back to top

"O taxista me chamou de vagabunda e foi machista", diz Kéfera

Youtuber foi condenada a pagar R$ 25 mil a taxista após bate-boca e divulgar o número do celular dele. Ela vai recorrer.

publicado

Condenada a pagar R$ 25 mil por publicar vídeos de uma briga com um
taxista, a youtuber Kéfera disse que vai recorrer da decisão.

Em entrevista ao BuzzFeed News, ela afirmou que foi vítima de agressão do taxista.

"Ele foi muito errado, me largou no meio da Marginal [em São Paulo]. Me xingou de vagabunda, me mandou à merda, foi para cima de mim, tirou o cinto, abriu a porta e me fez sair do carro à força. A decisão [que determinou a indenização] está completamente equivocada", disse.

O episódio ocorreu em 2015, enquanto Kéfera comia numa marmita dentro do táxi. Houve um bate-boca e ela acabou sendo expulsa do carro. Depois, ela divulgou na internet vídeos com a discussão dados do taxista.

A youtuber afirmou ainda que, se o passageiro fosse um homem, o taxista não teria a mesma reação.

"Ele viria para cima de mim? Lógico que não. Fez porque eu era mulher. Estava de shorts, ficou me chamando de vagabunda. Foi extremamente machista e me colocou em perigo."

Segundo Kéfera, o taxista divulgou o endereço dela numa entrevista e, por isso, ela também recebe ameaças. Ela disse ao BuzzFeed News que chegou a passar alguns dias na casa de amigos.

"Ficavam me ligando, interfonando. Eu recebia telefonema à meia-noite. Houve entrega de comidas à meia-noite, de coisas que eu não pedia. Eu não podia passear na rua."

Kéfera disse ainda que vai recorrer da decisão e que trocará de
advogado. Segundo ela, o vídeo do episódio não foi apresentado ao juiz
do processo.

Veja também:

Kéfera é condenada a indenizar taxista em R$ 25 mil por vídeo de "vingança"

Filipe Coutinho é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Filipe Coutinho at filipe.coutinho@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.

Em parceria com