back to top

11 fatos fascinantes sobre vaginas

Tirando o fato que elas literalmente nos dão VIDA.

publicado

1. Vaginas expandem durante o sexo.

O que faz sentido se alguma vez você já pensou "de jeito nenhum isso vai caber aqui"... e coube. Isso é chamado de elasticidade vaginal e é o que faz seu canal vaginal expandir para tornar a penetração mais confortável. Quando você está excitada, o aumento na tensão muscular compele o útero para cima, proporcionando mais espaço para "trabalhar", de acordo com Debby Herbenick, Ph.D., autora do livro The Coregasm Workout. Muito legal.
Instagram: @bedsider / Via instagram.com

O que faz sentido se alguma vez você já pensou "de jeito nenhum isso vai caber aqui"... e coube. Isso é chamado de elasticidade vaginal e é o que faz seu canal vaginal expandir para tornar a penetração mais confortável.

Quando você está excitada, o aumento na tensão muscular compele o útero para cima, proporcionando mais espaço para "trabalhar", de acordo com Debby Herbenick, Ph.D., autora do livro The Coregasm Workout. Muito legal.

2. Sua vagina sabe quando você está no período fértil.

Caso não esteja utilizando contraceptivos hormonais, sua vagina a alertará sobre sua ovulação, quando a probabilidade de uma gravidez é maior. "Você perceberá uma grande quantidade de um muco meio líquido saindo dela", diz a dra. Alyssa Dweck, ginecologista e obstetra, coautora do livro V Is for Vagina. "A maior parte dessa secreção tem origem no cérvix, parte dela vem da vagina e ela pode ter um odor um pouco diferente do usual." Nota: se você tiver um ciclo menstrual regular de 28 dias, a sua ovulação ocorrerá por volta do 14ª dia (14 dias após o primeiro dia da sua menstruação).
Instagram: @plannedparenthood / Via instagram.com

Caso não esteja utilizando contraceptivos hormonais, sua vagina a alertará sobre sua ovulação, quando a probabilidade de uma gravidez é maior. "Você perceberá uma grande quantidade de um muco meio líquido saindo dela", diz a dra. Alyssa Dweck, ginecologista e obstetra, coautora do livro V Is for Vagina. "A maior parte dessa secreção tem origem no cérvix, parte dela vem da vagina e ela pode ter um odor um pouco diferente do usual."

Nota: se você tiver um ciclo menstrual regular de 28 dias, a sua ovulação ocorrerá por volta do 14ª dia (14 dias após o primeiro dia da sua menstruação).

3. A vagina tem limpeza e regulação próprias.

theglossdotcom.tumblr.com

Pense num forno autolimpante. "A vagina é um ecossistema incrivelmente equilibrado de bactérias, levedura e secreções", afirma a dra. Dweck. Ela também é ácida, o pH vaginal normal fica entre 3,8 e 4,5, o ideal para manter o equilíbrio das bactérias para uma boa saúde vaginal. Ironicamente, as duchinhas e os lenços umedecidos podem desregular o seu pH e te deixar mais suscetível a infecções e irritações.

Isso não significa que você não deva limpar a área externa — sua vulva —, mas basta usar água (caso precise usar um sabonete, assegure-se de que é um simples, não perfumado e com poucos ingredientes).Mais informações aqui. E caso note a ocorrência de um odor diferente, corrimento ou coceira, vá ao seu médico para descartar a probabilidade de infecção.

4. Vaginas fazem o seu próprio lubrificante.

Pouquíssimas partes do corpo podem se gabar disso. Quando você fica excitada, há um aumento do fluxo de sangue no órgão genital, o que causa a lubrificação. Essa lubrificação é oriunda principalmente das paredes vaginais, apesar de parte dela vir dos pequenos lábios e do muco cervical, afirma Herbenick. (Tenha em mente que muitas coisas podem afetar sua capacidade de lubrificação — como contraceptivos, remédios para alergia, amamentação e a menopausa —, então não se preocupe se você tiver de comprar um lubrificante. Totalmente normal.)
Instagram: @look_at_this_pusssy / Via instagram.com

Pouquíssimas partes do corpo podem se gabar disso. Quando você fica excitada, há um aumento do fluxo de sangue no órgão genital, o que causa a lubrificação. Essa lubrificação é oriunda principalmente das paredes vaginais, apesar de parte dela vir dos pequenos lábios e do muco cervical, afirma Herbenick.

(Tenha em mente que muitas coisas podem afetar sua capacidade de lubrificação — como contraceptivos, remédios para alergia, amamentação e a menopausa —, então não se preocupe se você tiver de comprar um lubrificante. Totalmente normal.)

