back to top

15 ideias simples para melhorar sua rotina em 2018

Porque nós colocamos elas em prática em 2017.

publicado

Todos os meses nós aqui do BuzzFeed Brasil indicamos produtos e ideias que melhoraram nosso dia a dia. Neste post, reunimos práticas que colocamos em nossa rotina no último ano e que podem ajudar seu 2018 a ser mais legal.

1. Deixar o celular longe da cama na hora de dormir.

Isadora Manzaro

Eu sempre tive muita dificuldade para dormir, por isso resolvi mudar alguns hábitos para lidar melhor com esse problema. A primeira mudança? Colocar meu celular longe de mim na hora de dormir.

Sempre dormi com ele carregando na minha cabeceira, ou seja, apenas esticando o braço já conseguia me distrair por horas com aplicativos diversos. O que não ajudava em nada o meu objetivo de dormir, não é mesmo?

Então, comecei a colocar meu celular na mesa do quarto (ilustrado neste belo desenho acima). As primeiras noites foram um tanto estranhas, afinal, mesmo quando ficava desconectada, eu sempre verificava a hora – para fazer aquela coisa masoquista de “se eu dormir agora, quantas horas de sono eu terei até o despertador tocar?”.

Já estou nesse esquema há pouco mais de duas semanas e, mesmo sem dados para comprovar, acredito que estou dormindo com mais facilidade e acordando melhor também! Em geral, acordo antes do despertador, o que mudou agora é que já levanto da cama para desligá-lo no celular e fico de pé desde cedo em vez de ficar deitada esperando tocar. E mesmo quando acordo com o despertador, precisar levantar da cama me faz começar o dia com menos preguiça. Ou seja, comecei 2017 sem promessas, mas com um novo hábito bem agradável na minha rotina. – Isadora Manzaro

2. Praticar meditação guiada com áudio.

giphy.com

A primeira vez que tentei meditar sozinha foi esquisito, não rolou e terminei mais irritada que antes. Aí resolvi tentar a meditação guiada, ou seja com áudio explicando passo a passo o que a sua linda mente precisa fazer durante a prática.

Eu comecei com o aplicativo Headspace, que começa com uma série básica de dez minutos por dia. Sim, só dez minutos são o suficiente quando você faz direitinho. Esse app é pago, mas existem vários áudios disponíveis gratuitamente no YouTube e no Soundcloud, que funcionam do mesmo jeito.

Usar o áudio para me guiar foi muito mais fácil e produtivo. Para começar, as gravações esclarecem que não se trata de esvaziar a mente, já que isso é impossível, e que é totalmente normal se distrair ou pegar no sono durante a prática. Tem horas que parece que eles estão lendo seus pensamentos, por exemplo, aconteceu de eu estar pensando "af, quero terminar logo" e o áudio dizer "é normal ficar entediado, a mente é programada para ser inquieta".

E aí, vrá! Virei a doida (opa, quis dizer a pessoa super focada e calma) da meditação. Terminada a série básica experimentei outras, uma para melhorar o sono, outra sobre aceitação, mas achei que todas são mais ou menos a mesma coisa e o importante é dar esses minutinhos de folga para seu cérebro todos os dias. A saúde mental agradece! – Susana Cristalli

3. Cultivar uma hortinha de temperos em casa.

Alexandre Orrico

Quem pesquisa na internet dicas para ter uma hortinha dentro de casa pode achar que é meio difícil. Claro, se você quer ter plantas perfeitas que parecem saídas do Pinterest, realmente é melhor se preocupar com o pH da terra, cronometrar as horas diárias de Sol, adubar sempre com húmus de minhoca etc.

Mas a verdade é que é muito mais fácil do que parece, principalmente se você quiser só uma mini-hortar bem básica de temperos. Há alguns meses decidi investir um tempinho em cultivar ervinhas que eu sempre uso para cozinhar (tomilho, manjericão, salsinha, hortelã) em vez de comprar no mercado e congelar, o que, aliás, dá um trabalhinho também e não mantém gosto e textura.

