Updated on 19 de nov de 2019. Posted on 15 de nov de 2019

    22 erros comuns ao visitar o Japão pela primeira vez

    Aprenda agora antes de reservar aquele voo para o Japão, e me agradeça depois.

    1. Não ter um JR Pass. Se você vai viajar para cidades diferentes, o JR Pass ajuda você a economizar muito no transporte e facilita bastante a sua vida. Com ele, você também não vai precisar se preocupar em comprar bilhetes extras.

    2. Não ter o Wi-Fi de bolso. É um ótimo investimento e vai ser muito útil. É difícil encontrar uma rede pública de Wi-Fi até mesmo nas maiores cidades, já que a maioria dos japoneses usa seu próprio plano de dados. O Wi-Fi de bolso acaba com essa necessidade — você terá Wi-Fi em qualquer lugar que estiver.

    Banter Snaps/Unsplash

    Quando eu e minha melhor amiga fomos ao Japão, nós alugamos um Wi-Fi de bolso com acesso ilimitado à internet, e usamos literalmente para tudo durante toda a viagem — tanto para procurar recomendações de restaurantes como para fazer traduções. É incrivelmente útil, especialmente quando você está perdido. Você pode comprar ou alugar um desses aparelhos no site do Japan Rail Pass, como nós fizemos, e pegá-lo no aeroporto ao desembarcar no Japão.

    (Nota do editor: comprar um chip de internet para seu celular também resolve, caso não queira ter que andar com um dispositivo a mais no bolso!)

    3. Achar que vai encontrar uma lixeira em cada esquina. Não tem. Você não vai encontrar nenhuma lixeira mesmo que ande muitos quilômetros. As ruas do Japão são tão absolutamente impecáveis que vão deixar você de boca aberta. Prepare-se para carregar seu lixo com você! E NÃO jogue lixo no chão.

    4. Esperar que todo mundo fale inglês e consiga entender você. Sim, você vai ver muitas placas em inglês. Mas elas estão ali para ajudar os visitantes, e o inglês falado não é muito comum. Você está no país DELES. Seja educado.

    5. Não consultar os horários do transporte público. Os trens no Japão param de funcionar à meia-noite. Então, se você vai desembarcar depois desse horário ou ficar passeando até as 3 da manhã, planeje bem o que vai fazer, ou vai correr o risco de não ter onde ficar ou ter que pegar um táxi. E também anote todas as rotas de transporte para todos os lugares que deseja visitar.

    6. Falar alto no trem com outra pessoa ou ao telefone, ou assoar o nariz em público. Esse é um erro muito frequente dos turistas. Não faça isso de forma alguma. Os japoneses são educados e procuram não incomodar ninguém, por isso eles evitam falar alto, ouvir música alta ou jogar com o som alto no celular. Se você precisar falar, fale em voz baixa.

    Lu/Unsplash

    Em espaços públicos, restaurantes ou cafés silenciosos, e principalmente no trem, você vai perceber que todo mundo fica em silêncio ou é discreto para conversar com alguém. Então, não fale muito alto ou converse ao telefone. Você pode fazer isso, mas de um jeito que não chame a atenção. Ninguém quer ser incomodado com barulho!

    7. Não pesquisar sobre os hábitos, a cultura ou os lugares do Japão.

    8. Não ter a mente aberta sobre as diferenças do Japão em relação ao Ocidente.

    9. Dizer: "Vamos esperar o próximo trem, vai estar mais vazio". HAHAHAHAHA. ERRO DE PRINCIPIANTE! Se esse trem está lotado, o próximo não vai ter espaço nem para a unha do seu pé. Divirta-se esperando na plataforma por séculos! Quando o trem chegar e você conseguir enxergar um espaço mínimo, empurre, aperte e se acotovele para entrar.

    Francesco Ungaro/ Unsplash

    Isso também tem a ver com o motivo de não existir o conceito de espaço pessoal nos trens do Japão. Todos vão ficar grudados em você — o que também significa que você vai ter que ficar grudado nos outros! Se você quiser chegar ao seu destino, é assim que vai ser. Não se preocupe; os japoneses não veem isso como algo grosseiro — eles vão fazer isso com você também (então, não fique nervoso!).

    Quando estávamos esperando na plataforma (com a nossa BAGAGEM, para piorar as coisas), cometemos esse erro. Depois de não conseguir entrar em três trens, resolvemos encarar e empurramos nossa bagagem com tudo, passando por um monte de braços e pernas, forçando as pessoas a se afastar e abrir espaço para nós. E olha só, funcionou! Os trens no Japão são uma verdadeira loucura.

