Updated on 16 de set de 2020. Posted on 16 de set de 2020

    22 narrativas de dramas para adolescentes que precisam parar de existir

    São. Tantos. Triângulos. Amorosos.

    Os dramas adolescentes podem ser bem previsíveis, né?

    The WB

    Por exemplo, ao longo de uma série, certamente veremos uns três acidentes de carro.

    Porém, algumas dessas narrativas precisam ser aposentadas, seja porque são problemáticas, extremamente irreais ou as duas coisas.

    The CW

    Dramas adolescentes tendem a ser ousados e chocantes, mas às vezes acabam perpetuando expectativas irreais e ideais prejudiciais.

    Aqui estão algumas das narrativas que acreditamos que podem ficar no passado:

    Universal Pictures

    Aviso: este artigo fala sobre violência sexual, relacionamentos abusivos, suicídio e automutilação.

    1. Namorados abusivos verbal e fisicamente e pessoas obcecadas que são retratadas como românticas:

    The CW / MTV

    Quando eu era adolescente, eu IDOLATRAVA Chuck e Blair de "Gossip Girl", e eu não era a única. Retratar comportamentos abusivos, assustadores e tóxicos como românticos é extremamente prejudicial para garota E garotos. É hora de parar com isso. Blair ficar com Chuck no final de "Gossip Girl" e Lydia dizer que ainda ama Jackson em "Teen Wolf" são coisas péssimas, mas Serena achar que a perseguição e a invasão de privacidade de Dan são uma declaração de amor "Gossip Girl" foi de lascar.

    2. Pais que namoram os pais do namorado(a) dos filhos:

    The CW / MTV

    Não ligo de ter casais formados por pais (Xerife Stilinski e Melissa McCall de "Teen Wolf" deveriam ter ficado juntos, SEM DÚVIDA ALGUMA). Mas porque sempre precisam ser pais de dois personagens que estão namorando ou já namoraram (como Rufus e Lily em "Gossip Girl", Alice e FP em "Riverdale" e Melissa e Chris em "Teen Wolf")? Isso só deixa a história estranha e irreal.

    3. Dois pais da série que tem um filho secreto juntos:

    The CW

    Pontos extras se os pais de outros filhos estão namorando e o filho secreto significa que eles têm um meio-irmão (como o caso de Scott em "Gossip Girl" e Charles de "Riverdale", mostrado acima), que é muito bizarro. Além disso, será que tantas pessoas têm filhos secretos com os namorados do ensino médio, depois ficam em sua cidade natal e criam os outros filhos ao lado do namorado da escola sem nunca falar nada sobre o filho secreto?

    4. Algum babaca fingindo ser uma boa pessoa por razões meio sociopatas:

    The CW

    Isso realmente acontece com frequência? Se eu descobrir que tenho um meio-irmão secreto, quero um teste de DNA! Eu também sinto que Sean, de "90210", Chic, de "Riverdale" , e Derek/Ian de "One Tree Hill" eram super estranhos desde o começo e as pessoas não deveriam ter se apaixonado por suas histórias.

    5. Uma história relacionada a suicídio para chocar as pessoas:

    The WB / The CW

    Eu apoio 100% as narrativas bem feitas que falam sobre saúde mental. Adolescentes também passam por depressão e outros transtornos que precisam ser abordados nas séries. MAS, muitas vezes vemos um personagem deprimido (geralmente masculino, embora Cheryl de "Riverdale" seja um bom exemplo feminino) tenta suicídio (como Nathan em "One Tree Hill") ou ameaça uma tentativa de suicídio (como Chuck em "Gossip Girl"). Eles são salvos por um amigo ou namorada e, em seguida, NINGUÉM MAIS FALA SOBRE ISSO. Nunca vimos esses personagens recebendo ajuda.

    6. Tentativas de suicídio e automutilação por razões sobrenaturais, em vez de doença mental:

    MTV / The CW

    Eu sinto que os programas fazem isso para evitar o problema que acabei de mencionar... ou seja, para que possam usar uma tentativa de suicídio ou automutilação apenas pelo choque, sem ter que lidar com as repercussões de um personagem com doença mental. É super provocador e inapropriado, e ainda mais por causar fascínio sobre a automutilação e o suicídio.

    7. Seguindo a mesma lógica, agressão sexual desnecessariamente gráfica, automutilação e tentativas de suicídio:

    Netflix / The CW

    Obviamente, não incluí as partes das cenas que geram gatilho (isso seria uma contradição ao meu raciocínio), mas as capturas de tela são das cenas às quais estou me referindo. Desde os estupros de Hannah, Jessica e Tyler em "13 Reasons Why" até a tentativa gráfica de suicídio de Alex em "One Tree Hill" programas de TV para adolescentes geralmente preferem mostrar algo que choque o público do que darem atenção aos espectadores que podem ter realmente passado por essas situações.