Bastam vasinhos furados para que o acúmulo de água não apodreça as raízes; aqui em casa eu aproveitei umas canecas quebradas do BuzzFeed. Folhinhas amareladas podem ser falta de sol e quando as folhas ficam murchinhas, a planta precisam de água. Com isso já dá para começar e, acredite, elas não morrem tão fácil e ainda deixam a casa com um cheirinho gostoso. – Alexandre Orrico

Publicidade

4. Criar um plano de ataque para resolver as inconveniências do dia a dia.

Rafael Capanema

Muitas vezes a gente fica gastando dinheiro à toa em vez de resolver o que realmente precisa no dia a dia. Continuo gastando dinheiro relativamente mal, mas pelo menos de uns meses pra cá consegui usá-lo pra resolver essas inconveniências. A ideia aqui não é indicar produtos específicos — cada casa é, literalmente, um caso—, e sim o CONCEITO (quanta pretensão, mas vem comigo!). O meu plano era melhorar meu home office e ele incluiu resolver tudo poquito a poquito, claro, porque ainda não fiquei rico igual o Luis Fonsi.

Por exemplo: comecei com uma cadeira de escritório confortável, depois de quase um ano sentado na porcaria que o proprietário do apartamento deve ter comprado por R$ 10, no máximo. Problema número um solucionado!

Mas eu ainda passei um bom tempo trabalhando na mesa minúscula embutida dentro da cozinha, do lado da pia. Quando eu lavava louça, a água esguichava no meu COMPIUTER, e nas videoconferências diárias os meus colegas de trabalho tinham que aturar, além da minha carinha, o exaustor amareladão ali atrás.

Daí eu finalmente comprei uma mesa, onde cabem três vidas inteiras, uma penteadeira e um cartão postal que eu tenho do papa Francisco apontando pra alguém e falando "kkkkkkkkk".

Mas só ficou tudo 100% perfeito quando eu fiz as últimas compras, inclusive todas baratinhas: um suporte pro celular, um clipe pra prender cabos (eles sempre escorregavam e caíam, e eu tô velho demais pra ficar me agachando) e a minha paixão maior, uma caixa de guardar cabos. Na verdade ela é feita pra ficar no chão, escondendo a régua de energia, mas pra mim é mais útil em cima da mesa, facilitando o acesso a fios e cabos que eu uso de vez em quando e outras tranqueiras. E ele é muito lindo. Um monólito preto, um monumento à minha paz de espírito. – Rafael Capanema

5. Guardar as folhas de salada lavadas dentro de potes de vidro para elas durarem mais.

Clarissa Passos

Depois de trabalhar o dia todo, quer você adore salada ou esteja comendo por obrigação, a última coisa que você quer é ficar lavando folha – tarefa amplamente reconhecida como uma das mais chatas da vida. Eu gosto, como quantidades cavalares e não tenho saco. Imagina quem tem que comer por obrigação?

Já tentei muitos armazenamentos diferentes e este mês experimentei guardar em vidros, depois de ver a Rita Lobo fazendo isso com os temperos no Cozinha Prática. Funcionou muito bem: se bem lavadas e, sobretudo, bem secas (eu uso um secador de saladas, depois ainda estendo as folhas sobre um pano de prato limpo e cubro com outro, pressionando levemente o pano de cima), as folhas duram pelo menos uma semana como frescas MESMO.

Perfeito para quem não está a fim de ir ao supermercado mais de uma vez por semana – e, por Deus, quem estaria A FIM disso para comprar SALADA?!?! – mas gosta de comer as folhas sempre fresquinhas. – Clarissa Passos

6. Começar a fazer uma aula/exercício em conjunto com algum amigo.

Suria Rocha

Pra começar, nenhuma de nós tem afinidade com esportes ou exercícios físicos. Já tentamos fazer academia várias vezes na vida, porém sempre acontece o famigerado "pagar e não ir". E não é porque a gente tá esbanjando dinheiro, não, o problema sempre foi a falta de incentivo e determinação pra fazer algo que depende apenas de nós mesmas. E se somar com o fato de odiarmos o ambiente da academia então… Piorou.

