• semanadosexo badge
Updated on 12 de jan de 2019. Posted on 18 de abr de 2017

14 mulheres contam como é fazer sexo com um micropênis

Resumindo: não importa, desde que o cara seja legal.

stnazkul/stnazkul

Micropênis é o termo para quando um pênis tem menos de 2,5 desvios padrões do tamanho médio do pênis. De acordo com Joseph Alukal, professor-assistente de urologia e diretor de saúde reprodutiva masculina no Centro Médico Langone, da Universidade de Nova York (EUA), isso significa um membro de 3 centímetros quando "esticado" ainda flácido.

"Um micropênis pode ser causado por anomalias urológicas ou hormonais relacionadas", disse Alukal. "Outros pacientes simplesmente nascem assim (sem nenhuma razão em especial). Homens com micropênis devem ter funcionalidade normal em relação a obter uma ereção ou a urinar."

As 14 mulheres listadas aqui não são especialistas em medicina capazes de diagnosticar condições penianas anormais. Portanto, leia suas histórias como experiências pessoais, não descrições médicas de micropênis (existem outras condições, como "pênis escondido" ou "pênis encarcerado" que podem ser confundidas com micropênis. Além disso, existem alguns só muito pequenos).

Embora a condição real seja um pouco rara (cerca de 1 em cada 200 homens, segundo Alukal), uma boa quantidade de mulheres já tinha estado com um cara que elas acreditavam ter micropênis quando eu fiz essa pergunta a amigas, colegas e estranhas no Twitter.

O tema que sempre surge nessas histórias é que a única coisa que importa no fim das contas é se o cara é ou não um idiota — se ele tivesse sido um cara legal e atencioso e generoso na cama, o tamanho não importava.

1.

Eu namorei um cara com um pênis muito pequeno por cerca de um ano. A primeira vez que vi fiquei surpresa, mas isso não me perturbou muito. A primeira vez que fizemos sexo foi a única vez que fizemos sexo de verdade com penetração — pelo resto do tempo que namoramos, fizemos apenas sexo oral. Eu não me importava com isso — ele era muito bom no que fazia! E, além disso, o sexo com penetração era meio estranho para nós dois; nós não encontrávamos um bom ritmo e, assim, nenhum de nós curtia muito.

Eu acho que ele provavelmente se concentrou em aprender as outras habilidades para compensar a falta de tamanho, mas nunca conversamos sobre isso. No geral, foi um relacionamento muito satisfatório para mim!

— Anônima

2.

Meu encontro aconteceu este ano, então, é claro, o contato inicial foi no Tinder. Achei estranho no começo (embora faça sentido agora) que ele quisesse que nos conhecêssemos e saíssemos algumas vezes antes de transarmos. Mas ele também foi claro sobre querer um relacionamento em vez de algo casual, então eu achei que ele estava fazendo as coisas à moda antiga. Eu sou de escorpião e costumo pular direto para a cama, então eu achei a insistência dele em esperar frustrante, adorável, romântica e boba. Mas deu certo.

Além disso, na primeira vez que dormimos juntos, ele me chupou primeiro e foi tãooooo incrível que, quando ele tirou a calça, eu sinceramente não liguei para o micropênis. Tipo, houve um segundo de "Hum, como isso vai funcionar?", mas nós tínhamos química e eu estava tão afim dele e ele estava tão claramente afim de mim que pensei que daríamos um jeito. O sexo mesmo foi um pouco estranho por causa do tamanho pequeno — só conseguimos acertar de quatro. Mas, meu Deus, ele compensou com ótimas habilidades de cunilíngua e, sendo uma mulher com uma vagina pequena, para mim foi um alívio ele poder ir fundo sem eu ter que me preocupar com a dor.

Conclusão: ele foi um amante generoso e cuidadoso que se preocupou com meu prazer, queria que eu gozasse mais vezes do que ele (!) e sabia como me fazer chegar lá. Sério, o que mais uma garota poderia quer? Então, meu conselho para as mulheres é: aceitem o micropênis. Fazer um boquete nunca foi tão fácil e pelo menos esse cara sabia que o prazer de uma mulher não está relacionado apenas ao pênis.

Não deu certo entre nós por inúmeras razões, mas nenhuma relacionada ao micropênis.

