Updated on 14 de ago de 2018. Posted on 13 de ago de 2018

    Pesquisa mostra efeito do exercício físico no combate à depressão

    Fazer exercícios pode fazer você se sentir melhor. Um novo estudo mostrou que alguns tipos são mais eficazes do que outros, mas quase tudo ajuda.

    Um novo estudo no qual mais de 1,2 milhão de pessoas participaram sugere que exercícios podem sim melhorar nosso humor. Além disso, alguns tipos podem ser melhores do que outros.

    Delmaine Donson / Getty Images

    Há muito tempo se sabe que exercícios podem fazer você se sentir melhor – tanto fisica como mentalmente – e que isso pode ter um efeito muito benéfico em casos de depressão.

    Agora, um grande estudo confirmou que mesmo só um pouco de atividade física pode melhorar o humor se comparado a não fazer absolutamente nada. Além disso, alguns tipos de exercícios podem ser mais eficazes do que outros.

    No geral, as pessoas relataram ter uma média de 3,5 dias de problemas de saúde mental por mês, de acordo com o artigo publicado na "Lancet Psychiatry".

    Qualquer tipo de exercício — incluindo caminhar ou fazer trabalhos domésticos — ajudou a reduzir esse número até uma média de 1,5 dias por mês (ou 43%). Esportes coletivos, ciclismo, exercícios aeróbicos e exercícios na academia tiveram o maior efeito, reduzindo os dias de problemas de saúde mental em cerca de 20%. Caminhar, por outro lado, esteve relacionado com uma redução de 10%.

    Pessoas que se exercitavam por 30 a 60 minutos por sessão e 3 a 5 dias por semana pareceram ter os maiores benefícios se comparados àqueles que se exercitavam menos ou mais.

    Na realidade, pessoas que se exercitavam 23 vezes no mês ou por mais de 90 minutos por sessão apresentaram pior saúde mental do que aqueles que se exercitaram menos vezes ou por períodos mais curtos de tempo, observaram os autores.

    No geral, 45 minutos era mais benéfico do que se exercitar por menos tempo e não foi observado nenhum benefício em se exercitar por mais do que uma hora.

    "Não é que todos tenham que sair e correr uma maratona. Na realidade, correr nem foi o mais eficaz", disse o pesquisador que liderou o estudo, Adam Chekroud, ao BuzzFeed News. "Coisas como ioga, caminhar e até mesmo atividades domésticas já traziam benefícios se comparadas a não fazer nada".

    O efeito era ainda maior em pessoas que disseram ter sido diagnosticadas com depressão. Entre esse grupo, aqueles que se exercitavam relataram 7,1 dias por mês em que sua saúde mental estava "ruim" comparado a 10,9 dias por aqueles que não tinham feito exercícios físicos.

    Chekroud, que é professor assistente de psiquiatria da Universidade de Yale (EUA), e seus colegas analisaram dados do Behavioral Risk Factor Surveillance System, ampla pesquisa telefônica que é conduzida todo ano nos Estados Unidos. Neste caso, as pesquisas foram de 2011, 2013 e 2015.

    O estudo descobriu que esportes coletivos são os que mais beneficiam o humor. Porém, o efeito aqui pode não vir do exercício em si, mas do coleguismo da equipe.

    Eclipse_images / Getty Images

    Os esportes coletivos são supostamente a melhor maneira de reduzir o número de dias em que as pessoas se sentem mal por mês. No entanto, isso pode ocorrer devido a outros fatores além do exercício em si, disse Chekroud .

    "Se o benefício dos esportes coletivos fosse apenas a corrida, então deveríamos observar que os esportes coletivos e a corrida têm o mesmo impacto na saúde mental — o que não ocorre", disse Chekroud. "Parece que existe este benefício adicional".

    A estrutura e o convívio social dos esportes coletivos — se eles são o que você curte — podem oferecer benefícios adicionais à saúde mental.

    Então, por que se exercitar faz tão bem para a saúde mental?

    Elenanichizhenova / Getty Images

    Fazer exercícios é bom para o humor por várias razões, disse Chekroud. Uma é neurobiológica, com muitas pesquisas já sugerindo que atividades físicas podem aumentar o fator neurotrófico derivado do cérebro (FNDC) — proteína de crescimento do nervo que pode desempenhar papel no humor — e outros compostos.

    Fazer exercício também tem a ver com convívio social e "coloca estrutura em sua vida — talvez faça você se cansar, talvez faça você dormir melhor... Por isso é um método bastante holístico para tratar uma porção de coisas diferentes", disse.

    É claro que pessoas que se sentem bem podem estar mais propensas a se exercitarem. Desta maneira, pode ser difícil determinar o que veio primeiro — o bom humor ou o exercício.

    No entanto, estudos anteriores, em que algumas pessoas são designadas para fazer exercícios e outras não, sugerem que começar a fazer exercícios pode de fato melhorar o humor.

    E, é claro, fazer exercício não vai funcionar para todo o mundo o tempo todo. A saúde mental é complicada e muitos fatores diferentes podem afetar o humor de qualquer pessoa em determinado dia — incluindo fatores financeiros e sociais fora de seu controle.

    Fazer exercício é "uma ferramenta importante que temos para melhorar a saúde mental, mas não é a única", disse Chekroud. "Eu encorajaria as pessoas a procurar a opinião de um médico e avaliar coisas como medicação, aconselhamento e psicoterapia".

    Chekroud é também o cofundador da Spring Health, plataforma que vende para empresas serviços que visam melhorar a saúde mental de funcionários. Muitos dos coautores do estudo são conselheiros da Spring Health, e a Microsoft, que forneceu os recursos de computação para o estudo, é uma investidora na plataforma. Apesar disso, as agências de financiamento não foram envolvidas na análise dos dados e na publicação dos resultados, disse Chekroud.

    Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

    A tradução deste post (original em inglês) foi editada por Luísa Pessoa.

    Want to be the first to see product recommendations, style hacks, and beauty trends? Sign up for our As/Is newsletter!

    Newsletter signup form