back to top

Este clipe está conscientizando a Turquia sobre a violência contra os LGBT

O vídeo já foi visto quase 3 milhões de vezes.

publicado

ISTAMBUL — Um clipe que retrata a história de uma drag queen vem chamando a atenção da Turquia para a violência contra a comunidade LGBT.

O clipe da música "Ses Etme" ("Não Faça Barulho"), da banda turca Athena, conta a história de um grupo de amigos que vão a uma festa montados como drag, onde bebem e dançam com outros rapazes. Ao sair da boate, porém, o protagonista é espancado em uma rua deserta, antes de uma idosa intervir e salvá-lo. O vídeo termina com os dois caminhando juntos para casa.

O clipe já foi assistido quase 3 milhões de vezes desde que foi postado, há cerca de duas semanas.

"A maioria das cenas é parte da minha rotina", disse Onur Gokhan Gercek, drag turca que interpreta o protagonista.

Gercek dançou balé até os 20 anos e vem se apresentando como drag pelos últimos 7 anos. "Nós não esperávamos por toda essa atenção", disse Gercek. "Não é uma declaração política ou algo do gênero. No fim das contas, é um videoclipe. Todos ficaram profundamente tocados com a história. Em uma época onde a homofobia e a transfobia estão em ascensão, a visibilidade da causa LGBT é muito importante e uma necessidade."

A homossexualidade não é ilegal na Turquia, mas a comunidade LGBT encara enormes desafios sociais e legais. Alguns meses atrás, o governador de Istambul baniu os eventos anuais de orgulho LGBT, e a polícia usou gás lacrimogênio e balas de borracha para dispersar os ativistas nos dias dos eventos. A Associação Solidária LGBT de Istambul, fundada em 2007 por um ativistas trans, recebeu recentemente uma ordem do proprietário para desocupar seu escritório alegando que as atividades da associação não eram "apropriadas".

As ameaças e a violência contra a comunidade LGBT na Turquia também parecem estar aumentando. Neste ano, a Turquia teve a maior taxa de assassinato de transgêneros da Europa, segundo o grupo de defesa Transgender Europe. Em agosto, Hande Kader, uma mulher trans, foi estuprada e queimada até a morte em Istambul.

Gercek disse que, quando um gay, uma lésbica ou uma pessoa trans participam de um vídeo ou um filme, sempre há chacotas ou censura. "Ninguém fez isso antes", disse ele, referindo-se ao videoclipe.

"A homofobia e a transfobia estão matando pessoas. Os valores morais são moldados por influências erradas", disse Gercek. "Essa é a razão pela qual a visibilidade é crucial. Nosso objetivo era conscientizar as pessoas, e acho que conseguimos isso."

Assista abaixo ao clipe:

Veja este vídeo no YouTube

youtube.com

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss