back to top

O enfermeiro confundido com Uber e atacado por taxistas foi salvo por uma vaquinha

A humanidade tem salvação. ATUALIZAÇÃO: o Sindicato dos Taxistas afirmou que vai ressarcir Jorge.

publicado

O carro era do auxiliar de enfermagem Jorge Carlos Ferreira Santos, que estava indo pro trabalho.

Globo / Via g1.globo.com

"Peço desculpas se machuquei alguém", disse Jorge, que para tentar escapar do cerco atropelou alguns agressores, em entrevista à TV Globo. Ninguém ficou ferido.

Publicidade

Mas não deu tempo. Jorge contou ainda à TV Globo que o carro, seu primeiro, foi adquirido em 48 parcelas, e o seguro infelizmente estava atrasado. Ele trabalha em turnos de 12 horas e ganha R$ 1.700 por mês.

Globo / Via g1.globo.com

"Não tenho raiva de quem fez isso, não tenho rancor deles, nada. Tenho pena", ele contou na reportagem.

Foi pensando nisso que organizaram uma vaquinha virtual para consertar o carro do Jorge. E ela praticamente já chegou ao objetivo.

Reprodução

André Shizuo, que criou a vaquinha, esclareceu sua intenção na descrição. "Não quero fazer apologia a lados, não quero tomar partidos políticos, só quero ajudar essa pessoa que ganha pouco demais pra conseguir pagar pelo conserto do seu carro sozinho".

Publicidade

ATUALIZADO em 13/5, 13:12 - O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores nas Empresas de Táxis no Estado de São Paulo afirmou que vai pagar pelos prejuízos e que não concorda com a agressão a Jorge.