— Anônima

3.

Eu estava em uma festa da faculdade. Foi uma ótima noite, e eu conheci esse cara legal. Ele era engraçado, inteligente, um pouco gordinho — basicamente o homem dos meus sonhos.

Nós estávamos dando uns amassos e ele estava dizendo todas as coisas (sexy) certas. Fomos para a casa dele e tiramos as roupas. No começo, eu achei que ele não estava duro, mas então começamos a fazer sexo e eu percebi a verdade. Para mim, sexo decente com alguém com quem tenho uma ligação é muito melhor do que sexo incrível com um idiota. E eu prefiro ter um cara ótimo com um pênis pequeno do que um babaca com um grande.

O sexo estava bom (quer dizer, parecia que alguém estava batendo em uma porta, mas sem forçar, sabe?), mas há tantas outras coisas que se pode fazer com os corpos uns dos outros para deixar gostoso. O problema foi que ele estava muito inseguro e não conseguiu gozar. Ele nem queria que eu o tocasse para ajudá-lo. Eu imaginava o que já tinha acontecido com ele para deixá-lo tão nervoso sobre sua masculinidade, o que foi uma droga, porque eu com certeza não me importei com isso.

— Anônima

4.

Eu estava em uma festa em um bar quando o vi: o garoto alto, moreno e bonito pelo qual eu tinha uma quedinha quando estava no ensino médio. Nós começamos a conversar e por as novidades em dia, depois fomos dançar e depois dar uns amassos. Acontece que ele é cinegrafista de um grupo local de mágicos e o estúdio de mágica estava literalmente ao lado, então, bêbados e com tesão mútuo, eu estava tipo: "Claro, por que não? Vamos lá."

Chegamos e, por qualquer motivo, ele pensou que seria sexy eu me sentar no colo dele e assistir a vídeos de truques de mágica. Não importa. Sua técnica de sedução era tão ridícula que eu pensei: Ah, quer saber, isso vai dar uma boa história, vamos em frente, então fomos para o sofá na escuridão.

Eu abri a calça dele, coloquei minha mão em seu pau e percebi que ele provavelmente não tinha mais do que quatro quintos da palma da minha mão. E eu tenho mãos muito pequenas. Ele notou minha confusão e falou: "Não se preocupe, ele fica maior" (não ficou). Segurando o riso (não exatamente por causa do tamanho do pênis dele, mas por ter me advertido sobre ele), eu continuei dando uns amassos com ele.

Sem que eu soubesse, ele estava se masturbando na escuridão e gozou no meu vestido. Eu fiquei muito chateada. Eu fiz ele comprar pizza para mim e para minhas amigas depois. Que idiota, gozando no meu vestido.

— Anônima

5.

Uma vez namorei um cara com um micropênis por um ano e meio. Foi... bom? Eu era jovem e acho que não sabia que estava na presença de um micropênis de verdade. O sexo era bom porque ele se esforçava muito e também era ABSURDAMENTE GOSTOSO, então isso compensava as preocupações com o micropênis.

Além disso, havia outro cara na minha cidade natal que era bem conhecido por ter um micropênis — mas isso não era um problema para ele, porque ao mesmo tempo que ele tinha um micropênis, ele também tinha uma reputação de dar ótimas chupadas. Então é isso.

— Anônima

(AVISO: ESTA É UMA FOTO DE UM PÊNIS, MAS DESTA VEZ É MUITO ENGRAÇADA.)

6.

Eu tive duas experiências com pênis muito pequenos. A primeira foi com alguém que eu gostava muito e com quem namorei, e ele estava bem ciente de suas deficiências e fazia o possível de outras formas. Ou seja, ele me chupava por horas e sempre perguntava se havia alguma coisa que pudesse fazer e no geral foi ótimo. Então, depois que terminamos por razões não-relacionadas-ao-pênis-pequeno, mantive uma mente muito aberta sobre o assunto.

Vários meses depois, estava prestes a dormir com um cara com quem tinha saído muitas vezes. O dele era ainda menor que o do primeiro, mas eu não disse nada porque eu morreria se alguém me falasse alguma coisa sobre meus genitais na primeira transa. Mas eu literalmente não senti nada quando transamos. E ele não fez nada para tentar me ajudar. E, quando tudo terminou, ele estava tipo: "Você gostou?" E eu estava tipo: "Na verdade, não", e então sugeri que seria uma boa ideia tentar me ajudar.

