• newsbr badge

Militares do Brasil são céticos sobre queda rápida de Maduro

O jogo que parecia pender em favor da oposição mudou. As imagens e as informações mais importantes sobre o que está acontecendo na Venezuela.

Apesar de perceberam fissuras nas forças militares da Venezuela, generais brasileiros ouvidos pelo BuzzFeed News são cautelosos sobre uma rápida derrubada do regime de Nicolás Maduro.

Na avaliação destes militares ligados ao governo de Jair Bolsonaro, a queda de Maduro pode levar mais tempo do que dá a entender a oposição liderada pelo Juan Guiadó, que se declarou presidente e foi reconhecido por países como Brasil e Estados Unidos.

Segundo estes militares ouvidos pelo BuzzFeed News, a fissura nas forças venezuelanas começa a chegar ao alto escalão militar, mas Maduro ainda teria o controle sobre o Exército, o que garante sua manutenção no poder.

Eles ainda dizem que, devido à guerra de informações, é difícil se traçar um quadro mais preciso sobre o apoio a Maduro e aos dissidentes, num quadro que, ainda de acordo com os militares brasileiros, é obscuro até mesmo para a inteligência do governo dos Estados Unidos.

Após os protestos de terça-feira, Juan Guaidó liderou hoje novas manifestações pelo país.

¡Venezuela, seguimos avanzando! Ayer la Fuerza Armada comenzó a sumarse a la #OperaciónLibertad y desde mañana inicia la participación de nuestros empleados públicos: paros escalonados hasta la huelga general y protesta generalizada. #VamosConTodo

Diversos protestos que estavam agendados foram esvaziados devido à repressão pelas tropas leiais a Maduro, apesar disso, muitos outros conseguiram ser realizados.

#Cumana y #Sucre entero dieron hoy un mensaje a quienes los han querido reducir a vivir de las migajas cuando el Estado fue promesa productiva y turística. Sin luz ni agua, presos de bandas que los hostigan, aún así siguen llenando las calles diciendo #VamosConTodo a ser libres

Durante o discurso de Guaidó, parte dos serviços de internet no país, como do Google e YouTube foram paralisados, segundo relatos da ONG NetBlocks.

Streaming services have now been disrupted in #Venezuela for an hour, starting as Guaido delivered a public speech. Data shows the same services were restored last night allowing internet users to watch adversary Maduro's speech #1May #KeepitOn ⬇️ https://t.co/UEhvvyjVdA

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro disse que a crise na venezuela pode influenciar no preço dos combustíveis no Brasil e assegurou que a possibilidade de o país ingressar em uma intervenção com o vizinho é próxima de zero.

Recebi mensagem do senador @FlavioBolsonaro esclarecendo que a postagem do presidente Bolsonaro em sua conta no Twitter, ontem, sobre a crise na Venezuela não tratava da possibilidade de declaração de guerra. Isso nos tranquiliza, porque é uma postura de respeito ao Parlamento.

Sobre as manifestações de terça, que contaram com parte dos militares dissidentes favoráveis a Guaidó e não foi capaz de derrubar Maduro, Bolsonaro disse não considerar que existiu uma "derrota."

"Não tem derrota nenhuma. Eu até elogio, reconheço o espírito patriótico e democrático que ele tem, por lutar por liberdade em seu país", disse. "O informe que temos é que existe uma fissura sim, que cada vez mais se aproxima da cúpula das Forças Armadas. Então, existe a possibilidade de o governo ruir pelo fato de alguns da cúpula passarem para outro lado", completou.

Bolsonaro ainda destacou que que não está descartada a possibilidade de apoiar uma eventual invasão dos Estados Unidos, mas garantiu que nada acontecerá sem o aval do Congresso Nacional.

Em meio a crise na Venezuela, o chamado Grupo de Lima deve se reunir na próxima sexta-feira, no Peru, para discutir o avanço do movimento que tenta derrubar Maduro na Venezuela.

Além disso, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, entrou em contato com o ministro das relações Exteriores da Rúsusia, Sergei Lavrov, e pediu que o pais encerasse o apoio ao governo de Maduro.

Nesta quarta, a Venezuela está vivenciando uma nova série de protestos nas ruas, com manifestações convocadas tanto por Guaidó quanto por Maduro.

Quedó demostrado que la injerencia, el golpismo y el enfrentamiento armado, no son el camino para nuestra amada Venezuela. La ruta para dirimir las diferencias siempre será la constitucionalidad y el respeto mutuo. Los Patriotas venceremos la violencia y ganaremos la Paz.

Em seu twitter, Maduro disse que a população está se manifestando para impedir um golpe patrocinando pelos Estados Unidos em seu país.

MANIFESTAÇÕES NA VENEZUELA

Federico Parra / AFP / Getty Images

Manifestações em Caracas contra Maduro nesta quarta-feira

Matias Delacroix / AFP / Getty Images

Conflitos foram registrados nas proximidades da base aérea de La Carlota, em Caracas, nesta quarta.

Juan Barreto / AFP / Getty Images

Maduro também conseguiu reunir apoiadores na capital do país em defesa de seu regime


Severino Motta é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Severino Motta at severino.motta@BuzzFeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here

Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, que o reconhecem e identificam como um usuário único, para garantir a melhor experiência de navegação, personalizar conteúdo e anúncios, e melhorar o desempenho do nosso site e serviços. Esses Cookies nos permitem coletar alguns dados pessoais sobre você, como sua ID exclusiva atribuída ao seu dispositivo, endereço de IP, tipo de dispositivo e navegador, conteúdos visualizados ou outras ações realizadas usando nossos serviços, país e idioma selecionados, entre outros. Para saber mais sobre nossa política de cookies, acesse link.

Caso não concorde com o uso cookies dessa forma, você deverá ajustar as configurações de seu navegador ou deixar de acessar o nosso site e serviços. Ao continuar com a navegação em nosso site, você aceita o uso de cookies.