• newsbr badge
26 de fev de 2020

"Infelizmente ajudei a eleger esse cara", diz Frota, arrependido sobre Bolsonaro

Agora, o deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) diz que cabe um pedido de impeachment contra o presidente por ter convocado, via WhatsApp, ato contra o Congresso.

Antonio Cruz - EBC

Alexandre Frota

Um dos aliados mais chegados a Jair Bolsonaro antes dele chegar à Presidência da República, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) afirma que o antigo parceiro pode ter cometido crime de responsabilidade ao disparar mensagens de WhatsApp, convocando apoiadores para ato contra o Congresso Nacional e o STF (Supremo Tribunal Federal), no próximo dia 15.

Pelo Twitter nesta quarta-feira, o presidente não negou ter enviado a mensagem – na verdade, repassou um vídeo em apoio ao ato – e afirmou que usa o aplicativo para trocar mensagens de "cunho pessoal".

"Ele errou imensamente e já assumiu que foi ele que disparou. Pelo menos dessa vez ele foi homem. Não colocou a culpa no filho dele ou num assessor. Pela menos dessa vez ele assumiu o que ele fez", disse Frota ao BuzzFeed News.

"Ele cometeu talvez um dos grandes erros desses últimos meses e abriu uma crise institucional. Ele sabe disso, não poderia ter disparado via WhatsApp convocando os milicianos deles, os bolsonaristas, para fecharem o Congresso. Isso é extremamente antidemocrático”, afirmou.

As reações mais fortes vieram do Judiciário. O presidente do STF, Dias Toffoli, defendeu em nota a atuação dos Poderes e sua independência. “Sociedades livres e desenvolvidas nunca prescindiram de instituições sólidas para manter a sua integridade. Não existe democracia sem um Parlamento atuante, um Judiciário independente e um Executivo já legitimado pelo voto. O Brasil não pode conviver com um clima de disputa permanente. É preciso paz para construir o futuro. A convivência harmônica entre todos é o que constrói uma grande nação”, afirmou o presidente.

O ministro Celso de Mello, decano da corte, disse que, em se confirmando que o presidente enviou a mensagem, Bolsonaro não estaria à altura do cargo que exerce. Ele escreveu mensagem à colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo: “[Seria] a face sombria de um presidente da República que desconhece o valor da ordem constitucional, que ignora o sentido fundamental da separação de Poderes, que demonstra uma visão indigna de quem não está à altura do altíssimo cargo que exerce e cujo ato de inequívoca hostilidade aos demais Poderes da República traduz gesto de ominoso desapreço e de inaceitável degradação do princípio democrático!!!”

Andressa Anholete / Getty Images

"Infelizmente ajudei a eleger esse cara"


Eleito pelo PSL, Alexandre Frota rompeu com o governo ano passado, filiou-se ao PSDB do governador João Doria (SP) e passou a ser uma das vozes mais ruidosas na oposição ao governo.

Na entrevista ao BuzzFeed News, Alexandre Frota fez um mea-culpa do apoio a Bolsonaro: "E Infelizmente eu fiz parte disso. Ajudei a eleger esse cara. O Bolsonaro é um desastre."

O envio da mensagem, segundo o deputado, pode ser passível de impeachment por crime de responsabilidade.

"Já existe junta de advogados estudando essas ações e tão logo a gente tenha um caminho que não possa dar errado, acho que cabe, sim, pedir o impeachment dele", afirmou o deputado.

Frota foi particularmente duro com o general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional, que na semana passada, num áudio vazado durante uma transmissão ao vivo, disse que o Congresso chantageava o governo e que Bolsonaro deveria se valer do apoio popular para mandar um "foda-se" (expressão usada pelo general) ao Congresso.

As declarações de Augusto Heleno impulsionaram a mobilização do ato marcado para o próximo dia 15.

“General Heleno já deveria estar há muito tempo tomando sopa e assistindo sessão da tarde”, estocou o general da reserva.


Severino Motta é repórter do BuzzFeed News, em Brasília

Contact Severino Motta at severino.motta@BuzzFeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here