Updated on 17 de jan de 2019. Posted on 16 de jan de 2019

    Como virei ex-BBB duas vezes sem precisar ir para nenhum paredão

    "As pessoas foram embora e de repente eu percebi que estava sozinho na casa do BBB. COMPLETAMENTE. SOZINHO".

    Victor Pollak

    Esse sou eu entrando na casa do BBB com uma camiseta inspirada neste post.

    "É a sua vez, pega na maçaneta e vai”. Foi assim, com esta frase e a mão direita na maçaneta de uma porta dos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro, que entrei pela segunda vez na casa do Big Brother Brasil.

    Eu estava entre os 19 jornalistas e influenciadores convidados da Globo para conhecer a residência quatro dias antes da estreia do programa.

    Assim que abri aquela porta, saí no verdinho e recém-retocado gramado da casa, ali onde os participantes costumam chorar, agradecer e dizer "o Brasil tá vendo". Eu estava sozinho naquele espação. Não é como se isso nunca tivesse acontecido, pois em 2017 passei por uma experiência parecida. Mesmo assim, é SEMPRE um tanto quanto estranho você se ver completamente sem ninguém ali, no jardim onde milhões de brasileiros gostariam de pisar um dia.

    Mauricio Fidalgo

    Essa varanda é excelente pra sentar e trocar uma ideia com a galera.

    Ao entrar na casa você dá de cara com a sala, ainda meio sem acreditar que está, digamos assim, dentro da TV. É doido estar no lugar onde dezenas de pessoas anônimas prestes a virar subcelebridades sentam para aparecer ao vivo todo dia na TV mais vista do Brasil.

    A sala é grande, mas confesso que esperava que o espaço fosse um pouco maior. A versão de 2019 da decoração da casa tem na parede uma espécie de abajour com meio cavalo preto saindo da parede. Só não entendi o porquê dessa ilusão: para que um abajour ali se a luz da sala não se apaga? Mas eu não entendo muito sobre decoração e isso deve ser chique em algum lugar.

    Eu sinceramente fiquei muito bolado com esse cavalo, tanto que vou escrever sobre ele em mais este parágrafo. Achei ele um pouco esquisito e até meio assustador. Imagine só tirar um cochilo da tarde ali e dar de cara com um cavalo??? Sei lá.

    Na sala ainda tem uma parede com uma escultura da cabeça de cada participante desta edição. Elas vão mudar de cor se os participantes forem eliminados, estiverem no paredão ou forem o líder da semana. Mais que isso, ficarão lá pra sempre eternizadas como uma espécie de ser que passou por ali. Elas JAMAIS SERÃO ESQUECIDAS para quem ficar até o final. Em resumo, uma coisa bem esquisita, mas que pode deixar o pessoal numa pira muito grande.

    Agora se tem uma coisa que é meu dever registrar é o quanto é delicioso, macio e superconfortável aquele sofazão gigante. Imagine que sonho tirar uma soneca naquele lugar.

    Eu fiz questão de passar um tempo ali, ele te convida para uma conversa daquelas sem hora pra acabar. Quando você dá aquela deitadona boa descobre que no teto da casa tem muitas lâmpadas e luzes - elas parecem um estúdio de TV que precisa ser bastante iluminado. É aí que você lembra que não tá numa casa qualquer e que ali não foi feito pra ninguém tirar soneca, afinal, ninguém paga o pay per view pra ver gente dormindo.

    Mauricio Fidalgo

    Eu fiquei tão CISMADO com o cavalo que o abracei e fiz a mesma palestra deste texto para o pessoal na casa.

    Foi um dos poucos momentos em que lembrei que estava na casa do "BBB". Pode ser um clichezão, porém é a mais pura verdade: poucos minutos depois de pisar naquele lugar você esquece totalmente que está sendo observado por câmeras.

    Pra você ter uma ideia, em diversos momentos eu me peguei conversando coisas completamente aleatórias e bizarras com os influenciadores e jornalistas que entraram comigo na casa. Nós não ficamos muito tempo falando sobre o programa.

    Teve uma hora que a gente estava falando sobre nomes e apelidos que as pessoas dão para as partes íntimas, como pepeca, pepecão, vulva, pinto, pica, piroca, pirocona. Depois a turma começou a contar fofocas e a falar bem e mal de outros influenciadores que não estavam ali na casa. Ou seja, como se fosse uma vida normal.

