30 de nov de 2017

    7 personagens que redefiniram o significado de princesa

    Usar "princesa" como insulto? É, acho que não.

    by ,
    Rebecca Hendin / BuzzFeed

    1. Princesa Leia

    Se tem uma coisa que a Princesa Leia sempre prova em Star Wars, é que ela não deve ser subestimada. Ela não só enfrenta o "espaço-fascismo" e as ameaças de Darth Vader, como também tem uma abordagem sensata frente a caçadores de recompensas. Sempre autoconfiante e persistente, ela demonstra um comportamento adequado a qualquer princesa. E a uma general militar. E a uma senadora. E a uma PhD.

    Esses fatos não desaparecem quando nos deparamos com as cenas em que ela é aprisionada, forçada a usar um biquíni dourado ou como quando diz "eu te amo" e recebe um "eu sei" apoiador, mas gélido, em troca. Mesmo sob o efeito nebuloso da contemplação masculina, ela continua sendo uma princesa, uma general militar e uma senadora, e ela ainda tem um PhD.

    A Princesa Leia é independente, como diz o subtexto entre ela e Han. Ela é compassiva, como diz seu comportamento para com Luke. É uma princesa que não tolera desaforos; uma extensão não apenas de sua linhagem real, mas também de sua personalidade inflexível e forte. Isso aparece no fogo que nunca se extingue em sua voz: é o som de uma princesa que luta para ser ouvida.

    Rebecca Hendin / BuzzFeed

    2. Princesa Mononoke

    San, a "Princesa Mononoke", ou a princesa dos deuses lobos, é uma humana que odeia a humanidade. Uma menina de 15 anos que vive na floresta com as feras, ela empunha uma adaga na cara de qualquer um que invada seu território. Auxiliada pelos lobos que a criaram, e geralmente mostrada com o sangue do Grande Espírito da Floresta em sua boca, há uma ferocidade admirável em tudo que ela faz. Ela é brutalmente misericordiosa, incrivelmente defensiva e extraordinariamente segura de seu modo de vida. Em poucas palavras, ela é assustadora e incrível. Porém, também comete erros.

    Em um filme que representa o que significa ser humano e nossa capacidade de destruição, testemunhamos a compreensão de San do mundo mudando de binários em preto e branco sem variações ao exato oposto. Em um encontro com o Príncipe Ashitaka, humano, sua adaga está na garganta dele enquanto ela se prepara para matá-lo. Mas a resposta dele, um "você é linda" abobado e afável, não é apenas uma subversão atordoante da dinâmica romântica entre dois protagonistas. É também o começo da jornada dela em reconhecer a humanidade que compartilha com Ashitaka.

    Apesar disso, a confusão de San não diminui a certeza com a qual defende a floresta, ou a importância que ela deposita em proteger e preservar seu modo de vida. Isso a fortalece. Conforme a batalha continua, ela aceita a incerteza do que não conhece enquanto luta pelo que acha certo.

    Rebecca Hendin / BuzzFeed

    3. Princesa Jujuba

    De cabelos longos e vestida de rosa, a Princesa Jujuba é a governante boa e misericordiosa que você esperaria em um lugar chamado Reino Doce. A Princesa Jujuba de "Hora da Aventura" provavelmente é a que chega mais perto da imagem estereotipada de uma princesa. Mas ela é bem mais do que doce.

    Aqueles que assistem a "Hora da Aventura" já viram a Princesa Jujuba planejando experimentos, lutando contra intrusos e fazendo testes de bioengenharia com abóboras. Seu papel no programa ilustra sutilmente que doçura, perspicácia e inteligência não são reciprocamente exclusivas.

    Creditada como uma inventora acima de diplomata e figura real, ela detém o título oficial e inquestionável de "princientista" (princesa cientista). Para um programa de TV voltado para crianças, ter uma princesa que é mostrada de forma igualmente familiar tanto em um jaleco branco de laboratório como em um vestido rosa com coroa é imensuravelmente importante.

    Rebecca Hendin / BuzzFeed

    4. Píppi Meialonga

    A menina forte e de cabelo vermelho favorita de todos também é, surpreendentemente, uma princesa. Filha de um navegante dos Mares do Sul, a Princesa Pippilotta Viktualia Rullgardina Krusmynta Efraimsdotter Långstrump demonstra a bondade e a compaixão esperadas da realeza. Exceto que ela as exibe sem nenhum treinamento formal ou babados.

