• newsbr badge

E a TFP chegou à vigília antiaborto mandando BUZINAR na frente do hospital

Houve muito bate-boca entre o grupo antiaborto e as pessoas que criaram um grupo de apoio às pacientes. Três viaturas policiais apareceram.

Tatiana Farah/BuzzFeed News

Na reta final dos "40 Dias Pela Vida", uma vigília contra o aborto, o grupo ultradireitista TFP (Tradição, Família e Propriedade) se juntou hoje aos outros católicos que se postam diante do hospital Pérola Byington (no centro de São Paulo), um dos únicos a realizar o aborto legal (em caso de estupro, risco de morte da mãe e anencefalia do feto).

"Buzine contra o aborto", dizia uma placa carregada por um jovem da TFP, animado pelo líder deles, que comandava o grupo com um megafone na manhã desta quinta-feira (31). Um grupo de apoio às pacientes do hospital, que montou uma barraca ao lados dos católicos, chamou a polícia por causa do barulho.

Arquivo pessoal

Foram três viaturas e muito bate-boca entre o grupo anti-aborto e as pessoas que, ao saberem do constrangimento sofrido por algumas pacientes do hospital, decidiram criar um grupo de apoio a elas. O constrangimento sofrido por uma das pacientes foi relatado pelo BuzzFeed News.

A polícia já foi chamada algumas vezes, de parte a parte. Mas o primeiro episódio envolveu uma paciente que se revoltou com a presença do grupo dos 40 Dias, o que resultou no movimento de apoio.

"Dizem que somos pró-aborto. O que somos são vizinhos do hospital, pessoas que se revoltaram com essa violência contra as pacientes do Pérola", afirmou uma das organizadoras do grupo, a escritora Daniela Neves, 47.

Tatiana Farah/BuzzFeed News

Celene Salomão, que coordena o grupo das católicas contra o aborto.

"Nós viemos para cá para apoiar as pessoas que estão sendo injuriadas por esse grupo [de vizinhos], quando elas [as católicas] estão aqui apenas para rezar", disse Frederico Viotti, da TFP, que usava um megafone para coordenar, de forma quase militar, a oração do Angelus ao meio-dia.

Tatiana Farah/BuzzFeed News

Dentro da barraca dos "40 Dias", as mulheres rezavam o terço. Nenhuma quis dar declarações. A coordenadora delas, Celene Salomão de Carvalho, disse apenas: "Só vamos rezar". No ano passado, Celene tentou uma vaga de deputada federal pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, mas não foi eleita.

Tatiana Farah/BuzzFeed News
Tatiana Farah/BuzzFeed News

A barraca de apoio às mulheres que buscam aborto legal.


Tatiana Farah é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ela pelo email tatiana.farah@buzzfeed.com.

Contact Tatiana Farah at Tatiana.Farah@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here

Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, que o reconhecem e identificam como um usuário único, para garantir a melhor experiência de navegação, personalizar conteúdo e anúncios, e melhorar o desempenho do nosso site e serviços. Esses Cookies nos permitem coletar alguns dados pessoais sobre você, como sua ID exclusiva atribuída ao seu dispositivo, endereço de IP, tipo de dispositivo e navegador, conteúdos visualizados ou outras ações realizadas usando nossos serviços, país e idioma selecionados, entre outros. Para saber mais sobre nossa política de cookies, acesse link.

Caso não concorde com o uso cookies dessa forma, você deverá ajustar as configurações de seu navegador ou deixar de acessar o nosso site e serviços. Ao continuar com a navegação em nosso site, você aceita o uso de cookies.