27 de jan de 2017

    17 fatos sobre viagens espaciais que vão deixar você de boca aberta

    Os robôs praticamente já tomaram conta do Sistema Solar, e isso é ótimo.

    1. Satélites não estão flutuando no espaço. Eles estão sempre caindo, na verdade.

    Lookang / CC / Via commons.wikimedia.org

    A gravidade é quase tão forte na órbita terrestre baixa – onde está a Estação Espacial Internacional e muitos outros satélites – quanto é na superfície da Terra. Mas todos os satélites estão se movendo tão rapidamente que eles conseguem acompanhar a curvatura da Terra. Se estivessem se movendo um pouco mais lentamente, eles entrariam em uma espiral interna e poderiam colidir; se estivessem se movendo mais rápido, entrariam em uma espiral externa e ficariam perdidos no Espaço.

    2. Quase todo o peso de um foguete na plataforma de lançamento vem do combustível.

    NASA / Via en.wikipedia.org

    Há algumas equações complicadas relacionadas às viagens ao Espaço. Se você quer levar objetos à órbita, precisa fazê-los viajar a cerca de 10 km por segundo – e mais rápido se quiser sair da órbita. Para isso, é preciso ter muito combustível. Mas, para levar essa quantidade de combustível, é preciso mais combustível. E para levar esse combustível... bom, os números vão aumentando rapidamente. Cerca de 85% das 2.000 toneladas dos foguetes Saturn V usados nos lançamentos à Lua eram basicamente combustível.

    3. Quando uma espaçonave usa um planeta para ganhar velocidade, o planeta perde um pouco de velocidade.

    ESA / Via i.imgur.com

    Naves espaciais aumentam com frequência suas velocidades ao voarem perto de um planeta. Mas isso rouba um pouco da energia do planeta, assim como faz com a nave. Quando a sonda espacial Voyager 1 voou sobre Júpiter, sua velocidade aumentou em 16.000 metros por segundo (m/s), enquanto a de Júpiter reduziu 0.00000000000000000001m/s.

    4. Se a Terra fosse do tamanho de uma bola de futebol, então os humanos teriam chegado a 2 cm da superfície desde que fomos à Lua, 44 anos atrás.

    Pumbaa80 / mattbuck / BuzzFeed / CC / Via commons.wikimedia.org

    Quase todos os voos espaciais acontecem na órbita terrestre baixa, ou seja, a cerca de 1.000 km do chão. Os únicos humanos que saíram da órbita foram os 24 homens da missão Apolo à Lua, que terminou em 1972.

    5. Aliás, se a Terra fosse do tamanho de uma bola de futebol, o Sol teria 25 metros de diâmetro. Sim, o Sol é bem grande.

    lmspascale / CC / BuzzFeed / Via en.wikipedia.org

    E também estaria a 2,7 km de distância da Terra. A estrela mais próxima, chamada Proxima Centauri, estaria a mais de 70 mil km de distância. O Universo é bem grande.

    6. Mas estamos na era de ouro dos robôs. Há dois deles percorrendo a superfície de Marte neste exato momento.

    NASA / JPL / Via en.wikipedia.org

    Essa selfie foi tirada pelo Curiosity, o último robô a chegar à superfície de Marte. Ele já encontrou coisas extraordinárias, como evidências de água corrente no planeta. O outro robô ativo é o Opportunity, que tem percorrido Marte há 12 anos.

    7. E há alguns outros que falharam em serviço no planeta vermelho.

    XKCD / Via xkcd.com

    "Dia 1 de 90
    - 89 dias pela frente!

    Dia 88 de 90
    - Dois dias até voltar para casa!

    Dia 91 de 90
    - ?

    Dia 103 de 90
    - Talvez eu não tenha feito um bom trabalho.

    Dia 127 de 90
    - Talvez se eu fizer um bom trabalho, eles me deixem voltar para casa.

    Dia 857 de 90
    - Pensei que tinha analisado aquela pedra direitinho. Tudo bem, vou tentar fazer melhor da próxima vez.

    Dia 1328 de 90
    - Tempestade de areia, a bateria acabando. Mas um bom robô continuaria em frente. Um bom robô como eles queriam.

