back to top

16 dos métodos de tortura mais absurdos da história

Aviso: Este post NÃO é para os fracos! Está avisado.

publicado

1. O Garfo dos Hereges

O Garfo dos Hereges era um aparelho de tortura especial reservado aqueles que discursavam contra a Igreja Católica durante a Idade Média. Com duas extremidades pontiagudas, o aparelho era preso ao pescoço da vítima e removido somente depois que ela disesse as palavras "Eu retiro o que disse".
Public Domain / Via godchild.buzz

O Garfo dos Hereges era um aparelho de tortura especial reservado aqueles que discursavam contra a Igreja Católica durante a Idade Média. Com duas extremidades pontiagudas, o aparelho era preso ao pescoço da vítima e removido somente depois que ela disesse as palavras "Eu retiro o que disse".

2. O Berço de Judas

Nos tempos medievais, o Berço de Judas estava entre os métodos de tortura mais perturbadores. As vítimas eram penduradas acima de um aparelho em forma de pirâmide e forçadas para baixo sobre a ponta.
Public Domain / Via mgdlite.deviantart.com

Nos tempos medievais, o Berço de Judas estava entre os métodos de tortura mais perturbadores. As vítimas eram penduradas acima de um aparelho em forma de pirâmide e forçadas para baixo sobre a ponta.

3. Tortura dos Ratos

Também conhecida por aquela cena de Game of Thrones, a tortura dos ratos era popular na Alemanha medieval e na antiguidade da China. Neste método, um recipiente com ratos famintos era colocado sobre a barriga da vítima. Enquanto o recipiente era aquecido lentamente, os ratos aflitos começavam a roer qualquer coisa que estivesse em seu caminho. Quem poderia culpá-los?
Thinkstock

Também conhecida por aquela cena de Game of Thrones, a tortura dos ratos era popular na Alemanha medieval e na antiguidade da China. Neste método, um recipiente com ratos famintos era colocado sobre a barriga da vítima. Enquanto o recipiente era aquecido lentamente, os ratos aflitos começavam a roer qualquer coisa que estivesse em seu caminho. Quem poderia culpá-los?

4. O Touro de Bronze

A lenda diz que, durante o século 6 a.C., um artesão de bronze chamado Perilous de Atenas projetou o que supostamente seria o método de tortura mais sádico de todos os tempos: o Touro de Bronze. Neste método de tortura, a vítima era colocada dentro de um touro de bronze oco que era posto em cima de uma fogueira. Um sistema de tubos dentro da estátua amplificava os gritos da vítima de modo que o som parecia o som emitido por um touro. A história nos conta que o governante tirano Phalaris ficou tão horrorizado com o aparelho que enganou Perilous e o convenceu a entrar no touro para ser sua primeira vítima.
Public Domain / Via en.wikipedia.org

A lenda diz que, durante o século 6 a.C., um artesão de bronze chamado Perilous de Atenas projetou o que supostamente seria o método de tortura mais sádico de todos os tempos: o Touro de Bronze. Neste método de tortura, a vítima era colocada dentro de um touro de bronze oco que era posto em cima de uma fogueira. Um sistema de tubos dentro da estátua amplificava os gritos da vítima de modo que o som parecia o som emitido por um touro. A história nos conta que o governante tirano Phalaris ficou tão horrorizado com o aparelho que enganou Perilous e o convenceu a entrar no touro para ser sua primeira vítima.

5. Reboque de Quilha

Durante o século XVIII, o Reboque de Quilha era uma forma popular de punição para piratas e marinheiros. As vítimas eram amarradas ao navio e atiradas ao mar para serem rebocadas. As conchas quebradas no casco do barco rasgavam a pele das vítimas, o que geralmente atraía algum tubarão faminto que estivesse à espreita nas profundezas.
Public Domain / Via en.wikipedia.org

Durante o século XVIII, o Reboque de Quilha era uma forma popular de punição para piratas e marinheiros. As vítimas eram amarradas ao navio e atiradas ao mar para serem rebocadas. As conchas quebradas no casco do barco rasgavam a pele das vítimas, o que geralmente atraía algum tubarão faminto que estivesse à espreita nas profundezas.

6. Esfolamento

Ao longo da história, muitas culturas arrancavam a pele das vítimas enquanto elas ainda estavam vivas como punição. Há até mesmo evidências de que os antigos assírios chegavam a pendurar a pele dos seus inimigos derrotados nas muralhas das cidades como aviso para os demais.
Public Domain / Via en.wikipedia.org

Ao longo da história, muitas culturas arrancavam a pele das vítimas enquanto elas ainda estavam vivas como punição. Há até mesmo evidências de que os antigos assírios chegavam a pendurar a pele dos seus inimigos derrotados nas muralhas das cidades como aviso para os demais.

7. A Dama de Ferro

Hulton Archive / Getty Images
Hulton Archive / Getty Images

Associada predominantemente à Inquisição, a Dama ou Donzela de Ferro era um aparelho parecido com um caixão cujo interior era forrado com pregos. A vítima era colocada dentro da câmara e o carrasco fechava a porta. Apesar de muitos expressarem dúvidas de que ela tenha sido usada alguma vez, é fácil imaginar o medo que este aparelho teria causado aos prisioneiros.

8. O Despedaçador de Seios

O Despedaçador de Seios era um instrumento aterrorizante utilizado na Alemanha medieval para rasgar os seios das mulheres. Geralmente ele era aquecido ou congelado, depois era preso no seio da mulher a ser arrancado.
Public Domain / Via en.wikipedia.org

O Despedaçador de Seios era um instrumento aterrorizante utilizado na Alemanha medieval para rasgar os seios das mulheres. Geralmente ele era aquecido ou congelado, depois era preso no seio da mulher a ser arrancado.