Um dia durante o almoço, a Guta comentou que tinha vontade de fazer uma aula experimental de pole dance no estúdio da Dani Volpi, que fica aqui perto do escritório. Já tinha passado pela cabeça de todas nós fazer aula de pole algum dia na vida, mas sabe como é, né, a gente se autossabota antes mesmo de começar as coisas com a desculpa de que é caro, é longe, "eu não tenho corpo pra isso", etc.

Resolvemos tomar coragem e estamos fazendo aula juntas na mesma turma. O que a gente percebeu é que o pole não é só um exercício físico, mas um exercício para autoestima — a gente está aprendendo aos poucos a aceitar e lidar com o nosso corpo. O lado bom é que todo mundo está lá exposto do mesmo jeito lidando com as mesmas inseguranças e desafios.

Além disso, não tem essa de preguiça! Se uma de nós não está num bom dia, as outras estão prontas pra incentivar e dar suporte. GRL PWR! – Maria Augusta Batalha, Agatha da Hora, Suria Rocha

7. Explorar lugares diferentes para comer e beber na sua cidade.

Leticia Ginak

São Paulo tem milhares de bares e restaurantes e botecos e lanchonetes, mas a gente se acostuma a ir nos mesmos dez lugares a vida inteira. Sério.

Esse ano, graças ao Guia dois por um, eu comecei a frequentar novos lugares só por causa dos descontos. Ele funciona assim: você compra o guia com 83 lugares com cupons de 50% de desconto, consome tudo em dupla e paga um só. Sim, pode levar o crush. Lembrando que R$ 85,00 é meio salgado, mas em cinco saídas já vai dar pra economizar e fazer o investimento valer a pena.

Passei a experimentar lugares que não conhecia ou que sempre soube que existiam, mas ainda não tinha ido. Conhecer lugares novos, experimentar sanduíches, sobremesas ou drinks diferentes é muito gostoso porque a vida é uma só pra não aproveitar tudo que a gente tem à disposição. Mesmo que você não seja de São Paulo e não tenha esse guia ou todos os milhares de lugares daqui disponível, fica o incentivo para você dar novos rolês.

Dá pra ir num restaurante caro num Dia dos Namorados, por exemplo, ou mesmo colar em botecos baratinhos e nunca antes explorados no fim de semana. – Davi Rocha

Publicidade

8. Trocar farinha branca por farinha integral nas receitas.

Clarissa Passos

Em vez da farinha branca, decidi comprar farinha integral e tentar ingerir carboidratos melhores, já que NÃO ingerir carboidratos é uma opção fora de questão para mim.

Já fiz duas receitas com ela: panquecas simples e torta de liquidificador. E, olha, o resultado é muito bom! O sabor da farinha integral não é tão forte como o de um pão 100% integral, que às vezes assusta os paladares menos acostumados, e dentro da receita ela se dá muito bem!

Só fique atento a um detalhe: às vezes você precisa acertar a proporção de ingredientes líquidos (no caso dos pratos que preparei, fiz isso com o leite) porque as receitas são todas feitas para farinha branca – e a integral tem uma consistência ou secura um pouquinho diferente. Mas não é nada grave: você percebe a olho mesmo. Aprovadíssimo! – Clarissa Passos

9. Fazer roteiros de viagem pinando tudo no Google Maps.

Google Maps

É sempre complicado decidir o roteiro do que fazer em cada dia quando a gente viaja, mas desde que comecei a colocar todas as coisas que acho interessantes em um mapa do Google, minha vida de viajante se tornou muito mais fácil.