5. Vaginas e vulvas possuem várias formas e tamanhos.

Não é só a vulva (a área externa) que varia de pessoa para pessoa. As vaginas também têm uma pequena variação. Há canais vaginais mais longos, mais curtos, mais largos, mais estreitos, afirma Dweck. Independentemente disso, todas são maravilhosas.
etsy.com / Via instagram.com

Não é só a vulva (a área externa) que varia de pessoa para pessoa. As vaginas também têm uma pequena variação. Há canais vaginais mais longos, mais curtos, mais largos, mais estreitos, afirma Dweck. Independentemente disso, todas são maravilhosas.

6. Sua vagina não deixará que nada fique perdido lá dentro.

Bem no fundo de sua vagina está localizado o cérvix, que atua como o porteiro de uma boate muito exclusiva e não permite que qualquer um entre. "O tamanho da abertura cervical é muito pequeno", diz Herbenick. Até para inserir um DIU você precisa dilatar o seu cérvix e essas coisas são pequenas. E como é que você teve de procurar por aquela camisinha ou absorvente perdidos lá dentro? Lembre-se do que falamos sobre a elasticidade vaginal: a vagina pode expandir quando excitada, por isso é possível que algo seja empurrado para um pouco fora do seu alcance, afirma Herbenick. Mas com tempo e paciência você conseguirá tirá-lo de lá. Caso esteja preocupada, seu médico pode ajudar.
Instagram: @plannedparenthood / Via instagram.com

Bem no fundo de sua vagina está localizado o cérvix, que atua como o porteiro de uma boate muito exclusiva e não permite que qualquer um entre. "O tamanho da abertura cervical é muito pequeno", diz Herbenick. Até para inserir um DIU você precisa dilatar o seu cérvix e essas coisas são pequenas.

E como é que você teve de procurar por aquela camisinha ou absorvente perdidos lá dentro? Lembre-se do que falamos sobre a elasticidade vaginal: a vagina pode expandir quando excitada, por isso é possível que algo seja empurrado para um pouco fora do seu alcance, afirma Herbenick. Mas com tempo e paciência você conseguirá tirá-lo de lá. Caso esteja preocupada, seu médico pode ajudar.

7. Há muitas áreas dentro e em volta da vagina que podem lhe dar prazer.

Quer você prefira penetração vaginal, estímulo do clitóris ou algo totalmente diferente, vamos celebrar o fato de que as vaginas possuem diversos modos de provocar orgasmos.Há milhares de terminações nervosas que causam prazer no clitóris, que se estendem para muito além de onde você consegue ver, diz a dra. Dweck. Também há um tecido erétil na parte posterior da parede vaginal (a área geralmente chamada de ponto G), afirma Herbenick. E os lábios, a entrada vaginal e até mesmo o cérvix também podem dar prazer a algumas pessoas. Então pense na vagina como um parque de diversões, você precisa experimentar algumas áreas e voltar algumas vezes para descobrir o que você prefere.
Netflix / Via artyucko.tumblr.com

Quer você prefira penetração vaginal, estímulo do clitóris ou algo totalmente diferente, vamos celebrar o fato de que as vaginas possuem diversos modos de provocar orgasmos.

Há milhares de terminações nervosas que causam prazer no clitóris, que se estendem para muito além de onde você consegue ver, diz a dra. Dweck. Também há um tecido erétil na parte posterior da parede vaginal (a área geralmente chamada de ponto G), afirma Herbenick. E os lábios, a entrada vaginal e até mesmo o cérvix também podem dar prazer a algumas pessoas. Então pense na vagina como um parque de diversões, você precisa experimentar algumas áreas e voltar algumas vezes para descobrir o que você prefere.

8. Você pode fortalecer sua vagina.

Os músculos e ligamentos que compõem o diafragma pélvico são os responsáveis pelo suporte da vagina, útero, bexiga e reto. E você pode tonificá-los com exercícios Kegel (aprenda como fazer corretamente aqui), o que pode melhorar o controle da sua bexiga e sua, bem, capacidade de prender as coisas.
Cards Against Humanity / Via dollyhardon.tumblr.com

Os músculos e ligamentos que compõem o diafragma pélvico são os responsáveis pelo suporte da vagina, útero, bexiga e reto. E você pode tonificá-los com exercícios Kegel (aprenda como fazer corretamente aqui), o que pode melhorar o controle da sua bexiga e sua, bem, capacidade de prender as coisas.

9. Vaginas podem ficar "chapadas".

Lubrificante de maconha é algo que existe e que supostamente "chapa" a sua vagina. Um pouco. "O ingrediente ativo da marijuana é absorvido naturalmente pelo tecido vaginal, que é muito vascular", diz a dra. Dweck. A maioria das pessoas relata um aumento na sensibilidade ao redor dos genitais, em vez da sensação de "chapado", mas naturalmente isso pode ajudar no ~relaxamento~ dos músculos vaginais, afirma a dra. Dweck.
Instagram: @foriapleasure / Via instagram.com

Lubrificante de maconha é algo que existe e que supostamente "chapa" a sua vagina. Um pouco. "O ingrediente ativo da marijuana é absorvido naturalmente pelo tecido vaginal, que é muito vascular", diz a dra. Dweck. A maioria das pessoas relata um aumento na sensibilidade ao redor dos genitais, em vez da sensação de "chapado", mas naturalmente isso pode ajudar no ~relaxamento~ dos músculos vaginais, afirma a dra. Dweck.

