back to top

19 hábitos nojentos que você provavelmente tem na cozinha

Pegue suas luvas de borracha e prepare-se para a guerra.

publicado

Para começar, nem todos os germes que estão na sua cozinha são ruins para você.

University of California Berkeley / Via ucresearch.tumblr.com

Antes de desenvolver fobia aos germes, saiba que pesquisas mostram que ser exposto a germes, na verdade, pode ajudar a fortalecer seu sistema imunológico e manter boas bactérias intestinais, disse o Dr. Pritish Tosh, especialista em doenças infecciosas da Mayo Clinic, em Rochester, Minnesota.

Mas você deve evitar os patógenos, que são diferentes dos germes normais. Um patógeno é qualquer bactéria, vírus ou outro organismo que causa doenças e enfermidades. "Patógenos estão por todo o banheiro e a cozinha, mas a cozinha provavelmente é a pior porque não damos tanta importância à limpeza como no banheiro, e a maioria das pessoas tem preguiça de limpar", diz a especialista em germes Dra. Kelly Reynolds, diretora de Ciências da Saúde Ambiental da Universidade do Arizona.

Então, quais são os erros mais comuns que podem aumentar o risco representado por esses patógenos? Veja o que os especialistas pensam:

1. Não aplicar à sua cozinha os mesmos padrões que você exige das cozinhas dos restaurantes que frequenta.

imgur.com

"Obviamente, se nossas cozinhas passassem por uma inspeção da vigilância sanitária, todos nós seríamos reprovados — mesmo os especialistas em germes", disse Reynolds. Mas é claro que devemos tentar seguir as mesmas regras, como evitar a contaminação cruzada de superfícies e alimentos com carne crua, não deixar laticínios muito tempo fora da geladeira e sempre lavar as mãos após ir ao banheiro, diz ela.

Você pode consultar o site do departamento de saúde de seu estado para saber mais sobre as diretrizes para restaurantes e alimentos. Aqui está um arquivo sobre as normas da vigilância sanitária de São Paulo.

Publicidade

2. Preparar carne crua, especialmente de aves, sem lavar e desinfetar constantemente qualquer superfície que ela tocar.

Instagram: @angcunha5 / Via instagram.com

"Cerca de 50% das carnes do supermercado são naturalmente contaminadas por causa da forma como são processadas ​​ou manuseadas", conta Reynolds. Um frango doente pode infectar milhares de outros com patógenos como salmonela, E. coli ou campilobactéria (que causa intoxicação alimentar). Esses patógenos normalmente morrem durante o processo de cozimento. Mas é por isso que você precisa ter bastante cuidado ao preparar carne crua, para evitar a contaminação cruzada de outros alimentos que não serão cozidos, como uma salada.

"Você sempre deve usar panelas, tábuas de corte e utensílios de cozinha separados para carne crua e alimentos não cozidos, a menos que você os higienize entre os usos", explica Tosh. Da mesma forma, uma vez que as mãos são um veículo perfeito para patógenos, você deve lavá-las sempre que tocar em carne crua. É melhor prevenir do que remediar. Saiba mais sobre manuseio e preparo adequados com a FDA.

3. Refrigerar ou descongelar carne crua sem colocá-la em um recipiente extra para evitar vazamentos.

É fácil apenas jogar as carnes cruas em bandejas de isopor e invólucros plásticos direto na geladeira, mas esses recipientes podem vazar facilmente, e os caldos nojentos da carne crua podem escorrer, disse Reynolds. "Esses pingos podem chegar até legumes e frutas guardados na parte de baixo da geladeira e, se tiverem patógenos como salmonela e E. coli, eles vão causar doenças diarreicas terríveis", diz Tosh.

É ainda pior se a carne crua for congelada, porque o excesso de água torna o vazamento mais provável. Os especialistas sugerem colocar a carne em outro recipiente, como um prato de vidro ou Tupperware para fornecer proteção extra.