Antes de separar o que eu pretendo fazer em cada dia, abro um novo mapa no Google Drive, pino o hotel onde vou ficar (para ter uma referência da região e das distâncias) e começo a pinar os lugares que gostaria de ir, pontos turísticos, museus, bares (muitos bares), restaurantes, lojas e supermercados próximos do hotel. Para cada categoria eu escolho uma cor diferente ou um símbolo, pois fica mais fácil de visualizar o que é cada coisa no mapa depois.

A partir daí, é moleza montar meu roteiro e dividir o que eu vou fazer em cada dia, pois consigo ver exatamente onde fica cada lugar de interesse e quais deles estão mais próximos dos outros. Além disso, é possível abrir o mapa no celular se você precisar fazer alguma consulta na hora ou ver se tem algum ponto de interesse que você tenha marcado por perto.

Essa técnica é muito boa, principalmente se você tiver viajando com mais pessoas, pois o mapa pode ser compartilhado com todo mundo e as outras pessoas também podem adicionar pins de interesse. Se você for louco por organização como eu, depois de pinar tudo, pode abrir uma tabela, também no Google Drive, e separar as abas por dia/país e ir colocando o que você vai fazer em cada um deles. – Suria Rocha

10. Trocar o cineminha de fim de semana pelo teatro.

Victor Nascimento

Tenho amigos atores e passei a frequentar as peças deles nos finais de semana. Acabou sendo uma ótima troca, pois o cinema está bem caro e as peças ficam entre R$ 20 e de graça mesmo. Pra quem paga meia é melhor ainda. Fora que os lugares são sempre legais para tomar um café e bater um papo com os amigos, coisa que o shopping lotado de domingo não permite muito. – Victor Nascimento

11. Dar uma chance para o coletor menstrual.

Flora Paul

Apesar de simpatizar com o coletor menstrual faz tempo (fiz um post com o que você precisa saber sobre ele em 2015), foi só incentivada pela Luísa, editora aqui do Buzz e que usa coletor há anos, que finalmente deixei os absorventes de lado. Não tinha tentando usar coletor antes porque achava que ia ser meio trabalhoso, mas estava totalmente errada!

Existem várias marcas e modelos, por isso vale dar uma pesquisada para se decidir pelo seu. Pedi indicações para amigas no Facebook e me decidi pelo Meluna, um coletor considerado mais macio. Escolhi o tamanho pequeno e com bolinha como haste. Custou R$ 75 mais o frete, chegou em menos de uma semana e confio que vou usá-lo por muito tempo, já que os coletores têm uma vida útil de até dez anos.

Achei ele relativamente pequeno, consegui colocar sem grandes esforços, não tive problema de vazamentos e me adaptei completamente no primeiro ciclo. O melhor: como você pode ficar com ele por até 12 horas, você passa o dia numa boa e só retira, limpa e recoloca ele no conforto do seu lar, com toda a tranquilidade do mundo.

Outra coisa que já tinha ouvido e comprovei: você vai se surpreender com como seu fluxo provavelmente é bem menor do que você imaginava. Sério, dê uma chance para o coletor! Não tenho mais planos de usar absorvente não! – Flora Paul

Publicidade

12. Adotar uma cachorrinha!

Susana Cristalli

Fiz algo que com certeza mudou meu dia a dia: adotei uma cachorrinha vira-lata de três anos, a Niki (em homenagem à personagem de "Orange is the New Black"). Eu já estava há mais de um ano namorando a ideia, mas tinha receio de não dar conta da responsabilidade e das mudanças que isso iria trazer na minha vida. Aí um sábado de manhã fui dar uma espiada na feirinha de adoção que acontece quinzenalmente em uma loja na frente da minha casa e muito simplesmente VOLTEI COM UMA DOG.

Ela já veio castrada e vermifugada, mas mesmo assim no primeiro dia gastei uma grana considerável em check-up no veterinário, ração, anti-pulgas, caminha, guia e alguns brinquedos. Ufa. Mas depois disso os gastos diminuem consideravelmente, ainda mais se você achar um lugar baratinho para dar banho e der a quantidade de ração recomendada. No primeiro dia eu estava levemente em pânico, achando que ia fazer tudo errado, mas logo relaxei.

