back to top

15 coisas que os terapeutas sexuais querem que você saiba

Aviso: vai ter lição de casa.

publicado

Embora a terapia venha se tornando menos estigmatizada, aparentemente ainda existe confusão e constrangimento a respeito da terapia sexual. Então, para saber mais sobre isso, o BuzzFeed Health conversou com quatro terapeutas sexuais licenciados: Brandy Engler, Doutora em Psicologia, autora do livro The Men on My Couch; Ian Kerner, Ph.D., fundador do site GoodInBed.com; Megan Fleming, Ph.D., fundadora do site GreatLifeGreatSex.com e Dra. Madeleine Castellanos, autora do livro Wanting to Want. E aqui está o que eles querem que as pessoas saibam sobre terapia sexual:

1. A terapia sexual não serve para aprender novas posições sexuais ou para dicas de sexo quente.

NBC / Via infinitesimal7.tumblr.com

"Algumas pessoas acham que a terapia sexual envolve ficar nu, fazer sexo, ser tocado", diz Kerner. "Mas é, sem dúvida, uma terapia de diálogo". Um terapeuta sexual é diferente de um sex coach, um educador sexual ou de um parceiro sexual substituto. Para início de conversa, ele não tocará em você e muito provavelmente não lhe dará nenhuma dica de como melhorar seu sexo oral.

Na verdade, é uma espécie de psicoterapia que pode tratar questões sexuais e de relacionamento através de uma perspectiva biopsicossocial. Geralmente, ela se concentra no problema levantado, com o terapeuta levando em consideração todos os fatores que possam ter alguma influência na situação. "A terapia sexual busca a compreensão da raiz do problema", diz Fleming.

2. Pessoas solteiras também podem fazer terapia sexual.

Paramount Pictures / Via wonderfulworldofwebdesign.tumblr.com

Sério, não é tão esquisito assim. Engler já viu pacientes que querem tratar de certos padrões em suas vidas sexuais — como a sensação de torpor durante encontros casuais, a perda do interesse por alguém após o sexo ou a impressão de não conseguir dar ou receber amor sem dificuldades. Ou alguém pode ir a um terapeuta sexual para lidar com impulsos, fantasias ou comportamentos sexuais com os quais esteja preocupado, diz Kerner. Além disso, você pode ter disfunção erétil, problemas com orgasmo ou ansiedades de desempenho sexual estando comprometido ou não.

Publicidade

3. Se algo está acontecendo, procure ajuda agora e não depois.

Judith / Creative Commons / Via Flickr: judepics

"Caso você tenha alguma disfunção sexual específica, certamente a terapia sexual é o modo mais rápido e eficiente de solucionar isso", diz Castellanos. Esperar demais para tratar da situação pode acabar piorando as coisas, ao agregar ainda mais ansiedade à situação.

Isso porque, com o passar do tempo, a situação piorará e você não conseguirá solucionar as coisas por conta própria. E isso pode gerar muitas conotações negativas com relação ao sexo e afetar negativamente seu relacionamento. "Quanto mais tempo você ficar com o problema, mais difícil será solucioná-lo", diz Castellanos.

4. Não fique surpreso se acabar falando sobre muitas outras coisas além do sexo.

Como seu emprego, sua família, sua saúde mental, seu histórico de relacionamentos. "Sua vida sexual não existe em um vácuo", diz Kerner.

"Algumas das questões podem estar relacionadas a outras ansiedades", afirma Castellanos. "Às vezes parece que a sessão não tem nada a ver com o ato sexual em si, mas na verdade o terapeuta está abordando a maneira como aquela pessoa lida com o sexo."

5. Se você estiver tendo um problema específico durante o sexo, eles podem te ajudar com isso.

Voltage Pictures / Via donjonmovie.tumblr.com

Coisas como ejaculação precoce, impossibilidade de chegar ao orgasmo, ejaculação retardada, problemas de estimulação sexual, disfunção erétil, mudanças na libido, vaginismo ou outras dores durante o sexo e muitos outros. Em alguns casos pode ser uma questão puramente biológica, situação na qual haverá o encaminhamento a um ginecologista ou urologista. Mas, geralmente, há alguns outros fatores envolvidos, diz Kerner.

