back to top

A inacreditável história por trás do maior império de notícias falsas da internet

Investigação do BuzzFeed News seguiu o dinheiro gerado por uma rede de dezenas de sites que publicaram ao menos 750 notícias falsas neste ano.

publicado

No início de julho, um site que conseguiu fingir ser uma agência de notícias publicou uma notícia falsa que se tornaria um dos maiores hits sobre a eleição americana na internet.

O site WTOE5News.com, que havia sido criado há menos de duas semanas, compartilhou a seguinte história: "Papa Francisco choca o mundo e anuncia apoio a Donald Trump".

O texto atribuía ao papa duas frases que ele jamais disse, dando conta de que a incompetência do FBI ao investigar a candidata democrata, Hillary Clinton, por ter armazenado emails do Departamento de Estado em um servidor particular, fizeram com que ele optasse por apoiar o republicano Trump.

Até hoje, esse boato registrou mais de 100 mil comentários, compartilhamentos e reações no Facebook, de acordo com a ferramenta de análise BuzzSumo.

Mas o desempenho da notícia falsa foi ainda melhor quando, em setembro, o site Ending the Fed publicou outro link que tinha exatamente o mesmo título. Esse post teve aproximadamente 1 milhão de interações no Facebook e foi a notícia falsa mais acessada durante a eleição americana, de acordo com uma análise do BuzzFeed News.

A segunda versão do boato sobre o apoio do papa Francisco a Trump chamou mais atenção do que a original conforme a preocupação com notícias falsas aumentou. Mesmo assim, pouco foi dito — e é sabido — sobre o site que deu origem a esse hit da mentira.

O site WTOE 5 News não está mais online, e os donos nunca foram identificados. Ele foi encarado como apenas mais um site de notícias falsas, um grão de areia no deserto. No entanto, uma nova investigação do BuzzFeed News revela que o site é parte de uma gigantesca operação de notícias falsas, com presença mundial — uma rede de ao menos 43 sites que, juntos, publicaram mais de 750 textos com informações falsas (veja a lista completa neste link).

Muitas das notícias falsas identificadas pelo BuzzFeed News seguiam um padrão: diziam que uma celebridade muito famosa estava de mudança para uma cidade específica.

Nenhum dos sites informa quem são seus donos, e o registro de todos eles é privado. Para a surpresa de ninguém, a pessoa por trás de um dos maiores esquemas de notícias falsas do mundo deseja permanecer anônima.

Na tentativa de descobrir sua identidade, o BuzzFeed News seguiu um rastro de páginas de notícias falsas até um grupo de sites recém-tirados do ar que incluíam de tudo — de discussões sobre enfermagem a fotos da atriz Jennifer Love Hewitt —, até chegar a uma casa na pequena cidade de Atascadero, na Califórnia, onde vive um homem chamado Justin Smithson.

Esta é a história de um dos maiores impérios de notícias falsas do mundo, e como ele deu à luz a um boato que marcou a eleição americana de 2016.

Steve Arrison achou que o trabalho dele tinha acabado de ficar muito mais fácil.

Ele é responsável pelo escritório que promove o turismo na cidade de Hot Springs, Arkansas. Cerca de 40 mil pessoas vivem na cidade, que recebe aproximadamente 3 milhões de turistas por ano. O trabalho de Arrison é atrair a maior quantidade possível de visitantes. No início de março, uma reportagem fez os cidadãos de Hot Springs pensarem que uma grande celebridade se tornaria vizinha deles.

"Clint Eastwood está se mudando para Hot Springs, Arkansas", dizia o título do texto. Foi compartilhado demais pelos moradores de lá. Até órgãos de mídia estatais falaram sobre o assunto. Mas assim que Arrison clicou no link, ele percebeu que tinha algo estranho.

"Fiz uma pesquisa e vi que o mesmo site havia publicado que a [cantora] Katy Perry estava se mudando para algum lugar no Texas", afirmou Arrison ao BuzzFeed News. "Imediatamente um sinal vermelho se acendeu na minha cabeça. Um monte de gente desperdiçou seu tempo com algo que era flagrantemente falso."

No final de fevereiro, houve um aumento súbito de textos compartilhados no Facebook falando que uma celebridade qualquer estava se mudando para algum lugar inesperado.

A lista de celebridades nos boatos começou a se expandir e em pouco tempo gente como Eminem, Ryan Gosling, Rihanna, Jim Carrey, Samuel L. Jackson, Justin Bieber e Brad Pitt estava se mudando para uns lugares novos, segundo as notícias falsas. Com o passar das semanas, as cidades que apareciam nos títulos passaram a ficar cada vez mais distantes entre si, no mapa.

Essas "reportagens" foram publicadas em sites que se passavam por agências de notícias reais. O design de todos eles era incrivelmente parecido — normalmente, as únicas coisas que variavam de um para o outro eram a cor do fundo e o logotipo no topo. O texto também era um simples esforço de copiar-e-colar: as únicas informações que mudavam de um para outro eram o nome da celebridade e a cidade.

O BuzzFeed News identificou 342 boatos do tipo, espalhados por diferentes sites conectados entre si. Conforme as mentiras cresceram de tamanho e atingiram mais cidades, sites locais começaram a desmascará-las.

Enquanto isso, a rede de sites falsos cresceu e começou a publicar novas variações das mentiras — os enunciados não tinham mais a ver com alguma celebridade se mudando, mas continuaram envolvendo famosos e alguma cidade específica.

Outra variação da mentira dizia que a sequência de alguma grande franquia de Hollywood — como "Star Wars" ou "Uma Linda Mulher" — seria filmada em uma cidade qualquer. O BuzzFeed News identificou 152 notícias falsas do tipo.