    Isso porque parte das 72 câmeras da casa ficam muito bem posicionadas atrás de vidros, na altura do que seriam as janelas em qualquer casa normal. Elas estão na cozinha, na sala, nos quartos e na área externa, então quando você está lá dentro só vê espelhos pretos.

    Outras câmeras ficam no alto das paredes da casa, porém mais alto que o olhar de uma pessoa que tem 1,80m como eu. Ou seja, você fica circulando por aí e seguindo a vida sem dar de cara com as câmeras o tempo todo.

    O que me chama atenção é que a casa não tem janelas. Da sala pra dentro não tem um mísero ar diferente circulando, é só o ar condicionado. Eu não sei quais as consequências disso, mas me parece que tem algumas.

    Mauricio Fidalgo

    BORA DEITAR NA CAMA DA CASA DOS OUTROS!!!

    Vamos falar sobre os quartos da casa. Eu bem fiz questão de pular em cima da cama como não faço nem mesmo na minha casa. E que cama mais confortável!!!

    É nesse ponto que vemos como a Globo quer que as pessoas tenham noites de sonhos tranquilos mesmo fazendo com que elas passem por um confinamento pesado e morram de saudades da família.

    São dois quartos grandes com vários armários, quatro camas de solteiro e uma cama de casal das bem boas, de colchão ortopédico, nada de colchão de molas. As de solteiro são de tamanho básico de uma cama de hotel, as de casal não são tão grandes - pra você ter uma ideia, a da minha casa é maior (e olha que é uma cama muito mais barata que as da Globo, com certeza).

    O famoso edredom onde os casais do programa se beijam, transam e fazem outras coisas estava com cheiro de limpo, recém-lavado, é grosso, bonito e MUITO CONFORTÁVEL. Se eu tivesse mais tempo seria bom demais tirar uma soneca ali pois eu sempre que posso faço questão de tirar uma soneca da tarde. Infelizmente não deu tempo.

    Em um dos quartos tem um chuveiro com uma pia grande, box transparente e uma privada ao lado, um dos lugares mais peculiares da casa.

    Trata-se de um pequeno espaço todo branco, com uma pequena privada com tampa de um material que não sei o nome, mas é muito bom (não aqueles de plástico barato que os reles mortais conseguem comprar), um chuveirinho pra dar aquela limpada extra na porcelana e o papel higiênico. E uma baita câmera na parede virada para baixo.

    A produção jura por A mais B que o áudio desta câmera fica ligada o tempo todo, mas as imagens não. Eles só abrem as imagens da câmera caso uma pessoa fique muito tempo lá dentro, seria uma medida de segurança com os participantes.

    De qualquer forma não é lá muito confortável você fazer suas necessidades pessoais sabendo que tem uma câmera enorme na direção da sua bunda.

    Da primeira vez que estive na casa, eu sentei ali pra fazer aquele xixi gostoso com bastante pressão e já aproveitei a oportunidade para fazer um cocô pois eu jamais imaginava que iria ter a chance desta experiência na casa. Ainda bem que fiz da primeira vez.

    Dessa vez a porta do banheiro ESTAVA SEM TRANCA, GENTE. COMO QUE CAGA ASSIM NUM BANHEIRO SEM TRANCA? Não tem a menor chance! Imagina se eu tô ali naquela situação de cocô saindo pra fora e de repente me entra outra pessoa que estavam ali visitando a casa? Imagina se o Boninho aparece de surpresa e eu com as calças pra baixo? NÃO DÁ, NEM MORTO!!! SÓ PASSANDO MAL.

    Só deu tempo de fazer um xixi rapidinho e ainda tive de gritar pra não entrarem porque tinha uma galera na porta querendo usar, é mole?

    Davi Rocha/ BuzzFeed Brasil

    Antes de entrar na casa a produção do programa deu até um cartão pra todos os convidados. E é muito verdade este bilhete.

    Voltando ao quarto com pia, chuveiro e privada, eu gostaria de fazer uma provocação: depois de alguns dias esse quarto deve ficar um futum de gente, misturado a umidade de um banheiro com direito ao cheiro de merda vindo da privada ao lado. Junte a isso o barulho de gente roncando e um eventual cheiro de peido e chulé no dia a dia.

    Inclusive, um dos influenciadores que estava na casa fez um cocozão no banheiro enquanto tinha uma galera no quarto trocando uma ideia. Eu estava deitado ali na cama de casal e senti o cheiro forte tomando conta do ambiente.

    É nestes momentos que o confinamento do programa deve pegar mais forte no psicológico dos participantes. Talvez seja sobre isso que o Paulo Ricardo se referiu quando perguntou: "até onde vai a sua fé?".