Tomemos, por exemplo, alguém com problemas eréteis. Isso pode ser resultado de um problema médico, pode ser um caso de ansiedade de desempenho sexual ou talvez esteja relacionado ao seu parceiro. Terapeutas sexuais analisam a questão como um todo — não apenas o ponto da logística sexual.

6. Você não precisa trazer a pessoa com quem está se relacionando — mas deveria fazer isso.

instagram.com

Talvez você tenha vergonha de seu problema ou ache que isso é algo que tem de resolver sozinho. Ou talvez a pessoa com quem você está se relacionando ache que isso é algo que você precisa resolver sozinho. Independentemente, a terapia sexual funciona melhor para o casal quando ambos participam. "Se você está em uma relação, um problema sexual é um verdadeiro problema relacional e é muito mais fácil de ser resolvido quando ambos estão envolvidos", afirma Kerner.

Dito isso, você não precisa se preocupar com o terapeuta se intrometendo na sua vida. "Eu deixo que o casal decida sobre quando estarão preparados para fazer alguma coisa", diz Engler.

7. A terapia sexual também pode te ajudar a ter uma vida sexual fantástica.

instagram.com

"A maioria dos casais deveria experimentar em algum momento", diz Engler. Especialmente caso você perceba alguma grande mudança na vida sexual do casal ou se achar que ela poderia estar melhor. "Em nossa cultura, 'empenho' é uma palavra feia, mas as coisas nas quais você coloca esforço são as que dão os melhores resultados", afirma Fleming.

Uma das reclamações mais comuns que Castellanos ouve dos casais é a de que eles querem que tudo seja mais espontâneo e excitante. A grande dica que ela dá: esqueça a espontaneidade. "O bom sexo requer planejamento. Criar espaço para o erótico abrange tanto o espaço mental quanto o físico — dedicar tempo para que o sexo aconteça."

Publicidade

8. A terapia sexual também pode fazer com que falar sobre sexo se torne menos assustador.

etsy.com

Basicamente você terá um ambiente dedicado, seguro e livre de julgamentos para falar sobre sua vida sexual... com um profissional treinado arbitrando. Então se você achava impossível falar que deseja ir a uma casa de swing, experimentar algo mais excêntrico ou ensinar para sua companheira como gosta de receber o sexo oral, agora é sua chance.

"Caso sinta que não consegue falar sobre sexo em sua relação, a terapia sexual certamente vai te ajudar com isso", diz Castellanos. Até mesmo alguns de seus pacientes, que são muito abertos quando o assunto é sexo, acabam surpresos com as coisas que suas companheiras falam durante a terapia.

9. A maioria das pessoas sente um grande alívio na terapia sexual.

instagram.com

Engler afirma que apesar de as pessoas ficarem nervosas quando chegam para a primeira sessão de terapia sexual, o alívio e o relaxamento que sentem quase que imediatamente é tangível. Fleming concorda: "Sinto uma diferença palpável entre o momento da chegada e o término da sessão. É como um grande suspiro de alívio."

"Minha sensação é a de que eles saem se sentindo bem menos ansiosos, como se tudo fosse mais fácil do que pensavam, e que é muito bom começar a falar sobre sexo", diz Kerner. "Eles se sentem como se uma válvula tivesse sido aberta para diminuir a pressão da situação."

10. Terapeutas sexuais não julgarão você ou suas preferências.

instagram.com

Eles já ouviram de tudo, literalmente. "Às vezes as pessoas chegam, envergonhadas, crentes de que o que dirão me deixará de cabelo em pé. Já estão se preparando para um julgamento", diz Engler.

Mas não é função deles dizer para você que algo é errado, incorreto, imoral ou perigoso. Um bom terapeuta sexual está lá para normalizar, não patologizar, afirma Kerner. "Acreditamos no prazer e em ajudar as pessoas a se sentirem vivas e conectadas, a terem uma relação sexual intensa", assevera Fleming.

