back to top

Mulheres são as que mais sofrem com o desemprego em São Paulo, diz pesquisa

Em todas as regiões da cidade, o número de mulheres desempregadas é maior.

publicado

O índice de desemprego entre mulheres é maior que os homens em qualquer região de São Paulo. É o que mostra estudo que compilou dados de secretarias e Ministério do Trabalho.

O estudo foi feito pela Rede Nossa São Paulo, que divulgou nesta terça-feira (24) o Mapa da Desigualdade 2017.

Aqui está o índice de desemprego entre homens e mulheres, em cada região da cidade.

Nesta imagem, é possível ver, entre as pessoas que têm emprego, como na maioria dos bairros a mulher ganha menos que os homens.

Entre os bairros, há outras diferenças chocantes. Uma delas é o tempo de espera para conseguir uma consulta com clínico geral. No Jaguara, leva-se três dias. Na Liberdade, 76.

Em Guainases, por exemplo, 98% da demanda de creche está atendida. Na Vila Andrade, apenas 39%. Uma família em Guaianases, em média, espera 25 dias para conseguir uma vaga. Na Vila Andrade, 441 dias.

O estudo mostra ainda que as diferenças impactam na qualidade de vida e até na expectativa de vida entre os moradores de São Paulo. No Jardim Paulista, um morador morre com idade média de 79 anos. No Jardim Ângela, vive-se bem menos: 55 anos.


Filipe Coutinho é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Filipe Coutinho at filipe.coutinho@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.

Em parceria com