    10. Ficar apenas em Tóquio. É isso mesmo, produção? O Japão é enorme e todas as cidades têm sua beleza própria. Se você não visitar as belas Kyoto e Osaka, cidades menores como Himeji e Kamakura, a fantástica zona rural de Gifu, ou as montanhas de Nikko e Hakone, bem, O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO?

    11. Não saber o horário de funcionamento dos lugares. Agora você já sabe que os trens param à meia-noite, mas em muitas cidades grandes e áreas rurais, lugares que você poderia imaginar que ficam abertos até tarde, na verdade fecham cedo (por volta das 19h) e abrem tarde na manhã seguinte. Por exemplo, tenho certeza de que nós fomos as últimas clientes desse café naquela noite, a julgar pela expressão insatisfeita da coruja.

    12. Ter pressa. Não tenha pressa! Você está em um país lindo. O Japão é muito grande, então você precisa aceitar o fato de que NÃO vai conseguir conhecer tudo. Isso só vai fazer você ficar cansado e frustrado. Vá devagar e aproveite.

    13. Não interagir com os habitantes do local, ou hesitar uma aproximação por causa da barreira linguística ou da cultura. Não tenha medo! Os japoneses são as pessoas mais doces do mundo e a maior parte deles está sempre disposta a ajudar.

    Jérémy Stenuit/Unsplash

    É impressionante a quantidade de vezes que nos perdemos e que alguém nos ajudou quando pedimos, ou alguém se preocupou em ajudar sem a gente pedir — não ficamos desamparadas em nenhum momento! Quando perguntamos a um homem como chegar ao Cruzamento de Shibuya, em vez de apenas indicar o caminho, ele atravessou uma ponte inteira junto com a gente só para ter certeza de que não iríamos nos perder. Duas mulheres, mãe e filha, nos ajudaram a carregar nossas malas por cinco quarteirões até o nosso hotel à 1 da manhã — e nós só tínhamos perguntado como chegar lá! Outra vez, pedimos ajuda para um homem de uma oficina mecânica e mostramos nosso mapa para ele. Quando vimos, todos os mecânicos da oficina se aproximaram para ver o mapa e tentar descobrir como nos ajudar!

    Você já deve ter ouvido falar que se você esquecer o celular, a carteira ou a bolsa em algum lugar, ninguém vai roubar: Seus pertences vão ficar exatamente onde você deixou, e alguém vai ficar tomando conta até que você volte para buscar. Esse é o nível de ajuda e respeito que você vai encontrar! Várias vezes você vai notar que os japoneses percebem quando alguém está perdido ou tentando decifrar um mapa complicado, e que eles se aproximam perguntando se você precisa de ajuda. Além disso, eles estão sempre dispostos a fazer amizade e praticar o inglês com você. Pode acontecer de estranhos pedirem para tirar fotos com você, e mesmo que você fale com eles em japonês, eles vão tentar responder em inglês, tanto por uma questão de educação como para tentar praticar a língua com você: então, não leve a mal.

    14. Pagar a conta na mesa e esperar o garçom voltar para pegar o dinheiro, como no Brasil. Eles não vão fazer isso — você vai ficar sentado lá para sempre. Isso é uma coisa que você não vai saber antes de ir, então já estou avisando com antecedência! Na maioria dos restaurantes, o garçom coloca a conta na sua mesa, mas você tem que levantar e pagar no caixa. É lá que o garçom vai estar te esperando!

    15. Usar sapatos que levam um século para pôr e tirar. Em média, você vai tirar os sapatos de 3 a 5 vezes por dia, dependendo de onde você for. Não fazer isso é considerado anti-higiênico e uma extrema falta de respeito. E não use salto alto, a menos que você queira ferrar seus pés. Muitas cidades do Japão são para pedestres, e o caminho para várias atrações turísticas é apenas a pé. Seja do trem, do ônibus, o que for — você VAI ter que andar!

    Nusrat Sultana/BuzzFeed

    E como você vai ter que tirar os sapatos várias vezes, é melhor usar calçados mais simples como botas e tênis fáceis de pôr e tirar. Calçados muito complicados? Não, obrigada. Além disso, SEMPRE tire os sapatos. Em casas, templos, restaurantes — qualquer lugar que não permita sapatos.

    No Japão, há restaurantes em que você precisa tirar os sapatos, especialmente os mais tradicionais onde se senta no chão. Isso também ocorre em ryokans tradicionais — você tem que tirar os sapatos na entrada e pôr um chinelo para entrar.

    Além disso, os chinelos de banheiro são diferentes: Não entre no banheiro com o mesmo chinelo e NÃO ande pela casa com os chinelos do banheiro! Eles devem ficar do lado de fora da porta do banheiro. Ponha quando for usar o banheiro e troque quando sair. Como é possível perceber, a cultura do Japão é muito voltada para a higiene.

    16. Comer, beber ou fumar enquanto anda na rua. Você dificilmente vai ver um japonês fazendo isso. É um comportamento muito malvisto, e fumar na rua é até proibido em algumas regiões.

    17. Ter apenas cartão de crédito ou débito. Andar com dinheiro é essencial no Japão! Muitos lugares só aceitam dinheiro — principalmente quando você não está em Tóquio. Até mesmo em Tóquio, com suas incontáveis lojas, mercados, restaurantes e atrações, você vai notar que não aceitam cartão. Andar com dinheiro facilita muito a vida de todos.

    18. Tirar fotos em templos, santuários e museus onde a prática é proibida. Sempre leia as placas ou pergunte antes!

    Clifford Yeo/Unsplash

    Templos e santuários são lugares sagrados, então sempre dê uma olhada nas placas ou pergunte a um funcionário se é permitido tirar fotos, ou você pode acabar criando confusão. Alguns lugares são abertos ao público e é permitido tirar fotos — por exemplo, no santuário de Fushimi Inari em Kyoto. Em outros lugares, como o templo de Senso-ji em Tóquio, é permitido tirar fotos do lado de fora, mas dentro é proibido.

    19. Dar gorjeta para os garçons. Não faça isso! Dar gorjeta é indelicado.

    20. Não ter conhecimento do estigma que cerca as tatuagens no Japão. Sim, ainda há um estigma sobre isso até hoje. As tatuagens são associadas à yakuza, a máfia japonesa, e seus membros são identificados por terem muitas tatuagens visíveis. Então, se você tem uma tatuagem, tente cobrir ou colocar um adesivo em cima dela. Não fique mostrando, especialmente em lugares como templos e onsens (casas de banhos termais).

    Jgalione / Getty Images

    Em 2015, quase 56% dos donos de onsens proibiram banhistas com tatuagens de usar suas instalações. O motivo principal é, obviamente, afastar os membros de gangues criminosas. Embora alguns donos de onsens estejam atualmente mais flexíveis devido ao aumento do turismo, ainda é necessário cobrir as tatuagens em onsens públicos ou então alugar um onsen particular para você.

    21. Dar e receber coisas com uma única mão.

    Mario Effendy/Unsplash

    Mais uma questão relativa ao respeito — você vai perceber que os japoneses usam as duas mãos para dar e receber coisas, até mesmo para coisas pequenas como dinheiro e cartões. E ao pagar em uma loja ou restaurante, na maioria das vezes há uma pequena bandeja perto da caixa registradora onde você coloca o dinheiro, em vez de entregá-lo diretamente ao caixa.

    22. Entrar no onsen sem tomar banho primeiro. Não faça isso! É anti-higiênico!

    Primagefactory / Getty Images

    Para muitos turistas, ir a um onsen interno ou externo é uma prioridade a se fazer no Japão. No entanto, lembre-se de tomar um banho ANTES de entrar! Não deixe restos de sabão na sua pele. Há regras de etiqueta para usar as fontes termais. Você precisa lavar e enxaguar completamente o corpo. Principalmente se for um onsen público. Pare e pense: você não quer dividir a água com um estranho que não tomou banho e entrou ali suado, sujo, oleoso e tudo mais, não é? É nojento! No Japão, a higiene é muito importante, como eu já disse antes, e isso é apenas o básico.

    Outras regras são: trajes de banho não são permitidos — você tem que ficar nu, e se não se sentir confortável com isso, o onsen não é para você! O cabelo tem que ficar preso para não cair na água. E não é permitido nadar. Porém, você pode levar uma toalha pequena: só não deixe encostar na água.

    No geral, visitar o Japão é uma experiência incrível e inesquecível. Nós aproveitamos muito e esperamos que você aproveite também! Mesmo se você esquecer algumas dessas dicas, se você for educado e autêntico, vai dar tudo certo. Reserve suas passagens e boa viagem!

    Este post foi traduzido do inglês.

    Sign Up For The Bring Me! Newsletter!

    The latest travel tips, off-the-beaten-path experiences, and inspiration delivered to your inbox.

    Newsletter signup form