Jardins, enquanto últimos manifestantes deixam a Paulista, a 2,5 km.

Publicidade

O ato foi organizado por movimentos de esquerda, como a frente Povo Sem Medo e Brasil Popular, lideradas por organizações como MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto).

Mas havia muita adesão espontânea. Gente que foi à rua sem ligação com movimentos organizados.

Teve muito barulho.

Primeiros manifestantes começaram a passeata pela Rebouças há 40 minutos, mas ainda há multidão na Paulista.

Teve caixão do Temer.

A marcha ocorreu sem incidentes.

Largo da Batata, destino da manifestação contra Temer, agora à noite.

O ato foi encerrado e organizadores pediram para os manifestantes irem embora com tranquilidade. Guilherme Boulos, do MTST, chegou a pedir que as pessoas não entrassem "na provocação da PM".

Mas, por volta das 20h45, aconteceu isso aqui...bombas, gás e jatos d'água.

Foi depois que o ato tinha terminado e a maior parte das pessoas já tinha ido embora.

Manifestantes dão as mãos na frente da PM. Ativista discursou que "maioria dos PMs é honesta e vive do salário".

Ainda não está claro por que a PM começou a atirar bombas e gás. A PM afirma que reagiu depois de que supostamente um grupo tentou depredar com "barras de ferro" a estação Faria Lima.

Mas o BuzzFeed Brasil ouviu quatro seguranças da estação. E eles contaram uma história bem diferente.

Eles dizem que algumas pedras –não barras de ferro–foram atiradas. Mas que eles fecharam as portas antes e que não acionaram a PM. Não havia sinais aparentes de depredação no metrô.