10. Vaginas podem ser criadas e alargadas com cirurgia.

Uma neovagina é um órgão que foi criado através de vaginoplastia. Uma das cirurgias mais comuns é a vaginoplastia de inversão peniana, na qual a pele do pênis e de parte do escroto é costurada e invertida para criar a neovagina, explica a dra. Kathy Rumer, cirurgiã plástica e reconstrutiva que é referência no campo. Parte da glande do pênis é preservada como um clitórias, assim como o pacote neurovascular responsável pela sensibilidade da área e pela excitação. Após uma semana, a paciente é colocado em um programa de dilatação para alargar o canal neovaginal, o que geralmente propicia um alargamento de cerca de 15 ou mais centímetros de profundidade e de 3 a 5 centímetros de diâmetro. Como a neovagina é feita de pele e não de tecido mucoso, ela não possui a lubrificação própria das vaginas, então um lubrificante é essencial durante a relação sexual. "Eu digo às pacientes que neovaginas são como flocos de neve", diz a dra. Rumer. "Elas são todas muito similares, mas também muito singulares para cada pessoa."
Instagram: @mindfully_jackie / Via instagram.com

Uma neovagina é um órgão que foi criado através de vaginoplastia. Uma das cirurgias mais comuns é a vaginoplastia de inversão peniana, na qual a pele do pênis e de parte do escroto é costurada e invertida para criar a neovagina, explica a dra. Kathy Rumer, cirurgiã plástica e reconstrutiva que é referência no campo. Parte da glande do pênis é preservada como um clitórias, assim como o pacote neurovascular responsável pela sensibilidade da área e pela excitação.

Após uma semana, a paciente é colocado em um programa de dilatação para alargar o canal neovaginal, o que geralmente propicia um alargamento de cerca de 15 ou mais centímetros de profundidade e de 3 a 5 centímetros de diâmetro. Como a neovagina é feita de pele e não de tecido mucoso, ela não possui a lubrificação própria das vaginas, então um lubrificante é essencial durante a relação sexual. "Eu digo às pacientes que neovaginas são como flocos de neve", diz a dra. Rumer. "Elas são todas muito similares, mas também muito singulares para cada pessoa."

11. Vaginas permitem que um humano passe por elas e depois se recuperam como se nada tivesse acontecido.

Boa parte do que ocorre durante o parto é facilitada pelas contrações uterinas, que ajudam a empurrar o bebê pela vagina, explica a dra. Dweck. Mas, para sermos honestos, os tecidos flexíveis da vagina também merecem uma medalha pelo que fazem. "Para mim, o incrível do parto é como a vagina eventualmente volta ao seu tamanho pré-gravidez", diz Herbenick. Pesquisas mostram que realmente não há uma diferença significativa no tamanho vaginal após o parto. "A única diferença real para mulheres que passaram pelo parto vaginal é a aparência da entrada vaginal", afirma Herbenick. Mas não tema: seu canal vaginal praticamente não sofre alterações, mesmo após a passagem de um ser humano por ele.
etsy.com / Via etsy.com

Boa parte do que ocorre durante o parto é facilitada pelas contrações uterinas, que ajudam a empurrar o bebê pela vagina, explica a dra. Dweck. Mas, para sermos honestos, os tecidos flexíveis da vagina também merecem uma medalha pelo que fazem.

"Para mim, o incrível do parto é como a vagina eventualmente volta ao seu tamanho pré-gravidez", diz Herbenick. Pesquisas mostram que realmente não há uma diferença significativa no tamanho vaginal após o parto. "A única diferença real para mulheres que passaram pelo parto vaginal é a aparência da entrada vaginal", afirma Herbenick. Mas não tema: seu canal vaginal praticamente não sofre alterações, mesmo após a passagem de um ser humano por ele.

Concluindo: vaginas são incríveis.

Comedy Central / Via giantmonster.tumblr.com

"Eu adoraria ver, ainda em vida, o desaparecimento de todo o tabu e a conotação negativa da palavra 'vagina'", diz a dra. Dweck. "Eu não acho que o órgão receba todo o crédito que lhe é devido!"

12. A Semana De Bem Com o Seu Corpo é voltada para explorar e celebrar nossas complicadas relações com nossos corpos. Você pode ler os posts da Semana De Bem Com o Seu Corpo aqui.

Chris Ritter / BuzzFeed
Você já tem o app do BuzzFeed Brasil?

Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.