11. Provavelmente haverá lição de casa.

Loryn Brantz / Via buzzfeed.com

A maioria dos terapeutas sexuais passa lições de casa durante quase todas (se não em todas) as sessões para por em prática algumas das coisas faladas no consultório. Pode ser algo para que você faça sozinha (como exercícios de relacionamento ou técnicas de respiração durante a masturbação) ou algo para fazer com a pessoa com quem você se relaciona (como escrever sobre suas fantasias ou experimentar algo novo que surgiu durante a terapia). Já que a terapia sexual não envolve nenhuma nudez, é em casa que o verdadeiro progresso ocorre.

12. Terapia sexual é um compromisso de curto prazo.

Logo / Via gif-weenus.com

Em alguns casos, um problema pode ser solucionado em uma ou duas sessões, diz Castellanos, especialmente se for apenas o caso de educar alguém sobre um problema e o que se pode fazer a respeito — como lubrificação reduzida, ejaculação precoce ou mudanças hormonais após a gravidez. Mas caso haja a influência de outros fatores, obviamente poderá levar mais tempo, afirma Kerner (mesmo assim, provavelmente não mais do 8-12 sessões.)

"A duração do tratamento geralmente se baseia nos resultados, sendo que a psicoterapia geral pode durar quanto tempo a pessoa quiser", informa Engler.

13. Provavelmente o seu plano de saúde não cobre terapia sexual.

vimeo.com / Via giphy.com

Infelizmente. Você pode entrar em contato com sua operadora para ver se eles podem indicar algum profissional que esteja coberto, mas a maioria dos terapeutas sexuais não trabalha com plano de saúde. Dito isso, a terapia sexual geralmente exige um compromisso muito mais curto do que o de outras formas de psicoterapia, então o custo total talvez não seja tão pesado quanto você pensa. "Pense nisso como um investimento em sua saúde e bem-estar", diz Fleming.

14. Ser exigente quando estiver procurando por um bom terapeuta sexual é uma boa ideia.

frankieleon / Creative Commons / Via Flickr: armydre2008

Todos os especialistas enfatizaram a importância de buscar um terapeuta sexual licenciado — uma vez que não é necessário ser licenciado para praticar a terapia sexual. Então não esqueça de pedir as credenciais do profissional antes de marcar a consulta. Nos EUA, a Associação Americana de Educadores, Conselheiros e Terapeutas Sexuais (AASECT) é um excelente local para começar sua busca (apesar de nem todos os terapeutas sexuais licenciados serem membros).

Também tenha em mente que diversos profissionais podem atuar como terapeutas sexuais: psicólogos, psiquiatras, assistentes sociais, conselheiros matrimoniais e familiares, enfermeiras e médicos. Dependendo do seu problema, talvez você queira procurar alguém de um campo em específico. E caso prefira um terapeuta com experiência em sua orientação sexual, raça, religião, identidade de gênero ou estilo de vida, não esqueça de falar abertamente sobre isso.

15. A oportunidade para falar abertamente sobre sexo e sexualidade pode ser incrivelmente gratificante.

etsy.com / Via etsy.com

Onde mais você poderá abordar suas fantasias mais secretas, suas maiores curiosidades e todas as outras coisas que você não revela para ninguém? "Fiz a terapia sexual e descobri que é uma experiência muito catártica, foi a inspiração para que me tornasse um terapeuta sexual", diz Kerner. "É um espaço libertador e franco para discutir sobre algo que fazemos muito, mas que nem sempre pensamos a respeito."

"Quero abrir a mente das pessoas para essa ideia", afirma Engler. "É uma via para um autoconhecimento maior. Creio que muitas pessoas associam a terapia sexual a um aspecto localizado, mecânico, como 'tenho de resolver o problema da minha ereção.' Na verdade, ela mudará sua vida num âmbito muito maior."

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss