6 de set de 2018

    10 comédias românticas dos anos 2000 classificadas da menos pra mais feminista

    Amamos todas. Mas com algumas... precisamos conversar.

    10. "Love Actually – Simplesmente Amor"

    IMDB / Reprodução

    Pontos contra: ai, por que um filme tão gostosinho passa mensagens tão erradas? A ideia do romance nesse filme é meio machistinha e praticamente todas as mulheres no filme só servem pra serem "musas" de alguém ou ficar tristes porque estão sozinhas ou então são traídas.

    Pontos a favor: ainda que o comportamento deles seja meio (ou totalmente) sem noção, pelo menos os homens do filme não têm medo de demonstrar sentimentos e admitir erros.

    9. "500 Dias com Ela"

    IMDB / Reprodução

    Pontos contra: a protagonista é a própria "manic pixie dream girl", um clichê (inventado por homens) de personagem feminino unidimensional e sem nenhuma profundidade, cujo único traço marcante é o de ser "doidinha" e irresistível, e chegar na hora certa para tirar o protagonista da bad. No filme, ela é pintada como insensível mas se você for ver bem, foi ele que criou uma fantasia idealizada em cima dela.

    Pontos a favor: apesar do filme fazer de tudo para você achar que o "bom moço" é o coitadinho da história, Summer desperta empatia, e o filme desmistifica alguns clichês sobre amor.

    8. "O Diabo Veste Prada"

    IMBD / Reprodução

    Pontos contra: o fato da Andy dar prioridade pro trabalho, e neglicenciar um namorado que não a apoia, são mostrados como defeitos. E a chefona Miranda Priestley alcançou o sucesso mas é infeliz na vida particular, outro clichezinho meio batido.

    Pontos a favor: o feitiço se virou contra o feiticeiro e, apesar de tudo, o filme deu a muitas mulheres incentivo para ter ambição no trabalho.

    7. "O Amor Não Tira Férias"

    Zade Rosenthal / IMDB

    Pontos contra: lá vem ele, o velho estereótipo de que tudo o que uma mulher precisa é que um homem caia do céu pra ela. As relações que acontecem no filme precisariam de bastante esforço na vida real pois os casais moram muito longe, mas na trama tudo se resolve de forma quase mágica.

    Pontos a favor: é escrito e dirigido por uma mulher, Nancy Meyers, mostra a vida das duas protagonistas em paralelo sem nunca colocar uma contra a outra.

    6. "O Diário de Bridget Jones"

    IMBD / Reprodução

    Pontos contra: bom, ela acha o fim do mundo ser solteira depois dos trinta, e suas maiores preocupações na vida são emagrecer e desencalhar.

    Pontos a favor: Bridget não emagrece nem muda o look para ser feliz, apenas encontra alguém que a aprecia por quem é. E, no fundo, a relação com suas amigas e sua mãe (por mais problemática que seja) é sua maior fortaleza.

    5. "Alguém Tem que Ceder"

    IMDB / Reprodução

    Pontos contra: apesar das mulheres no filme serem teoricamente bem-sucedidas, na hora em que aparece um homem tudo passa a girar em torno dele. E não vemos duas mulheres conversando sobre algo que não sejam homens.

    Pontos a favor: a protagonista é uma mulher com mais de 50 anos que se envolve romanticamente tanto com um homem mais velho como um mais jovem (bem antes de "Grace and Frankie"!). Em nenhum momento pensa em desistir da carreira por eles, aliás ela aproveita pra zuar o cara metido a gostosão. E esse filme também é da Nancy Meyers!

    4. "Um Lugar Chamado Notting Hill"

    IMDB / Reprodução

    Pontos contra: a protagonista feminina reproduz alguns dos piores comportamentos de boy-lixo, sendo egoísta e um pouco aproveitadora.

    Pontos a favor: o protagonista masculino foge bastante dos estereótipos de machão, e no filme tem exemplos de relacionamentos saudáveis, tipo o casal de amigos dele no qual a esposa é cadeirante.

    3. "Como Perder um Homem em 10 Dias"

    IMDB / Reprodução

    Pontos contra: todas as personagens femininas são bastante estereotipadas, tem a chefe doida, as ambiciosas sem coração, a que corre atrás dos homens, etc.

    Pontos a favor: logo no início a Andie demonstra que tem interesses profundos e diversificados, e logo depois tem uma cena legal de amizade feminina. E, mesmo sendo uma comédia romântica, tem mulheres conversando entre si sem ser sobre um homem (e isso, nos filmes, não é tão comum como deveria).

    2. "Legalmente Loira"

    IMDB / Reprodução

    Pontos contra: no início a personagem da Reese Witherspoon é uma caricatura da patricinha fútil, ridicularizando meio desnecessariamente esse tipo de menina. Enquanto isso a rival também é um exagero de sisuda e CDF, como se não houvesse meio termo. Além disso, no final a Elle PRECISA arrumar um boy, como se a carreira não fosse suficiente.

    Pontos a favor: para um filme de 2001, "Legalmente Loira" é bem feminista. A transformação da protagonista acontece principalmente por dentro, e ela evolui sem abrir mão de ser quem realmente é. Além disso, a amizade feminina vence sobre a rivalidade.

    1. "10 Coisas que Odeio em Você"

    IMDB / Reprodução

    Pontos contra: todas as personagens adolescentes têm um padrão de beleza um pouco irreal e a menina negra só está lá pra preencher a função de "melhor amiga que entra muda e sai calada". Também parece um pouco que, para ser feminista, você precisa ser mal-humorada e grossa.

    Pontos a favor: as patadas que a Kat dá em todo mundo contêm várias verdades feministas. E já no inicio, na aula de literatura, ela questiona por que não estudam livros de mulheres, e o professor rebate que também não estudam autores negros. Isso num filme adolescente de 1999!

    Veja também:

    Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

    TV and Movies

    Get all the best moments in pop culture & entertainment delivered to your inbox.

    Newsletter signup form