Minha rotina não virou do avesso, mas algumas mudanças aconteceram. Passei a acordar mais cedo para passear com ela todo dia antes do trabalho, e descobri que andar no meu bairro depois das 22h (quando levo ela para o xixizinho antes de dormir) é super tranquilo e cheio de outros donos de cachorro dando seu rolê. Sempre que possível incluo ela nos meus programas, procurando marcar com os amigos em bares que tenham mesas na calçada, ou optando por fazer exercício no parque em vez que na academia. E quando estou em casa vendo seriados ela vem dormir no meu pé e é gostoso demais. – Susana Cristalli

13. Doar roupas, sapatos e cobertores para o Exército da Salvação.

Exército da Salvação / Via Facebook: pg

Talvez isso já tenha acontecido com você: você finalmente resolve organizar seu armário, separa coisas para doar para quem precisa e depois passa na base aí de um semestre com elas paradas, seja no seu armário ou no porta-malas do carro, sem dar destino real a elas.

É aí que entra o Exército da Salvação, que recolhe as doações na sua casa e distribui para pessoas necessitadas em igrejas e centros educativos em várias partes do país. Você faz o agendamento online dizendo o que tem para doar e que dia gostaria que eles fizessem a retirada. É simples assim. A confirmação de agendamento e um lembrete para você não esquecer da retirada um dia antes chegam por e-mail.

Deu tudo certo, sem nenhuma dificuldade. Deixei duas sacolas na portaria de casa, eles retiraram e enviaram um e-mail confirmando que deu tudo certo. Também recebi uma ligação agradecendo por ajudar, um bônus para deixar o dia mais feliz. Foi um processo muito simples, efetivo e que pretendo repetir sempre! – Flora Paul

14. Usar óleo de coco para hidratrar a pele.

BuzzFeed Brasil

Eu nunca tinha sequer reparado direito no meu cotovelo, até que um dia olhei no espelho e tomei um choque. A pele estava completamente grossa e acinzentada e desde então comecei a reparar que todo mundo tem um cotovelo PODRE. Sério, cotovelos são horríveis e viraram a minha obsessão. Corta para a minha amiga que vivia falando dos múltiplos benefícios do óleo de coco. Daí eu finalmente me rendi e comprei um potinho. Comecei a passar o óleo de coco no cotovelo após o banho todos os dias e em pouco tempo comecei a ver o resultado, deixando aquela pele enrugada mais macia e corada. Sério, meu cotovelo está outra pessoa. – Victor Nascimento

15. Desligar as notificações do celular.

Reprodução

Passei algumas semanas me sentindo meio atropelada pelas tarefas cotidianas, com dificuldade para me organizar. Sabe quando parece que quanto mais você tenta fazer tudo certo, menos consegue se concentrar? Acaba esquecendo as coisas, perdendo prazos e tudo mais. Enfim, 7x1 para a vida adulta.

Eu pensava "mas como é possível que eu esqueça as coisas se eu sempre coloco lembretes e notificações pra tudo?". Então decidi experimentar o oposto e ter MENOS disso: porque se tudo é lembrete nada é lembrete, né. Fui fazer uma limpa nas notificações e ficou bem claro porque elas não estavam funcionando. Eu tinha ativado até as do Soda Crush, sem falar que no calendário eu recebia alerta de aniversário de gente que nem lembro quem é. Isso fazia meu celular apitar constantemente e eu não conseguia priorizar.

Fui radical e tirei todas as notificações do Facebook, Instagram, Messenger e grupos de WhatsApp. A sensação de calma mental foi quase imediata, e desde então acho que consigo me organizar bem melhor, eu nem esperava que funcionasse tão bem. Estou curtindo o silêncio. – Susana Cristalli

Para ter um 2018 melhor, veja posts que podem ajudar sua vida no ano novo clicando aqui.

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.