4. Não desinfetar ou limpar a tábua de corte de modo adequado.

Inxti / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

Sabe todos aqueles sulcos e arranhões na sua tábua de corte? Esses são lugares perfeitos para bactérias e patógenos ficarem presos e contaminarem a próxima coisa que você cortar nela, conta Reynolds. Você precisa desinfetar a tábua sempre que usá-la para cortar carne crua.

Reynolds sugere esfregá-la bem com um detergente antibacteriano, mas você também deve lavá-la semanalmente com uma mistura de água sanitária diluída em água, que vai matar tudo que não presta.

5. Usar uma esponja por muito tempo.

Apichat_naweewong / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

"A esponja é literalmente uma placa de Petri molhada e quente para as bactérias crescerem", disse Tosh. E todos os buracos e fendas abrigam germes, de modo que eles ficam dentro da esponja, onde podem sobreviver por semanas. "Para saber que tipo de doenças estiveram em sua casa no último mês, basta examinar sua esponja de cozinha", explica Reynolds.

Se você só troca a esponja quando ela começa a cheirar mal, isso significa que já faz muito tempo que ela deveria ter sido substituída, pois o cheiro que você está sentindo é de bolor, não das semanas de bactérias acumuladas. Escovas são uma opção melhor, mas, se tiver de usar uma esponja, certifique-se de substituí-la todo mês. Ah, e talvez seja melhor não experimentar aquele truque de colocar a esponja no micro-ondas, a menos que você queira causar um pequeno incêndio.

6. Deixar esponjas ou escovas embaixo da pia ou no balcão, onde elas não secam.

Pradit_ph / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

"Elas podem pegar ainda mais germes de sua pia ou balcão e, visto que estarão em uma poça onde não podem secar por completo, os germes vão crescer ainda mais", diz Reynolds. Em vez disso, prefira um pequeno cesto, suporte de plástico ou escorredor onde elas possam realmente secar e não fiquem em contato com nenhuma superfície nojenta.

Publicidade

7. Esquecer de desinfetar a parte de baixo da pia da cozinha — e comer coisas que caíram lá.

Instagram: @cujiine / Via instagram.com

"As pessoas sempre se esquecem da parte de baixo da pia, mas esse é um dos lugares mais sujos da cozinha, quase tão ruim quanto o banheiro", disse Reynolds. Visto que as pessoas muitas vezes lavam e descartam coisas como carne crua na pia, ela desenvolve uma camada viscosa de bactérias e vírus em volta do ralo e nos cantos que pode ficar lá por semanas.

Então, se você deixar cair qualquer alimento que pretende comer cru (como um tomate-cereja rebelde), lave-o bem. E limpe sua pia uma vez por semana com um spray desinfetante ou enchendo-a com água sanitária diluída em água.

8. Limpar os balcões com uma esponja ou um pano sujos.

Nickelodeon / Via spongegifs.tumblr.com

"Nunca limpe seu balcão com uma esponja; ela tem muitas fendas e superfícies que podem pegar os germes e mantê-los presos nela. Mesmo se você usar a esponja com um spray desinfetante, eles ainda ficarão no balcão", explica Reynolds.

Em vez disso, prefira lenços ou spray desinfetantes, e use toalhas de papel ou um pano ecológico limpo que você pode lavar em um ciclo de higienização quente, tipo um destes.

9. Não higienizar ou substituir suas escovas de lavar louça com frequência suficiente.

Instagram: @okkerpore / Via instagram.com

As escovas com certeza são uma opção melhor para lavar a louça, mas as partículas de alimentos também podem se acumular na escova, deixando-a bastante nojenta. "Você deve enxaguar a louça primeiro para remover pequenas partículas de alimentos presas lá; também mergulhe a escova em água sanitária uma vez por semana para desinfetá-la corretamente", diz Reynolds.

E você já notou uma mancha rosa estranha na parte inferior das cerdas? "Isso na verdade é um tipo de levedura chamado Serratia marcescens, da qual as bactérias se alimentam, de modo que elas podem crescer loucamente", explica Reynolds. Se você vir a mancha rosa, é um sinal de que precisa lavar a escova com água sanitária ou substituí-la o mais rápido possível.