Eu deixei quieto e da próxima vez eu estava tipo: Beleza, com certeza ele vai tentar me dar um orgasmo de outra maneira, e ele não tentou. Eu o interrompi e expliquei que ele deveria tentar, ele ficou confuso, e eu tipo: "Bem, eu não senti nada da última vez." "Você está dizendo que eu tenho um pau pequeno?" "Bem, você tem", eu disse.

E então ele gritou: "TALVEZ VOCÊ TENHA UMA VAGINA ENORME", aí eu fui embora.

(Em relação ao tamanho, o primeiro cara talvez tivesse uns 7 centímetros duro, e o segundo cara tinha literalmente 5 centímetros. E uma camisinha normal parecia um vestido largo nele.)

— Anônima

7.

Era 2006, e ele foi o primeiro cara com quem namorei após iniciar meu divórcio. Eu tinha 26 anos. Ele era alguns anos mais novo, mas não novo o suficiente para explicar o quão pequeno seu pênis era, porque isso significaria que eu estava fazendo sexo com uma criança, o que, como qualquer um sabe, é ilegal.

Nós estávamos namorando há alguns meses. Passamos a noite juntos algumas vezes, o que envolvia amassos e carícias acima da cintura, mas eu estava indo muito devagar (bem, devagar para mim) porque havia acabado de me separar. Eu comecei a ter sentimentos pelo cara e, finalmente, senti que era hora de transar.

Nós estávamos na cama dele, e ele tirou a cueca na minha frente pela primeira vez. Juro, o primeiro pensamento que tive quando vi o pênis dele foi: defeito de nascença? Eu me lembro claramente de pensar exatamente essa frase. Era do tamanho do meu polegar.

Provavelmente este é um bom momento para explicar que eu tenho polegares curtos. Então, para te dar uma visão clara: totalmente ereto, o pênis deste cara era do tamanho de um dos polegares da Megan Fox.

Nem precisa dizer que eu não senti muita coisa durante o sexo. Eu dei outra chance alguns dias depois, só para ver se meus olhos e minha vagina estavam me sacaneando. Eles não estavam. Fiz uma pesquisa sobre pênis especialmente minúsculos, e os resultados deixaram bastante claro que eu tinha experimentado o micropênis.

O micropênis não foi a razão principal pela qual eu parei de sair com ele. Não foi nem a segunda ou terceira razão. Não é algo que ele pudesse evitar e, da forma como ele não o mencionou, eu não sei se ele tinha consciência de seu tamanho proporcional. Por fim, nossa diferença de idade e o "grude" dele se tornaram um problema, e eu decidi sair de Nova York e voltar à Flórida por um tempo para estar perto da minha família após o divórcio.

Marci Robin

8.

O micropênis em questão era de um caso passageiro. O cara era alto, mais de 1,90 m, e extremamente atraente. Um desses caras que eu com certeza diria que seria areia demais para o meu caminhão.

Demos beijos ótimos no bar na primeira vez que fomos para a cama, e eu estava ansiosa para lidar com um pênis decente e substancial mais tarde na minha casa, dada sua altura, mãos e pés enormes. Até aí, tudo bem. Chegamos ao momento da revelação. Minha reação foi uma fisionomia completamente inexpressiva. Eu não julgo o corpo da pessoa com a qual vou para a cama. Careca? Tudo bem. Costas peludas, bunda peluda? Claro. Mamilos estranhos? Sem problema. Pênis minúsculo, a mesma coisa. Nós não discutimos o pênis dele. Ele elogiou meu corpo.

O ato em si não estava me satisfazendo da maneira habitual, mas a experiência de estar com ele estava, e eu voltei algumas vezes depois. Funcionou como qualquer outro pênis, apesar de as camisinhas não desenrolarem muito. Dito isso, eu me senti muito pequena. (Sem trocadilho.) Ele me chupava, o que era bom para compensar a falta de satisfação com o sexo P-na-V, e eu não me lembro de chupá-lo, mas certamente teria chupado se ele tivesse pedido.