    8. Relacionamentos entre alunos e professores:

    Freeform / The CW / The WB

    Não sei porque ainda acham isso "ousado" (estou falando de você, "Riverdale"). Não foi ousado quando Pacey dormiu com a professora em "Dawson's Creek", e também não será agora. É assustador e nojento, e os atores que interpretam adolescentes de 16 anos dormindo com seus professores nunca tem 16 anos. Isso faz parecer que esses relacionamentos são consentidos e entre dois adultos, o que ofusca a realidade bizarra da situação. Se Lucy Hale realmente tivesse 16 anos, vê-la com Ezra em "Maldosas" teria sido muito mais perturbador.

    9. Seguindo a mesma lógica, personagens que têm um caso com o chefe:

    The CW

    Tripp e Serena em "Gossip Girl" eram bem problemáticos, mas o exemplo de "One Tree Hill" mostrado acima foi particularmente ruim. Alice era super abusiva com Mouth e Skills sugeriu que poderia ser porque ela gostava dele, então Mouth a beijou do nada. Acontece que Skills estava certo e eles começaram a dormir juntos. Não estou dizendo que essas coisas nunca acontecem, mas existe uma estrutura de poder inerente no relacionamento entre chefe e funcionário, e isso torna esses exemplos simplesmente nojentos. A ideia de que as pessoas procuram parceiros sexuais em seus funcionários é perturbadora.

    10. Momentos de tensão sexual entre dois amigos do mesmo sexo que só existem para atrair o público queer:

    The CW / MTV

    O beijo de Veronica e Betty em "Riverdale" foi 100% desnecessário. Só serviu para os espectadores usarem a cena para fazer GIFs e para provocá-los com algo que jamais ia acontecer. E a série "Teen Wolf" brincou tanto com o relacionamento de Stiles e Derek porque os espectadores adoraram eles, mas nunca deu o passo lógico de reconhecer verbalmente qualquer tipo de atração entre eles, porque isso poderia desestabilizar alguns espectadores. Ou as pessoas ficam juntas ou não há tensão sexual entre elas! É a regra!

    11. E o único relacionamento queer da série ser totalmente tóxico:

    Netflix / Freeform / Fox

    Adam sempre atormentava Eric em "Sex Education" e depois ficou envergonhado de estar com ele. Paige tentou afogar Emily por motivos relacionados à equipe de natação em "Maldosas" e depois eles namoraram durante a maior parte da série. Kurt e Blaine se tornaram extremamente tóxicos, mas "Glee" os apresentou como o casal homossexual de referência. A representação queer é ótima, mas parece que raramente existem casais positivos para os fãs torcerem, o que reforça a ideia de que casais homossexuais estão errados ou não funcionam.

    12. Uma personagem feminina que tem um relacionamento com uma garota e depois ninguém nunca mais aborda sua sexualidade:

    The CW / Fox

    Eu amei Adrianna e Gia em "90210" e Marissa e Alex em "The O. C.", mas os dois relacionamentos acabaram muito cedo. Não tem problema — nem todo relacionamento dura para sempre. Mas ignorar e nunca mais mencionar esses relacionamentos dá a entender que Adrianna e Marissa estavam apenas vivendo uma "fase". As séries agiram como se finalmente tivessem uma ótima representação pansexual ou bissexual e, logo em seguida, se afastaram completamente da narrativa e fingiram que ela nunca aconteceu. Embora fossem relacionamentos homossexuais reais, ainda me parece uma forma de isca para a comunidade LGBTI+.

    13. Personagens queer morrendo sem motivo, geralmente logo após começar um relacionamento com um personagem do mesmo sexo (também conhecido como #BuryYourGays):

    The CW / The WB

    Eu falei muito sobre como os dramas adolescentes retratam mal os casais homossexuais e o argumento #BuryYourGays (#EnterreSeusGays) é o pior exemplo disso. Casais queer (que geralmente os espectadores adoram, como Willow e Tara em "Buffy: A Caça-Vampiros" ) ou que acabaram de começar um relacionamento, como Clarke e Lexa em "The 100") terminaram seus relacionamentos porque uma ou ambas as partes morreram repentina e desnecessariamente, de uma maneira que muitas vezes não promove a trama. É quase como se personagens queer fossem descartáveis ou se a série não soubesse como retratá-los.

    14. Hospitais psiquiátricos mostrados como ambientes assustadores e perigosos, com médicos diabólicos:

    MTV / Freeform / E4

    Eu entendo. Hospitais psiquiátricos assustadores administrados por médicos maus (como Eichen House em "Teen Wolf" ou Radley em "Maldosas") dão abertura para histórias divertidas! Mas ter apenas esses tipos de hospitais e médicos, sem nada de bom, perpetua o estereótipo ruim dos hospitais psiquiátricos, o que pode impedir os adolescentes de buscar ajuda. O exemplo de Effy foi particularmente ruim porque "Skins" era apenas um programa sobre adolescentes normais, e o psiquiatra dela acabou sendo ruim e matando o namorado dela. Os adolescentes não precisam disso.