    Não há livros postos em sua cabeça. Não há lições de oratória. Píppi é autossuficiente e, honestamente, um pouco estranha. Mas esse é o ponto. A perspicácia de Píppi expõe uma confiança que os adultos não podem abalar.

    Por exemplo, depois de desafiar o forte Adolf a uma partida de luta livre no circo, Píppi despreza os avisos de que não conseguiria derrotá-lo por ele ser "o homem mais forte do mundo", anunciando-se como a menina mais forte do mundo. E, depois, vence a partida de luta livre.

    Desarrumada e corajosa, ela é a imagem da força incomum, metafórica e literalmente. Mas o que falta em Píppi em virtudes sociais, sobra de coração. Sua abordagem confiante e sensata confere a ela o apoio e a admiração de todos no vilarejo. Ela é uma "princesa do povo".

    Rebecca Hendin / BuzzFeed

    5. Estelar de Tamaran

    A princesa alienígena Estelar de Tamaran, uma criação da DC Comics, é conhecida por ser a quinta dos Novos Titãs. Sensível e ingênua, ela transmite a dificuldade de ser estranha a um lugar e valorizar quem se é e de onde vem.

    "Sempre haverá pessoas que dizem palavras ruins", diz ela após sofrer um insulto racista. "E, às vezes, suas mentes não podem mudar. Mas há muitas pessoas que não julgam os outros pela sua aparência, ou de onde elas vêm. Essas são as pessoas que mais importam."

    Ela geralmente é minimizada como a mais esquisita dos Novos Titãs, falando com sintaxe estranha e demorando a entender piadas, mas julgá-la como fraca resulta em deixar de perceber sua lealdade, sua bondade e seu traço protetivo.

    Ela é uma princesa que acredita firmemente em fazer a coisa certa, em quem é brincalhão e confiável e em quem transmite uma visão do mundo condicionada a uma forte bússola moral. No entanto, a força definitiva de Estelar está em seu hábito natural de incorporar seus esforços e dias ruins em uma positividade quase aspiracional. Ela aceita sua própria vulnerabilidade sem se envergonhar.

    Rebecca Hendin / BuzzFeed

    6. Tempestade

    Ororo Munroe, filha de uma rainha tribal do Quênia que foi criada no Harlem (EUA) e no Cairo, é outra super-heroína cuja linhagem real costuma ser esquecida. Ela é uma das super-heroínas mais importantes da Marvel. Muito mais do que sua habilidade mutante de controlar o clima, suas forças se encontram na forte liderança, na empatia e em um bom senso que geralmente eclipsa o resto dos X-Men.

    Quer esteja protegendo as crianças na Escola Xavier para Jovens Superdotados, ou eletrocutando os vilões assim que eles aparecem, Tempestade confia em seu próprio caráter. Ela não é desprovida de paixão. Quando Noturno pergunta a ela como alguém tão linda pode ser tão raivosa, ela é rápida em defender sua raiva como uma tática de sobrevivência. É sua recusa em tolerar injustiças que guia suas ações e determina os precedentes para outros que seguem seus passos.

    Uma ladra, uma guerreira e eventualmente uma professora, Tempestade é uma das figuras mais capazes na equipe dos X-Men: tanto que é chocante que ela não tenha tido seu próprio filme ainda. Igualmente surpreendente é o fato de que, na ausência do Professor Xavier, é Ciclope – não Tempestade – o líder delegado da equipe.

    Rebecca Hendin / BuzzFeed

    7. Princesa Mia Thermopolis

    Mia descobre que é uma princesa aos 16 anos, e o fato de ela ser "gente como a gente" é eletrizante. Como a maioria das adolescentes, ela é esperta, engraçada e muito mais capaz do que imagina. Acompanhamos o crescimento de sua personagem conforme ela descobre o que significa ser uma princesa e cultiva sua autoconfiança.

    A sucessora de Genovia aprende a se impor, e o resultado final, apesar de parcialmente ligado à sua transformação física, é satisfatório porque também indica, finalmente, uma satisfação consigo mesma. "Eu? Uma princesa?", zomba ela, de início.

    No entanto, uma personagem que é ela mesma sem nenhum constrangimento, e que é vista se recusando a fazer parte da realeza, conquista o público. A Princesa Mia não desiste de seus traços de adolescência. Em vez disso, prova a natureza excepcional deles e continua sendo uma princesa que é ela mesma sem nenhum constrangimento.

    Leia também:

    Como as mulheres modernizaram as princesas Disney



    Este post foi traduzido do inglês.

    TV and Movies

    Get all the best moments in pop culture & entertainment delivered to your inbox.

    Newsletter signup form