10. Cozinhar enquanto você está doente, especialmente com infecção estomacal.

Alliance / Getty Images / Via thinkstockphotos.com|Close-up|60719|Composition/f=CPIHVX/s=DynamicRank

Você comeria em um restaurante em que o chefe de cozinha tem gastroenterite? Provavelmente não. "Cozinhar quando você está doente, especialmente com uma doença diarreica, pode causar contaminação cruzada de alimentos e surtos de doenças como o norovírus", conta Tosh. Visto que as doenças diarreicas se espalham por via oral-fecal, todos os germes do banheiro vão contaminar a cozinha (e vice-versa), de modo que você pode deixar outras pessoas doentes quando elas comerem alimentos que você preparou com as mãos cobertas de patógenos, explica Tosh.

Então, tente ficar longe da cozinha se você estiver doente ou, pelo menos, certifique-se de limpar todas as superfícies/alças/interruptores de luz com um lenço desinfetante e lavar as mãos com um bom sabonete antibacteriano.

11. Deixar comida muito tempo fora da geladeira.

Instagram: @palvares / Via instagram.com

Quando o alimento é deixado em temperatura ambiente, duas horas depois ele atinge a temperatura ideal para o crescimento de bactérias produtoras de toxinas, o que causa intoxicação alimentar e diarreia. "As coisas devem ficar quentes ou refrigeradas, e é preciso limitar o tempo em que podem atingir uma temperatura que não seja alta o suficiente para matar as bactérias ou baixa o suficiente para impedi-las de crescer", explica Tosh.

Isso obviamente não se aplica a alimentos que devem ficar em temperatura ambiente como pães ou produtos frescos. Os especialistas dizem que os principais vilões são os cozidos e as sopas — e especialmente qualquer tipo de laticínio. "Deixar produtos lácteos e à base de ovos fora da geladeira é muito perigoso, especialmente coisas como maionese ou molho holandês, que contêm gemas cruas, que podem conter salmonela", disse Reynolds. Então, certifique-se de manter seus alimentos na temperatura adequada e tente não pegar aquela maionese de batata que já está há um tempão na mesa de uma festa.

Publicidade

12. Colocar uma panela bem quente com comida na geladeira em vez de passá-la para um Tupperware menor a fim de resfriá-la.

Jackf / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

É bom dar um tempinho para as coisas esfriarem antes de colocá-las na geladeira, mas também é uma boa ideia colocá-las em recipientes menores. "Muitas pessoas têm preguiça e colocam a panela inteira com comida quente na geladeira coberta com um filme plástico, mas não sabem que a panela talvez leve até 24 horas para resfriar totalmente; isso é equivalente a deixar a comida fora da geladeira para as bactérias crescerem por 24 horas", diz Reynolds.

13. Não prestar atenção aos prazos de validade.

Instagram: @shoot_n_shoyu / Via instagram.com

Respeite os prazos de validade de verdade "pois eles dizem exatamente quando o tipo errado de bactérias está em um nível alto o suficiente para causar uma doença", diz Reynolds. O prazo de validade para venda é um pouco mais ambíguo, então você terá de usar de bom critério. Normalmente, Reynolds sugere esperar não mais do que 3-4 dias após o prazo de validade para venda de carne crua e até uma semana para legumes e verduras, mas tenha em mente que algo pode estragar mais cedo se não tiver sido armazenado corretamente no supermercado.

14. Deixar seu gato andar em cima dos balcões onde você prepara e come alimentos.

Instagram: @rickylucy2013 / Via instagram.com

Mesmo que os gatos sejam adoráveis e fofinhos (às vezes), eles podem transmitir todos os tipos de coisas nojentas vindas da caixa de areia que você definitivamente não quer nas superfícies onde prepara e come alimentos. "Os gatos transmitem os patógenos que causam a toxoplasmose de sua caixa de areia, o que não é prejudicial ao gato, mas é muito prejudicial às pessoas, especialmente mulheres grávidas, porque uma infecção pode causar grandes defeitos congênitos no feto", explica Reynolds. Então, tente manter o gato fora do balcão, ou limpe o balcão depois de ele ter passado por lá.