Meu conselho para as mulheres é: não julgue, se deixe levar. Os pênis pequenos também precisam de amor. Acabou sendo apenas um caso passageiro por razões completamente não relacionadas ao sexo, mas, se pudéssemos continuar, eu teria seguido com ele.

— Mary

9.

Quando me formei na faculdade e voltei para casa, um cara com quem eu tinha mantido contato desde o ensino médio queria sair comigo. Ele tinha engravidado uma mulher e teve um bebê alguns meses antes, mas ele e sua ex não estavam mais juntos, segundo ele, e como eu sempre tive uma queda por ele, concordei.

Depois de sairmos algumas vezes, acabamos voltando para a casa dele, onde aconteceu a tão esperada pegação. Tiramos as roupas, e ele me pediu para ficar por cima... Não era minha primeira escolha, mas tudo bem. Eu subi lá e... tipo... não consegui encontrá-lo.

Quando o toquei, fiquei horrorizada.

"Está duro?", perguntei.

"Sim!" disse ele.

"Espera aí — você tem uma camisinha?", perguntei.

A resposta dele: "Não! Isso vai me fazer broxar!".

"Já está broxado!", eu disse, seguido por: "Me leve para casa."

Eu estava: a) em estado de choque por ser tão pequeno (e flácido) e b) genuinamente confusa sobre como ele tinha conseguido engravidar alguém. Foi isso, sem mais pegação, sem mais tentativas. Para ser sincera, a falta de interesse dele em sexo seguro foi ainda mais broxante.

[Ed.: Homens que se recusam a usar camisinha deveriam ser colocados em um canhão e disparados para a lua.]

— Anônima

10.

Meu encontro com o micropênis aconteceu talvez há seis ou sete anos, com meu ex-namorado do acampamento de teatro com quem eu de vez em quando dava uns amassos quando ele estava na cidade. Na primeira vez que eu vi, foi tipo: "Uau, você é muito, muito, muito pequeno." Mas eu acho que não tinha visto muitos pênis naquele momento para ter uma base para comparação.

Cerca de dois ou três anos depois eu estava transando regularmente já há algum tempo. Ele voltou para a cidade, fomos para a minha casa e começamos a transar. Naquele momento, eu TINHA uma base para comparação, e eu estava tipo: "Isso não só é excepcionalmente pequeno, como provavelmente se qualifica medicamente como um micropênis" — uma impressão que foi consolidada quando pedi que ele o colocasse dentro e ele ficou tipo: "...Sim, já está dentro." O que é tão "Sex And The City" que você provavelmente acha que estou inventado, mas infelizmente não estou.

ENFIM, fizemos sexo, e foi horrível, mas principalmente devido a outros fatores. Por um lado, ele gozou tipo com 2,5 segundos. Por outro, ele não estava usando camisinha, o que levou a uma excursão muito estranha para conseguir a pílula do dia seguinte depois etc. etc. Todas essas coisas foram muito piores do que o fato de ele ter um pau minúsculo, tipo, muito piores. Naquela época, eu realmente gostava dele, então se todas essas outras coisas não tivessem acontecido, eu não acho que o pênis dele teria sido um problema tão grande.

Além disso, ele não fez muito esforço para compensar suas deficiências em outras áreas, o que significa que ele não me chupava nem me masturbava, tipo, nunca. Se eu fosse uma velhinha sentada em uma cadeira de balanço dando conselhos maternais para alguém com um micropênis (uau, nunca pensei que escreveria isso), eu acho que diria que não tem problema, e que você não está condenado a uma vida sexual terrível e insatisfatória — desde que você reconheça que tem essa desvantagem, faça o trabalho necessário para superá-la e faça sua parceira feliz.

Eu estive com outros caras com paus pequenos, e o sexo foi incrível porque eles, de certa forma, implicitamente sabiam disso. Esse cara (o que tinha o micropênis) não.

— Anônima

11.

Era meu semestre no exterior. Ele era ABSURDAMENTE SEXY e tinha um sotaque estrangeiro que, obviamente, só o tornou ainda mais sexy. Eu estava tão bêbada que pensei que pechinchar UM DÓLAR com o motorista de táxi na língua nativa impressionaria este estrangeiro sexy. Enquanto estávamos dando uns amassos, eu descobri este pênis minúsculo. Nós não transamos, mas ele me deu prazer de outras maneiras. (Minhas colegas de quarto na época podem testemunhar o fato de que eu estava sexualmente satisfeita. E não, a decisão de não transar não foi por causa do pênis pequeno dele. Eu tinha apenas 19 anos e não fazia sexo com rapazes logo que os conhecia... ainda.)