9. Ling-chi

Também conhecido como "morte por mil cortes", o Lingchi ganhou popularidade durante o século XIV na Dinastia Ming. Ele era reservado para os crimes mais graves e consistia basicamente em cortar todo o corpo da vítima de maneira metódica e lenta.
Public Domain / Via en.wikipedia.org

Também conhecido como "morte por mil cortes", o Lingchi ganhou popularidade durante o século XIV na Dinastia Ming. Ele era reservado para os crimes mais graves e consistia basicamente em cortar todo o corpo da vítima de maneira metódica e lenta.

10. Escafismo

O Escafismo é quase tão desagradável quanto o restante da lista. Neste antigo método de tortura persa, a vítima é forçada a ingerir uma grande quantidade de leite e mel até ocorrer uma diarreia. Em seguida, ela era mergulhada em mais mel, amarrada a um barco a remo e deixada à deriva para ser consumida por insetos. Se os insetos não matassem a vítima, então a desidratação, a exposição e o choque causado por conta de a vítima se afogar em suas próprias fezes fariam o trabalho.
Thinkstock

O Escafismo é quase tão desagradável quanto o restante da lista. Neste antigo método de tortura persa, a vítima é forçada a ingerir uma grande quantidade de leite e mel até ocorrer uma diarreia. Em seguida, ela era mergulhada em mais mel, amarrada a um barco a remo e deixada à deriva para ser consumida por insetos. Se os insetos não matassem a vítima, então a desidratação, a exposição e o choque causado por conta de a vítima se afogar em suas próprias fezes fariam o trabalho.

11. As Botas

Relatos históricos descreveram as botas como a "punição mais severa e cruel do mundo". Neste método, botas de ferro ou de madeira eram colocadas nas pernas das vítimas e cunhas sólidas eram inseridas entre as pernas e as paredes das botas. Um golpe de marreta empurrava a cunha cada vez mais para dentro da bota, causando uma dor insuportável para a vítima.
Public Domain / Via Flickr: britishlibrary

Relatos históricos descreveram as botas como a "punição mais severa e cruel do mundo". Neste método, botas de ferro ou de madeira eram colocadas nas pernas das vítimas e cunhas sólidas eram inseridas entre as pernas e as paredes das botas. Um golpe de marreta empurrava a cunha cada vez mais para dentro da bota, causando uma dor insuportável para a vítima.

12. A Rédea da Censura

A Rédea da Censura era usada como forma de humilhação e tortura pública para aqueles que eram acusados de infidelidade, prostituição ou bruxaria. Uma máscara de ferro era colocada e trancada na cabeça das vítimas, enquanto o seu bocal cheio de pregos impedia a vítima de falar.
Universal History Archive / Getty Images

A Rédea da Censura era usada como forma de humilhação e tortura pública para aqueles que eram acusados de infidelidade, prostituição ou bruxaria. Uma máscara de ferro era colocada e trancada na cabeça das vítimas, enquanto o seu bocal cheio de pregos impedia a vítima de falar.

13. A Cadeira de Tortura Chinesa

Usada para interrogar pessoas na China do século XIX, esta cadeira cheia de lâminas causaria uma morte lenta e dolorosa a qualquer pessoa amarrada a ela. Felizmente, especialistas acreditam agora que provável que ela fosse apresentada como símbolo de poder, e não fosse efetivamente usada como instrumento de tortura.
Rex / Shutterstock

Usada para interrogar pessoas na China do século XIX, esta cadeira cheia de lâminas causaria uma morte lenta e dolorosa a qualquer pessoa amarrada a ela. Felizmente, especialistas acreditam agora que provável que ela fosse apresentada como símbolo de poder, e não fosse efetivamente usada como instrumento de tortura.

14. A Cremalheira

A Cremalheira é facilmente um dos métodos de tortura mais famosos da Europa medieval. A vítima tinha seus tornozelos e pulsos amarrados ao aparelho, enquanto dois carrascos giravam as engrenagens da cremalheira. Lentamente, a máquina puxava os membros das vítimas em direções opostas até que o corpo fosse desmembrado.
Hulton Archive / Getty Images

A Cremalheira é facilmente um dos métodos de tortura mais famosos da Europa medieval. A vítima tinha seus tornozelos e pulsos amarrados ao aparelho, enquanto dois carrascos giravam as engrenagens da cremalheira. Lentamente, a máquina puxava os membros das vítimas em direções opostas até que o corpo fosse desmembrado.

15. Tortura da Água Chinesa

Na Tortura da Água Chinesa, a vítima era colocada debaixo de um fluxo lento e contínuo de gotas de água durante um longo período de tempo. Eventualmente, a batida lenta e repetitiva da água na testa das vítimas era suficiente para deixá-las completamente loucas.
Thinkstock

Na Tortura da Água Chinesa, a vítima era colocada debaixo de um fluxo lento e contínuo de gotas de água durante um longo período de tempo. Eventualmente, a batida lenta e repetitiva da água na testa das vítimas era suficiente para deixá-las completamente loucas.

16. A Roda da Ruptura

Com este aparelho medieval, a vítima era amarrada a uma grande roda giratória e o carrasco ia dando marretadas na pessoa com um martelo de ferro gigantesco. Esta demonstração horripilante geralmente era considerada um entretenimento para as pessoas da cidade, que se reuniam para assistir.
Public Domain / Via en.wikipedia.org

Com este aparelho medieval, a vítima era amarrada a uma grande roda giratória e o carrasco ia dando marretadas na pessoa com um martelo de ferro gigantesco. Esta demonstração horripilante geralmente era considerada um entretenimento para as pessoas da cidade, que se reuniam para assistir.