15. Esquecer de lavar legumes e verduras.

Marvlc / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

Um pouco de poeira ou areia não vai te fazer mal, mas há um monte de possíveis agentes patogênicos que podem crescer em coisas como alface ensacada. "Além de uma possível contaminação com os pingos de carne crua na geladeira ou nos balcões, há organismos que preferem temperaturas frias e podem crescer em sacos de legumes e verduras refrigerados", disse Reynolds.

A Listeria — que já causou uma morte e um enorme programa de substituição de alface da Dole recentemente — é um patógeno comum encontrado em produtos ensacados que pode deixar as pessoas gravemente doentes. "Mesmo que sua alface pareça muito boa, uma folhinha solta contaminada com E. Coli pode estragar todo o saco", disse Reynolds. Os especialistas sugerem sempre limpar legumes e verduras ensacados, mesmo que o saco diga que são "pré-lavados".

16. Deixar sobras por muito tempo na geladeira.

Melissabrock1 / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

Todo mundo faz isso. Mas mesmo que suas sobras tenham aparência e cheiro bom uma semana depois, tome cuidado. "O teste do cheiro é meio inútil, pois as bactérias não têm cheiro — e podem dobrar de população a cada 20 minutos", disse Reynolds. Em vez disso, é melhor deixar as sobras na geladeira no máximo por 4-5 dias (e, obviamente, um tempo maior para itens congelados). Se elas tiverem ficado muito tempo em temperatura ambiente antes de você colocá-las na geladeira, elas com certeza vão estragar mais rápido, explica Reynolds; então, deixe no máximo por 3 dias. Tudo bem que é um saco jogar fora uma comida saborosa, mas você já teve gastroenterite? "Eu costumo dizer que, na dúvida, jogue fora", conta Reynolds.

Para mais informações, confira esta super útil tabela de tempo de armazenamento na geladeira e no freezer no site da FDA.

17. Usar o mesmo pano de prato para secar a louça e as mãos.

Olgamiltsova / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

"O pano de prato é outra coisa com que você precisa tomar muito cuidado porque ele pode servir como um local central de transmissão de bactérias", disse Reynolds. E é praticamente um desperdício secar pratos limpos com algo sujo, certo?

Os especialistas concordam que você não deve usar o mesmo pano para secar os pratos e as mãos, e certifique-se de colocar qualquer pano de prato para lavar em um ciclo de higienização quente a cada 1 ou 2 semanas.

18. Esquecer de higienizar o escorredor.

Maxal Tamor / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

Os escorredores realmente são uma ótima opção para secar pratos e utensílios de cozinha porque as coisas secam corretamente, e você não precisa usar o mesmo pano em cada prato. Mas eles ainda precisam ser higienizados de vez em quando. "A água se acumula nos cantos inferiores e na parte de baixo da seção de talheres, de modo que fungos e bactérias podem facilmente crescer ali", disse Reynolds.

Então, certifique-se de que a água escorra corretamente dessas superfícies e limpe-as algumas vezes por mês com água e sabão ou lenços desinfetantes.

19. Esquecer de lavar as mãos do jeito certo. O. Tempo. Inteiro.

Instagram: @mochileolowcost / Via instagram.com

Sempre que você está na cozinha preparando alimentos — especialmente alguma carne crua — é super importante lavar as mãos antes e depois. Mesmo que você esteja apenas esquentando algo para o jantar, você deve se certificar de que suas mãos estejam limpas. É claro que seus próprios germes provavelmente não vão prejudicá-lo, mas você não faz ideia de quantas coisas nojentas você pegou durante um dia na rua (pense apenas no corrimão do metrô).

Compre um bom sabonete antibacteriano, abra a torneira com seu antebraço limpo e seque as mãos com uma toalha limpa. Sempre que começar a ficar com preguiça e não quiser fazer isso, pense em comer em um restaurante onde os cozinheiros não se preocupam em lavar as mãos. ECA.

Em parceria com

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss