back to top

17 coisas que você faz no banheiro que parecem inofensivas mas podem ser perigosas

*encosta nas partes* *encosta na toalha* *encosta na maçaneta*

publicado

Primeiro, a notícia boa: Seu banheiro é geralmente um dos lugares mais limpos da sua casa.

Nickelodeon / youtube.com / Via giphy.com

Isso é porque você geralmente tem mais consciência da frequência com que precisa limpá-lo e as superfícies são mais fáceis de desinfetar do que, digamos, sua sala.

Mas se não estiver limpando as coisas do jeito certo (ou, tá bom, se estiver sendo preguiçoso), seu banheiro pode se transformar em um berçário de germes, bactérias e vírus.

Nickelodeon / Via spongegifs.tumblr.com

Especialmente durante a temporada de gripes e resfriados, que é agora, a propósito.

Então o BuzzFeed Life recorreu a dois especialistas — a dermatologista Dra. Michelle Green e a especialista em germes Kelly Reynolds, Ph.D. — para que elas expliquem como hábitos preguiçosos no banheiro podem te deixar seriamente doente. Veja aqui uma lista básica do que não fazer:

1. Usar a mesma escova de dentes ou se esquecer de ~limpá-la profundamente~ depois de ter ficado doente.

A&M Fillms / Via imgur.com

Quando você escova os dentes estando com uma gripe horrível, todos os germes na sua saliva e muco vão direto para as cerdas e podem sobreviver lá por semanas. Então se você estava doente e finalmente começou a se sentir melhor, pode acontecer de se reinfectar, diz Reynolds.

O exemplo clássico é a infecção na garganta, Reynolds diz, que é tratada logo com antibióticos, então o corpo não cria muita imunidade contra a infecção. Se você escovar os dentes com uma escova infectada pela bactéria estreptocócica, está suscetível a uma segunda infecção. Então se você esteve super doente, Reynolds sugere trocar de escova ou limpá-la bem (como deixá-la de molho no peróxido de hidrogênio por 10 minutos, enxaguar bem e deixar secar.)

2. Ou deixar todas as escovas de dentes juntas na mesma canequinha velha.

https://www.flickr.com/photos/wwworks/11957018764/in/photolist-71zCPq-2LMrhw-94EcJg-cXQof-szAz4L-tf1m5Y-7Ce7YW-5J7xxV-2R8bxv-6vrLb6-jdAR6W-c9KHY7-9fVDLX-ajR6rm-bsVpr-47RPNn-4rkrog-7u5mpz-bAXvJe-6muR1-dadV3j-5Munq-6n2Nub-B4S8iL-5nMwBg-ar49wB-gcq9mk-kbvEF-yH7LZ-4CDCBf-6oMUMV-5ondcQ-2tm7oQ-nALFH-ebqc8m-7HDyvC-7BBZa1-8iPiye-7w2s8A-iNaS2-4BXiwg-4sx55N-8DbXLR-ok3Z5-8LkXif-5tAGu4-3qsq9-5LQvzQ-2cbVj6-5MS5Ma/#

Se você compartilha o banheiro com colegas de quarto, amontoar todas as suas escovas de dentes em um suporte compartilhado é quase inevitável. Mas, se estiver tão cheio que as cerdas estejam se tocando e transmitindo germes, pode ser o mesmo que compartilhar as escovas de dentes com eles (e os parceiros deles). E, se alguém ficar doente, é provável que esses germes cheguem até a sua escova também.

Além disso, você já olhou pro fundo de uma caneca de escovas depois de não lavá-la por um tempo? É como um reservatório de germes, mofo e bolor. Reynolds sugere armazenar as escovas individualmente na vertical ou ter várias canecas para que elas tenham espaço para respirar. E, certamente desinfetar a caneca com uma solução de peróxido de hidrogênio diluída sempre depois de algumas semanas.

Publicidade

3. Deixar seu sabonete em uma saboneteira

Stanley Mayhew / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

Se não tiver buracos nela, ela é só, literalmente, uma placa de Petri para os germes se proliferarem, diz Green. Isso acontece porque um dos lados está sempre molhado, e isso permite que eles cresçam — sim, até no sabonete. Reynolds sugere escolher uma saboneteira que seque adequadamente, ou deixar de lado o sabonete em barra de uma vez por todas e usar o sabonete líquido se você quiser realmente tomar cuidado.

4. Deixar sua cortina de banheiro criar mofo.

Andhal / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

"Esporos de mofo são microscópicos — então se você consegue ver o preto, você tem literalmente milhões de esporos presentes," Reynolds diz. NOJENTO. Além disso, é preciso bem menos esporos de mofo para irritar pessoas com alergias ou asma, que são cerca de 25% da população.

As cortinhas de chuveiro sujas também podem abrigar levedura e fungos, que podem causar infecções se a cortina entrar em contato com a pele exposta, diz Green. A melhor solução é ou substituir a cortina se ela estiver em um estado muito ruim, ou esfregá-la com alvejante, que é super efetivo e barato para a remoção de mofo.

5. Todos secarem as mãos na mesma toalha de mão.

Adam Holesch / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

Apesar de serem mais comumente usadas depois de as pessoas limparem suas mãos, a toalha é o ambiente úmido perfeito para o bolor e os germes se proliferarem. Além disso, nunca se sabe quando alguém a usou no rosto ou na boca, também. Reynolds diz que a melhor opção é ter sua própria toalha de mão individual (faça um código por cor se várias pessoas compartilharem o banheiro) e lavá-la toda semana. E não use a toalha de mão de outra pessoa — você literalmente não faz ideia de quais partes ela tocou e quais germes adquiriu.

6. Pendurar um monte de toalhas sujas e úmidas no mesmo gancho no banheiro.

FOX / Via giphy.com

Se você é culpado desse crime, dá pra literalmente sentir o cheiro de longe. "É quase impossível um monte de toalhas úmidas secarem completamente, então o bolor se acumula rapidamente e cria aquele cheiro inconfundível," diz Reynolds.

Além disso, pendurar sua toalha por cima de outras permite que elas peguem germes e organismos que vivem na pele, como o estafilococos. Reynolds sugere que você pendure cada toalha sozinha e deixe que ela seque completamente em seu próprio gancho no seu quarto. Você também deveria lavá-la no ciclo de água quente usando desinfetante depois de dois ou três usos.

Publicidade

7. Deixar as lâminas no chuveiro.

Instagram: @hk.nz / Via instagram.com

A maioria de nós faz isso. Mas se uma lâmina fica no box molhado por muito tempo, fica contaminada por bactérias e acaba enferrujando, diz Green, e você definitivamente não quer depilar a sua pele com aquilo. Em vez disso, tire-a do chuveiro e deixe em uma toalha de papel ou em um gancho onde ela possa secar completamente. Reynolds também sugere borrifar as lâminas levemente com álcool entre os usos para matar qualquer germe ou bactéria residual.

8. Idem sobre usar lâminas muito após o vencimento de seu prazo de validade

worak CC BY / Via Flickr: worak

Apesar de a maioria das lâminas descartáveis serem irritantemente caras, é sempre mais inteligente repor uma lâmina depois de três a cinco usos, diz Green. (O que significa usar usar um novo aparelho de barbear ou repor apenas a lâmina, se for o caso.) Além do risco de a lâmina enferrujar e ficar coberta por germes como estafilococos, uma lâmina cega tem uma maior probabilidade de cortar a pele ou causar pelos encravados, que aumentam as infecções da pele. Péssimo.

9. Usar buchas por mais de três meses.

Instagram: @hannah.doodle.noodle / Via instagram.com

"Ela acumula germes, bactérias e bolor igual a uma esponja velha e nojenta de cozinha, só é menos óbvio," diz Green. Isso significa que os germes do seu corpo mais os que ela absorve das superfícies no banho. E toda essa história de bactérias na bucha podem ser a maior causa da acne corporal, diz Green.

É melhor não usar, mas se você usa, limpe-as adequadamente enxaguando na água super quente e deixando secar fora do chuveiro entre os usos. E sempre troque as esponjas a cada três meses.

10. Deixar seu vaso sanitário sujo demais.

Woolzian / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

Na verdade não é o assento sanitário que oferece tanto risco, já que são as gotas e vapor de água que vão espirrar até 1,80 metros pra fora do vaso cada vez que você der descarga, diz Reynolds. Essa água (cheia de germes e coliformes fecais) cobre superfícies como o assento, o chão e a pia, se estiver por perto.

Esses germes geralmente são poucos e inofensivos, até que eles se acumulam numa quantidade que pode causar doenças, diz Reynolds. Então, mantenha-se seguro, limpe o vaso sanitário com desinfetante ou alvejante e desinfete as áreas ao redor ao menos uma vez por semana.

Publicidade

11. Esquecer de limpar a maçaneta e espelho de luz.

ntv.co.jp / Via imgur.com

Toda pessoa que se esqueceu de lavar as mãos depois de usar o banheiro, assoou o nariz com uma gripe horrível, ou vomitou com uma virose provavelmente tocou a maçaneta, torneira e interruptor com as mãos sujas, pelo menos uma vez. Essas são algumas das superfícies mais cheias de germes no banheiro, diz Green, porque as mãos são um veículo primário de transmissão.

Mesmo se você é daqueles que lava as mãos o tempo inteiro, você pode facilmente recontaminá-las se tocar esses lugares. Então, lembre-se de limpar esses locais usando um lenço antibactericida ou álcool gel uma ou duas vezes por semana — e todos os dias se alguém que usar o banheiro estiver doente.

12. Usar toalhinhas de limpeza deixadas no chuveiro.

Sasinparaksa / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

As toalhinhas ficam totalmente saturadas de água, então raramente secam antes que você as use de novo, permitindo a proliferação de mofo e bactérias, diz Reynolds. Se ela não secar, acabará ficando toda engomada e dura de sujeira, com células de pele morta e resíduos de sabonete, que é igualmente nojento. Além disso, se você usar a mesma toalhinha no corpo e no rosto, pode acidentalmente transmitir germes fecais para a boca, ficando super doente com norovírus ou E. coli. Então use paninhos diferentes para o corpo e para o rosto, e lave as duas depois de um ou dois usos, sugere Green.

13. Tomar banho em uma banheira que não foi limpa e desinfetada.

Instagram: @laurenahaydel / Via instagram.com

Banhos de banheira são fantásticos. Mas se você compartilha o banheiro e não tomar cuidado, pode acabar nadando em uma banheira de bactérias de outra pessoa, diz Reynolds. Isso inclui estafilococos, e, menos comumente, o Staphylococcus aureus (MRSA), resistente a meticilina, que pode causar sérias infecções com feridas e erupções se entrar pela pele através de um corte, pelo encravado, etc.

Então, antes de relaxar em uma banheira, pense em todos os pés sujos (possivelmente cobertos pela água) que estiveram lá antes de você. Entendeu? Agora esfregue a banheira com alvejante toda semana, especialmente antes do seu banho. Todas essas bombas de banho têm um cheiro ótimo e maravilhoso, mas elas não vão te proteger do MRSA.

14. Passar mais de um mês sem esfregar o chão do banheiro.

Instagram: @meanzchan / Via instagram.com

Os mesmos tipos de germes no seu box vivem no chão, diz Green — isso inclui levedura, pé de atleta e outros fungos do seu pé. Como é geralmente úmido, é um ótimo ambiente para mofo e fungos se proliferarem. O chão do banheiro também está repleto das mesmas gotas e resquícios da privada que mencionamos anteriormente, então passar semanas sem limpá-lo pode expor você a um número grande de germes que você carrega pra dentro da sua casa, pro seu quarto, seu lençol etc.

Reynolds sugere criar o hábito de esfregar rapidamente ou passar um pano no chão do banheiro uma vez por semana com um desinfetante anti-germes ou alvejante. Se alguém que usa aquele banheiro tem um caso grave de pé-de-atleta ou se o pé da pessoa estiver com feridas, é melhor limpar todos os dias até que os pés estejam curados.

Publicidade

15. Deixar o banheiro quente e úmido sem a ventilação adequada.

İsmail Çiydem / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

Como os banheiros já estão muito úmidos, a falta de ventilação faz com que os mesmo mofo e bolor que cresce na cortina do seu banheiro também cresça nas paredes comuns, disse Reynolds. E, a menos que você tenha total medo de germes, você provavelmente não desinfeta as paredes do banheiro. Todo o mofo e bolor das paredes podem gerar alergias e asma em algumas pessoas, e não é muito saudável de respirar toda hora. Se você tiver um ventilador, ligue-o quando estiver tomando banho, ou mantenha uma porta ou janela aberta para ventilar o banheiro de forma adequada. Isso pode reduzir drasticamente a quantidade de fungos.

16. Usar o mesmo tapete sujo de banheiro pra sempre.

Sasinparaksa / Getty Images / Via thinkstockphotos.com

Esporos de mofo, bactérias e fungos podem se acumular no tapete do banheiro e sobreviver por semanas," diz Reynolds — sem contar todo o cabelo e poeira que se acumula no tapete. Seus pés são geralmente mais resistentes, mas se você tem bolhas ou feridas, é mais fácil de eles se infectarem através de um tapete sujo. Reynolds sugere comprar um tapete que possa ser lavado facilmente, e lavá-lo a cada uma ou duas semanas no ciclo quente com desinfetante (ou alvejante). Se seu tapete for feito de madeira ou plástico, você pode borrifar ou passar um pano com antibactericida.

17. Deixar qualquer coisa que vai encostar no seu rosto, olhos ou boca num balcão sujo de banheiro.

Instagram: @allisonbianca / Via instagram.com

Assim como todas as superfícies do banheiro, a pia e o balcão são constantemente contaminados com os germes das nossas mãos e a água que espirra da privada. Colocar coisas sobre eles como pincéis, lápis de olho ou toalhas de limpeza é arriscado, porque você vai acabar transferindo esses germes diretamente para o seu rosto — especialmente se alguma outra pessoa usando o banheiro tiver algum vírus perigoso. Green sugere limpar regularmente a pia do banheiro com um lenço antibactericida, e se você precisar deixar algo como um pincel de maquiagem por lá, faça-o sobre papel higiênico.