Publicidade

Os boatos combinam dois elementos importantes para que eles se espalhem: local e nome conhecidos. Muitas pessoas veem reportagens sobre suas cidades que falam sobre alguma celebridade ou um filme muito famoso e se sentem compelidas a compartilhar no Facebook — o que acaba gerando tráfego para o site, cujo dono ganha dinheiro por meio de anúncios.

Uma análise do conteúdo do site feita com a ferramenta BuzzSumo revela que, apesar de nenhum dos boatos ter viralizado, todos geraram engajamento consistente — na casa das dezenas de milhares —, o que provavelmente ocasionou muitos visitantes ao site, aumentando a receita com publicidade.

O negócio se mostrou lucrativo o suficiente para continuar se expandindo.

Em fevereiro, o BuzzFeed News identificou apenas um site do tipo. Ao final de abril, já havia mais de 20 páginas quase idênticas. Em junho, ao menos 27 estavam em operação — foi o mês em que o WTOE 5, citado no início desta reportagem, foi criado.

A rede de mentiras só cresce — chegou a ter ao menos 44 sites. O mais recente identificado pelo BuzzFeed News, chamado DailyNews5.com, foi registrado no dia 3 de novembro, menos de uma semana antes da eleição americana, quando o problema das notícias falsas ainda não havia atraído muita atenção.

Pouco antes do pleito, até o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, veio a público criticar o compartilhamento de notícias falsas.

Mas em vez de desativar completamente a rede de mentiras, a fim de não chamar atenção, os sites continuam a todo vapor. Uma notícia falsa sobre o próximo Star Wars estar sendo gravado em Roswell, no Novo México, foi publicada esta semana, de acordo com o BuzzSumo.

Quem quer que esteja administrando os sites parece não se preocupar com a revolta pública em relação a notícias falsas. Ou talvez os sites sejam lucrativos demais para serem desativados. Nós queríamos repostas. Então o BuzzFeed news decidiu seguir o dinheiro.


Apesar de a maioria ter sido tirado do ar, quase todos os sites da rede continham o mesmo ID do Google AdSense em seus códigos-fonte. Isso significa que o dinheiro gerado mensalmente pelos anúncios nesses sites ia para uma única conta. Esse ID era usado há anos, em diversos sites, como TehYouTube.com, NursingJobResources.com, JenniferLoveHewittPics.com e KimKardashianPics.com.

O Google não divulga uma lista de quem são os donos de cada ID do AdSense, mas os quatro sites citados acima foram registrados publicamente em nome da mesma pessoa: Justin Smithson, que na época vivia no Missouri, de acordo com os registros. Segundo informações públicas, o mesmo Justin Smithson que vivia no Missouri naquela época hoje mora na cidade de Atascadero, na Califórnia.

Smithson é um piloto de avião, com 30 e poucos anos, que trabalha numa empresa aérea na cidade de San Luis Obispo. Com o passar dos anos, ele registrou vários sites. Em algum momento, Smithson se registrou no Google AdSense para colocar anúncios. Conforme ele lançava novas páginas, usava o mesmo ID do AdSense, deixando um rastro que eventualmente o ligou à rede de notícias falsas.

(Há, é claro, a chance de Smithson ter registrado esses sites para outra pessoa, que depois só adicionou um código de AdSense. Ou que Smithson tenha emprestado a conta dele do AdSense para alguém.)

Além de ser um programador experiente, comentários públicos de Smithson no Facebook indicam que ele tem um conhecimento acima da média sobre o funcionamento da internet. Os dois comentários abaixo, que depois foram deletados, mostram ele compartilhando detalhes sobre o poder de processamento do computador dele, assim como informações sobre a velocidade de conexão que ele mantém em casa.

Registros de sites também revelam que Smithson continua a usar o mesmo email que tinha quando lançou a página JenniferLoveHewittPics.com e outras. No final de novembro, por exemplo, ele registrou o domínio FoxBusiness.xyz. Em setembro, ele comprou o AlexJones.xyz. Assim como ocorre com sites de notícias falsas, esses domínios não informam seus verdadeiros donos no registro.

No início de outubro, o BuzzFeed News entrou em contato com Smithson por email e pediu uma entrevista sobre os sites de notícias falsas. "Eu acho que isso é algum tipo de spam ou golpe, mas se não for... Você pegou a pessoa errada", ele respondeu.

Smithson ignorou as mensagens seguintes, incluindo uma enviada no dia 5 de outubro requisitando um encontro pessoalmente. No dia 6 de outubro, o BuzzFeed News visitou o escritório da empresa em que ele trabalha e a residência dele, em Atascadero. Dois homens estavam na varanda da frente da casa. Quando eles viram a reportagem se aproximando, eles entraram na casa. A reportagem informou que gostaria de falar com Justin, e um dos homens gritou pela janela que não havia ninguém com esse nome.

Depois, um deles ameaçou quebrar o equipamento dos repórteres. Após a publicação desta história, Smithson disse ao BuzzFeed News que ele não vive mais naquela casa.

Daí em diante, Smithson ignorou emails, mensagens de texto e telefonemas. Ele também não respondeu nesta semana, quando o BuzzFeed News enviou perguntas detalhadas e evidências que apontam ele como o dono daquela que pode ser a maior operação de notícias falsas do mundo. (Sem contar esforços patrocinados por países.)

Ao menos 20 dos sites de notícias falsas ainda estão no ar. Os boatos publicados por eles continuam a ser compartilhados, e eles continuam a publicar novas notícias falsas que enganam as pessoas em troca do lucro do AdSense.


Publicidade


Publicidade

Craig Silverman is Media Editor for BuzzFeed News and is based in Toronto.

Contact Craig Silverman at craig.silverman@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.