O tamanho do pênis dele não foi discutido. E, quer saber, ele era tão bonito, inteligente e adorável que eu não me arrependo nem um pouco. Agora, de acordo com o Facebook, ele é bem casado e pai. Bom para ele e seu pênis pequeno!

— Anônima

12.

Minha experiência com o micropênis em questão foi com um amigo de um amigo, e alguém com quem dei uns amassos apenas duas vezes. Seu tamanho, infelizmente, nunca foi discutido — nós estávamos apenas nos pegando casualmente, então discutir esse tipo de coisa não era exatamente o esperado — e fiquei um pouco surpresa quando ele tirou a calça, principalmente porque nunca tinha visto um tão pequeno e tinha medo de não saber o que fazer em seguida. (Também foi uma surpresa porque, por mais ignorante que isso possa parecer, ele também tinha uma personalidade muito confiante, meio arrogante, então eu pensei que ele poderia ter um bem grande. Sei lá.)

Os detalhes são um pouco obscuros, porque as duas vezes em que estivemos juntos eu tinha bebido um pouco demais, mas eu percebi que o sexo (e orgasmo!) era possível, desde que eu estivesse por cima e meio que balançasse de um lado para o outro, sem muito movimento de cima para baixo, para não sair. Então eu acho que o truque é não se mexer muito quando você está lidando com um micropênis dentro de você, o que é bom quando é verão e está quente (que era o caso naquele momento, e ele não tinha ar-condicionado) e você não quer suar muito.

— Anônima

13.

Eu estava saindo com esse cara e um dia voltamos para a casa dele para o famoso "vamos assistir um filme na minha casa". Logo estávamos tirando as roupas e eu vi uma pequena protuberância, talvez cerca de 3 centímetros em uma escala generosa, na área da virilha. Ele também não era circuncidado, então eu estava super confusa sobre o que estava acontecendo lá embaixo.

Eu comecei a senti-lo subir lá embaixo, pensando que, quando ficasse ereto, ele poderia crescer, já que não é possível que um pênis possa ser literalmente só uma cabeça saindo de uma virilha (era do tamanho da metade superior do meu polegar, e eu tenho mãos pequenas, para efeito de comparação). Acho que o volume do prepúcio poderia ser maior do que o volume total da cabeça em si.

Depois de cerca de 30 segundos da minha masturbação confusa e esperançosa, ele gozou. Depois, fez alguns comentários sobre como a duração nunca foi seu forte. Ele nunca propôs sexo, o que foi educado da parte dele, eu acho. Sim, foi só isso.

Eu digo a todas as minhas amigas que deixamos de nos ver por várias outras razões, porque tenho muita vergonha de admitir que bati uma para um cara com um micropênis (houve algumas outras razões também, mas certamente foi um fator na minha decisão geral).

Ah, as bolas tinham o tamanho normal até onde eu lembro.

— Anônima

14.

Minha primeira (e única) experiência com um micropênis aconteceu no meu segundo ano de faculdade. Eu vinha do término de um relacionamento e acabei no quarto de um amigo de um amigo. As coisas começaram a esquentar, eu coloquei minha mão *lá embaixo* e fiquei totalmente confusa/chocada com o que encontrei. Como o cérebro bêbado é estúpido, eu continuei "procurando" por mais, pensando que talvez estivesse pegando uma terceira bola. Eu fiz o meu melhor para bater uma para ele (não que seja sempre tão boa), mas não foi muito além disso.

Eu não seria CONTRÁRIA a dar uns amassos com alguém com um pênis pequeno, mas esse cara não estava compensando sua falta de tamanho de nenhum outro jeito (ele foi totalmente egoísta na cama e não foi muito legal).

— Anônima

Esta é a Semana do Sexo no BuzzFeed Brasil. Clique aqui para ver mais conteúdo da nossa semana especial.

Este post foi traduzido do inglês.

BuzzFeed Daily

Keep up with the latest daily buzz with the BuzzFeed Daily newsletter!

Newsletter signup form