back to top

Ex-nadador de Stanford condenado por abuso sexual é solto após três meses de prisão

A pena recebida por Brock Turner, de apenas seis meses, já tinha causado revolta nos EUA.

publicado

Brock Turner, ex-aluno e atleta da Universidade de Stanford, saiu da cadeia nesta sexta-feira (2) após cumprir apenas três meses da pena que recebeu por abusar sexualmente de uma mulher inconsciente atrás de um contêiner de lixo em janeiro de 2015.

Ao sair da Penitenciária do Condado de Santa Clara, na Califórnia (EUA), uma multidão o aguardava e gritava: "Você vai pedir desculpas, Brock?". Ele não respondeu e evitou fazer contato visual com as pessoas.

A condenação de Turner, de apenas seis meses de prisão, provocou revolta nos EUA, e uma carta escrita por sua vítima e lida no tribunal foi muito compartilhada nas redes sociais. Nela, a vítima descrevia o impacto que o abuso havia tido em sua vida.

Laurie Smith, delegada do Condado de Santa Clara, esteve na penitenciária na sexta-feira antes da soltura de Turner e defendeu um projeto de lei para aumentar a punição de crimes sexuais contra vítimas alcoolizadas.

Na nota, Smith diz que a "liberdade condicional não é uma sentença justa para condenados por crime de abuso sexual contra vítimas alcoolizadas e inconscientes".

Turner foi condenado por três crimes — abuso com intenção de estuprar uma mulher alcoolizada, penetrar sexualmente uma mulher com um objeto estranho e penetrar sexualmente uma mulher inconsciente com um objeto estranho — no dia 2 de junho.

O ex-nadador foi condenado a seis meses de prisão, mas as autoridades declararam ser normal que condenados sem antecedentes criminais cumpram apenas metade da pena. Além da pena em regime fechado, Turner cumprirá 3 anos em regime semiaberto e será registrado como agressor sexual.

O juiz do Tribunal Superior do Condado de Santa Clara, Aaron Persky, que foi responsável pelo caso, disse durante o julgamento que uma pena mais dura teria um "grave impacto" sobre a vida de Turner. A decisão do juiz causou revolta massiva e protestos contra o que as pessoas viram como complacência escancarada.

Atualmente, Persky é alvo de uma campanha que visa destituí-lo do cargo. Uma reportagem recente do BuzzFeed News revelou que o juiz já havia dado tratamento preferencial a outro estudante e atleta acusado de violência doméstica.


Em parceria com