    15. O protagonista masculino é descrito como moralmente superior, quando, na verdade, é tão ruim quanto os outros:

    Netflix / The CW / The WB

    Nossa, Clay começou a me irritar muito nas temporadas finais de "13 Reasons Why". E em "Diários de um Vampiro", Stefan agia como se fosse o irmão bom, quando na verdade matou centenas de pessoas, provavelmente mais do que Damon. E NEM FALEI de Lucas Scott, em "One Tree Hill". Esse cara passava o rodo, traía todo mundo e fingia que era muito esperto, quando na verdade estava se declarando para uma garota diferente por semana. Esses personagens existem para ser a bússola moral das séries e nos ensinam lições, o que significa que, quando fazem coisas ruins, o programa passa um e pano e os mostra como "certos" ou "corretos". Mesmo quando não são.

    16. Personagens que sempre se casam com o amor da época da escola (ou da infância):

    The CW

    Isso realmente acontece? Claro que sim! Mas acontece com a mesma frequência que os dramas adolescentes mostram? Não!!! Os dramas adolescentes dão a entender que você precisa se apaixonar no ensino médio, senão, jamais encontrará o amor da sua vida. Ou, então, mostram que aquele relacionamento abusivo que você viveu será a experiência mais romântica que você terá na vida. Deixem os personagens evoluírem pelo menos uma vez!

    17. Triângulos amorosos que duram tempo demais:

    The CW

    Os triângulos amorosos são um ícone do gênero e, às vezes, até me divirto com eles (como é o caso de Damon, Stefan e Elena em "Diários de Um Vampiro"). Mas, na maioria das vezes, eles se prolongam demais. Se um personagem está demorando cinco temporadas para decidir com quem deve ficar, talvez não devesse ficar com nenhuma das duas pessoas (sem querer dizer, mas já dizendo, LUCAS SCOTT). "One Tree Hill" forçou muito a barra.

    18. Episódios em volta da temática "E se?":

    Fox / The WB

    Já falei que os acidentes de carro são um grande clichê. Mas, por algum motivo, além dos acidentes de carro, os dramas adolescentes adoram colocar personagens em coma e fazê-los alucinar sobre como seriam suas vidas se os eventos do primeiro episódio tivessem sido diferentes. Como em "O.C.", quando Ryan imaginou sua vida sem os Cohen ou em "One Tree Hill", quando Nathan imaginou como seria sua vida sem ter sido criado por Dan. Isso já aconteceu com alguém por acaso???

    19. Da mesma forma, sonhos ou episódios de época:

    Freeform / The CW

    POR ACASO ALGUÉM JÁ TEVE UM SONHO EM PRETO E BRANCO E/OU AMBIENTADO NOS ANOS 40? NÃO?? FOI O QUE PENSEI!

    20. Todo mundo entrando em universidades de prestígio:

    The CW

    NINGUÉM entra em Harvard por acaso. Sempre me irrita muito quando vejo personagens que nunca aparecem estudando e fazem, sei lá, uma atividade extracurricular na escola e são admitos em universidades como Yale. Além disso, há mais faculdades boas do que as da Ivy League e muitas pessoas sequer vão para a faculdade. Parem de criar expectativas irreais!

    21. E ter uma carreira de renome LOGO depois de sair da universidade ou até mesmo antes de se formar:

    The CW

    Pontos adicionais se os personagens abriram uma empresa empresa/publicaram um livro/ou começaram a carreira no ensino médio, como Brooke e Lucas em "One Tree Hill". Muitas vezes, as pessoas levam um tempo para conseguir um emprego, PRINCIPALMENTE para ter o emprego dos sonhos. Talvez seja porque muitos dos personagens são ricos e têm uma boa rede de contatos, mas, de qualquer forma, é mais fácil ver um adulto de 22 anos trabalhando em uma loja do que sendo diretor de uma empresa.

    22. E, finalmente, personagens que voltam da morte:

    The CW

    Ver um personagem voltar da morte em uma série não sobrenatural (como Jim em "Barrados no Baile" ou Bart em "Gossip Gir"), é totalmente fora da realidade. Isso é bem mais aceitável em uma série sobrenatural (como quando Alaric voltou à vida em "Diários de Um Vampiro"), mas se achamos que as pessoas podem simplesmente voltar dos mortos, as mortes da série perdem todo o impacto.

    O que você não aguenta mais ver nos dramas adolescentes? Conte para a gente nos comentários!

    Este post foi traduzido do inglês.

    TV and Movies

    Get all the best moments in pop culture & entertainment delivered to your inbox.

    Newsletter signup form

    Utilizamos cookies, próprios e de terceiros, que o reconhecem e identificam como um usuário único, para garantir a melhor experiência de navegação, personalizar conteúdo e anúncios, e melhorar o desempenho do nosso site e serviços. Esses Cookies nos permitem coletar alguns dados pessoais sobre você, como sua ID exclusiva atribuída ao seu dispositivo, endereço de IP, tipo de dispositivo e navegador, conteúdos visualizados ou outras ações realizadas usando nossos serviços, país e idioma selecionados, entre outros. Para saber mais sobre nossa política de cookies, acesse link.

    Caso não concorde com o uso cookies dessa forma, você deverá ajustar as configurações de seu navegador ou deixar de acessar o nosso site e serviços. Ao continuar com a navegação em nosso site, você aceita o uso de cookies.