    Dia 1944 de 90
    - Oh, não. Estou preso.
    Eu fiz um bom trabalho? Eu posso voltar para casa? Pessoal?
    "

    8. Há uma sonda espacial que orbita Saturno há 12 anos.

    NASA / Cassini / Via saturn.jpl.nasa.gov

    Veja aqui as fotos absurdas que ela tem mandado para nós. No ano que vem, ela colidirá com o planeta ao fim de sua missão.

    9. E tem outro que entrou na órbita de Júpiter há menos de um ano.

    After 5 years traveling to #Jupiter, @NASAJuno arrives today! This video shows a peek of its final approach: https://t.co/ysOKuGUWaQ

    Há também uma sonda que aterrissou em um cometa, uma que está voando em volta de Mercúrio e outra em Vênus – basicamente, há um monte de robôs perambulando pelo Sistema Solar.

    10. New Horizons, que passou por Plutão em 2015, está tão distante que suas mensagens de rádio levam 4 horas e 25 minutos para chegar à Terra.

    NASA / Via pluto.jhuapl.edu

    Ela está transmitindo fotos em uma velocidade de dados de cerca de 2kb/s – o equivalente a um modem de internet discada do meio dos anos 80. Ela levará até o fim desse ano para mandar todas as imagens da órbita de Plutão para o centro de controle da missão.

    11. E há os Voyagers. O Voyager 1 está viajando a 17 mil metros por segundo, ou 61 mil km/h. Isso significa uma viagem de Nova York a Londres em cinco minutos.

    NASA / JPL / Via en.wikipedia.org

    As missões Voyager foram lançadas em 1979, visando percorrer áreas fora do Sistema Solar.

    12. Fazer com que a Voyager 1 alcançasse Netuno com precisão foi equivalente a acertar um buraco distante 3.630 km com uma tacada de golfe.

    YouTube / Lookit / Via youtube.com

    Isso "supondo que o jogador pudesse fazer alguns ajustes ilegais durante a trajetória da bola nesse campo de golfe gigante", segundo a NASA.

    13. Embora esteja viajando em alta velocidade, a Voyager está na verdade aproximando-se da Terra durante parte do ano.

    Tau'olunga / CC / Via en.wikipedia.org

    Isso acontece porque a Terra está se movendo ainda mais rápido – cerca de 30 mil km/s ou 107 mil km/h. Sinta o vento nos seus cabelos! (Não é possível, obviamente, porque a atmosfera da Terra está se movendo na mesma velocidade. Senão, você morreria quase que imediatamente.)

    14. E, após 37 anos, a Voyager 1 apenas acabou de sair do Sistema Solar.

    NASA / Via nasa.gov

    Isso dá mais de 20 bilhões de km da Terra, mas significa que ela apenas acabou de atingir o Espaço Interestelar. Se você está se perguntando qual é a fronteira entre o "Sistema Solar" e o "Espaço Interestelar", há mais informações aqui (em inglês).

    15. E isso é só o começo. O Voyager precisaria de 73 mil anos para chegar à estrela mais próxima. Se estivesse indo nessa direção.

    NASA / Penn State University / Via en.wikipedia.org

    Não está.

    16. Tudo bem. Nós não vamos chegar a outras estrelas tão cedo, mas nossos robôs poderão tirar fotos incríveis delas...

    Hubble / NASA / Via en.wikipedia.org

    Como essa imagem linda da galáxia espiral M81, tirada pelo telescópio Hubble.

    17. ...e aprender mais e mais a cada dia.

    NASA / Via nasa.gov

    No eixo vertical, o número de novos planetas. No eixo horizontal, o ano da descoberta.

    Vinte anos atrás, não sabíamos se havia qualquer planeta fora do nosso próprio Sistema Solar. Agora, sabemos que há mais de 3 mil, a maioria descoberta pelo telescópio Kepler – que uma vez anunciou 715 novos planetas em um único dia, em 2014.

    Vamos lá, humanos! (E também robôs.)

    Tumblr / NASA / Via q-bit.tumblr.com

    Este post foi traduzido do inglês.

    BuzzFeed Daily

    Keep up with the latest daily buzz with the BuzzFeed Daily newsletter!

    Newsletter signup form