22 coisas que você provavelmente não sabia sobre Jair Bolsonaro

    O pai dele foi fichado pelo Dops e ele gosta de Agnaldo Timóteo.

    1. Ele é formado em Educação Física pelo Exército.

    2. Jair costuma chamar os filhos usando números, à moda militar, a partir da ordem de seu nascimento. Assim, Flávio é o "Zero Um", Carlos o "Zero Dois", Eduardo o "Zero Três" e Renan o "Zero Quatro".

    3. Já Laura, a quinta filha, teria sido resultado de uma "fraquejada" após quatro filhos homens, disse Jair em tom de piada em uma palestra em 2017 na sede do Clube Hebraica.

    4. Bolsonaro e a atual mulher, Michelle de Paula Firmo Reinaldo, se conheceram na Câmara dos Deputados. Ele era deputado e ela, secretária parlamentar. Ele a chamou para trabalhar em seu gabinete, onde o salário de Michelle quase triplicou.

    5. Em 2008, no entanto, Michelle teve que ser exonerada, já que os dois casaram no civil e o STF proíbe o nepotismo na administração pública.

    6. A festa de casamento de Bolsonaro e Michelle, em 2013, foi celebrada pelo pastor evangélico Silas Malafaia. A decoração tinha tons laranja, amarelo e rosa chá, e a noiva proibiu música ao vivo.

    7. Em entrevista à revista “Crescer”, em 2015, a mãe de Jair Bolsonaro, Olinda Bolsonaro, então com 89 anos, disse que criou o filho com muito amor e que “não queria que fosse uma criança estúpida, bruta” e que “falasse besteira”.

    8. Segundo ela, Jair era uma criança “humilde” e “mansa” e nunca apanhou. “Não maltratei nunca um filho, nunca fiquei brava nem disse: ‘Vai apanhar'. Apanhar, não. A gente conversa com a criança”.

    9. O pai de Bolsonaro, Percy Geraldo, era dentista prático, ainda que não tivesse diploma. “Quando chegava à cidade, era o salvador. Tirava dente, fazia dentadura, tratamento dentário”, disse Renato Antonio Bolsonaro, irmão de Jair, à "Crescer".

    10. Geraldo foi fichado pelo Dops (Departamento de Ordem Política e Social) e monitorado pela ditadura na década de 1970 por sua ligação ao MDB (Movimento Democrático Brasileiro, partido que viria a se tornar o PMDB) de Eldorado Paulista, onde a família morava. Geraldo faleceu em 1995.

    11. Quando houve a votação do processo de abertura de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, Bolsonaro dedicou seu voto à memória de Carlos Alberto Brilhante Ustra – militar que chefiou o DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna), em São Paulo, um dos principais centros de tortura durante a ditadura militar.

    12. Ainda sobre sua família, Jair Bolsonaro disse em 2014, em discurso em homenagem às Forças Expedicionárias Brasileiras, que era bisneto de um soldado alemão que lutou pelo Exército nazista de Adolf Hitler. “Ele não tinha opção. Ou era soldado, ou era paredão.”

    13. Quando adolescente, Bolsonaro era “muito bom estudante, mas ruim de bola” e ganhou o apelido de Palmito, pois “era branco e comprido”, segundo o amigo da época Cidenei Alves, hoje policial militar aposentado.

    14. Bolsonaro ganhou projeção nacional ao escrever um artigo para a revista “Veja”, em 1986, em que reclamava dos baixos salários nas Forças Armadas. O artigo o levou a ser preso por 15 dias por infringir o regulamento disciplinar do Exército.

    15. Então, em 1987, a “Veja” revelou que Bolsonaro e outro capitão, Fábio Passos da Silva, teriam um plano de explodir bombas em instalações militares do Rio de Janeiro para demonstrar a insatisfação dos militares com seus salários e pressionar o Ministro do Exército.

    16. Jair e Fábio negaram a denúncia, apesar de existirem testemunhas e provas documentais, como um croqui que teria sido desenhado pelo próprio Jair e que foi publicado pela “Veja”. Bolsonaro foi considerado culpado pelo Conselho de Justificação, composto por três coronéis, mas recorreu ao Superior Tribunal Militar e foi absolvido.

    17. Em meio à polêmica, Bolsonaro entrou para a reserva das Forças Armadas como capitão e se candidatou a uma vaga de vereador pelo Rio, sendo eleito em 1988.

    18. Bolsonaro já esteve filiado a oito siglas diferentes desde que entrou na política: PDC (Partido Democrata Cristão), PPR (Partido Progressista Reformador, nascido da fusão do PDC com o Partido Democrático Social), PPB (Partido Progressista Brasileiro, nascido da fusão do PPR e do Partido Progressista), PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), PFL (Partido da Frente Liberal), PP (Partido Progressista, nova denominação do PPB), PSC (Partido Social Cristão) e PSL (Partido Social Liberal).

    19. Em seu gabinete na Câmara dos Deputados, em Brasília, Jair Bolsonaro mantém grandes retratos emoldurados dos generais que ocuparam a Presidência da República durante a ditadura no Brasil: Humberto Castello Branco, Arthur da Costa e Silva, Emílio Garrastazu Médici, Ernesto Geisel e João Baptista Figueiredo.

    20. Além disso, inúmeras fotos, assim como placas e canecas com seu rosto. “Todo mundo que deixa alguma coisa, a gente guarda aí”, disse em entrevista à Folha em março de 2017.

    21. Em entrevista à revista “Piauí”, em 2016, Bolsonaro disse que não lia nenhum livro há muito tempo, somente jornais. Além disso, que não tinha tempo para ir ao cinema ou a outros eventos culturais.

    22. Apesar disso, Bolsonaro diz gostar das músicas de Agnaldo Timóteo.

    Luisa Pessoa é editora de tradução e adaptação, em São Paulo.

    Contact Luísa Pessoa at luisa.pessoa@buzzfeed.com.

    Got a confidential tip? Submit it here

    News moves fast. Keep up with the BuzzFeed News daily email!

    Newsletter signup form

    Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, que o reconhecem e identificam como um usuário único, para garantir a melhor experiência de navegação, personalizar conteúdo e anúncios, e melhorar o desempenho do nosso site e serviços. Esses Cookies nos permitem coletar alguns dados pessoais sobre você, como sua ID exclusiva atribuída ao seu dispositivo, endereço de IP, tipo de dispositivo e navegador, conteúdos visualizados ou outras ações realizadas usando nossos serviços, país e idioma selecionados, entre outros. Para saber mais sobre nossa política de cookies, acesse link.

    Caso não concorde com o uso cookies dessa forma, você deverá ajustar as configurações de seu navegador ou deixar de acessar o nosso site e serviços. Ao continuar com a navegação em nosso site, você aceita o uso de cookies.