Como o ex da MC Carol tentou matá-la e isso foi considerado lesão corporal

    A explicação curta: machismo.

    Nesta quarta-feira (04) acordamos com uma postagem da MC Carol, contando que o seu ex-marido pulou uma cerca elétrica, invadiu a casa dela e tentou matar a funkeira com um facão.

    facebook.com

    Ela postou no Facebook fotos da arma e as marcas que ficaram no rosto e nas mãos dela depois de entrar em uma luta corporal com o ex para se defender.

    Facebook: mccaroldeniteroioficial

    Segundo a MC, o ex alegou como motivação fotos e vídeos na piscina, que a cantora postou recentemente nas redes sociais.

    O ex de Carol, Alexsandro Oliveira, é conhecido por quem acompanha a carreira da funkeira.

    facebook.com

    Em 2015, no reality show "Lucky Ladies", Carol mostrou um pouco de sua relação com o marido que tinha que ir dormir na prisão por ter prendido a cantora em cárcere privado.

    youtube.com

    Na época, em entrevista à TPM, Carol disse que a única coisa que fez com que ele mudasse foi denunciá-lo. “Fui à delegacia registrar a queixa e ele teve que se enquadrar”.

    Mas, depois de nove anos juntos, em agosto do ano passado, eles se separaram. Na época, ela postou a seguinte mensagem.

    Neste vídeo, que ela postou no Instagram no caminho de volta da delegacia, Carol reclamou que o ex-marido não irá responder por tentativa de homicídio, e sim por lesão corporal.

    Conversamos com a jurista Marina Ganzarolli, que disse é muito comum que o machismo estrutural culpabilize a vítima ou faça com que o tratamento criminal diminua a gravidade do delito.

    "É muito comum que tentativa de feminicídio seja classificada como lesão corporal. No Rio de Janeiro e em todo o Brasil. Há um número maior de denúncias do que de boletins de ocorrência. Mesmo dentro nos dados do Ministério Público, o número de denúncias é menor do que o número de homicídios.

    Quando acontece o uso de arma branca ou estrangulamento é quase sempre feminicídio porque aumenta o risco de letalidade contra uma mulher ainda que durante o processo, possa ser provado que não houve intenção de matar e o crime seja rebaixado para lesão corporal leve ou grave.

    Existe um abismo de capacitação e sensibilização na porta de entrada do crime, a delegacia, e no deslinde do processo na justiça. O machismo estrutural na nossa sociedade faz com que se deixe de apontar um crime, culpabilizando a vítima ou fazendo com que o tratamento criminal diminua a gravidade do delito e é por isso que um estupro pode ser registrado como importunação ofensiva ao pudor como no caso do homem que ejaculou em uma passageira em um ônibus", explicou a jurista.

    ATUALIZAÇÃO (04/04, 18H53): A informação de que o Alexsandro Oliveira seria enquadrado em três crimes foi removida pois pelo princípio da consunção quando vários tipos penais que acontecem no mesmo contexto, o crime mais grave absorve os menores.

    Veja também:

    Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

    BuzzFeed Daily

    Keep up with the latest daily buzz with the BuzzFeed Daily newsletter!

    Newsletter signup form

    Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, que o reconhecem e identificam como um usuário único, para garantir a melhor experiência de navegação, personalizar conteúdo e anúncios, e melhorar o desempenho do nosso site e serviços. Esses Cookies nos permitem coletar alguns dados pessoais sobre você, como sua ID exclusiva atribuída ao seu dispositivo, endereço de IP, tipo de dispositivo e navegador, conteúdos visualizados ou outras ações realizadas usando nossos serviços, país e idioma selecionados, entre outros. Para saber mais sobre nossa política de cookies, acesse link.

    Caso não concorde com o uso cookies dessa forma, você deverá ajustar as configurações de seu navegador ou deixar de acessar o nosso site e serviços. Ao continuar com a navegação em nosso site, você aceita o uso de cookies.