    Meu conselho que ninguém pediu pra alguém que algum dia venha a participar deste reality show: pegue uma cama no quarto sem chuveiro e sem privada dentro. No outro quarto, ambos ficam fora e há um pouquinho mais de conforto.

    Mauricio Fidalgo

    Neste momento eu deveria estar apontando impressionado para os utensílios chiques.

    O melhor lugar da casa com certeza é a cozinha, que é chique, grande, cheia de utensílios domésticos de boa qualidade e com aquela mesona enorme.

    Desta vez a mesa não é mais aquela redonda que gira, ela é hexagonal, com seis cadeiras grandes e uma grande poltrona pink encostada na parede. Ela é de veludo, que deve juntar um pó desgraçado. Vai ser complicado se todo mundo sentar ali ao mesmo tempo na hora das refeições pois se a pessoa que ficar no meio resolver sair fora todo mundo ao redor precisa levantar. Pode dar confusão, do jeito que o espectador gosta.

    Em cima desse sofá tem uma espécie de escultura. Como eu me senti em casa MESMO naquele lugar, em certo momento eu empurrei a escultura um pouco pra lá e sentei ali. É bastante confortável ali e a pessoa fica numa altura boa para ver tudo que está acontecendo. Também recomendo que você faça esse tipo de coisa na casa dos outros.

    A cozinha da casa estava toda equipada com muitos utensílios domésticos para os participantes cozinharem à vontade, panelas diversas de muitos tamanhos dispostos em muitos armários. Tem duas pias enormes, bem maiores que as pias de uma casa normal e comum.

    Dá pra lavar louça a dar com pau lá pra ocupar a cabeça em vez de ficar perdendo tempo cuidando da vida dos outros, o problema é que lavar louça não ganha reality show no Brasil.

    Também tem duas geladeiras grandes, um filtro daqueles grandes de parede (pode ser que tenha um igual no seu trabalho, por exemplo), uma prateleira com muitos copos, sanduicheira e cafeteira.

    Naquele dia a geladeira estava cheia de comida saudável como banana, mamão, abacaxi, sucos e frutas chiques como mirtilo, morango, goji berry e framboesa. Eu não estava vestindo uma roupa adequada para comer frutas chiques, mas fiz questão de experimentar mesmo assim pois tinha de contar para vocês neste post. Tava uma delícia.

    Mauricio Fidalgo

    Vai dizer que a cozinha não é o lugar mais legal de qualquer residência? Olha a cara de alegria da turma batendo o maior papo.

    Foi na cozinha que ficamos boa parte do tempo conversando e comendo, fizemos uma espécie de brigadeiro (pois não tinha chocolate), passamos um café e comemos misto quente feito com um pão de forma.

    Como acontece em toda casa nova, foi um pouco difícil encontrar os utensílios, ingredientes e coisas para cozinhar. Eu demorei horrores pra entender onde ficava a tomada certa para fazer a cafeteira ligar e nem sabia direito onde colocar pó de café ali (na minha casa estou acostumado a fazer de outro jeito), mas deu tudo certo. Por sinal, não consegui reconhecer a marca do café que a galera vai tomar, mas ele é bom e básico o suficiente para tomar no dia a dia.

    Também foi na cozinha que os convidados da visita daquele dia resolveram aproveitar para encenar algumas das cenas mais clássicas do programa na base da gritaria. Como o programa já tem quase 20 anos é irresistível não lembrar de alguns momentos clássicos que aconteceram ali.

    Victor Pollak

    Pensando "meu Deus do céu como que eu vim parar aqui???".

    Nem todas as comidas ficavam na cozinha, algumas estavam na despensa da casa, o lugar é bem pequeno, apertado e naquele dia estava com uma prateleira com mantimentos em geral e outra com produtos de higiene.

    Em uma das prateleiras estavam coisas como molhos, milho, ervilha, catchup, mostarda, leite condensado (aquele famoso), creme de leite, entre outros. Todos os produtos estavam sem as embalagens originais e com o rótulo do "BBB".

    Na outra prateleira estavam objetos de higiene pessoal como cotonetes, escovas e pastas de dente, absorventes internos e externos, etc. Havia duas caixas de remédios para emergência, mas elas estavam vazias.

    Da primeira vez que eu estive na casa do programa, em 2017, a despensa tinha muitas camisinhas, remédios para dor de cabeça, dor muscular, desarranjos intestinais e ressaca. Acredito que a equipe do programa vai disponibilizar os mesmos remédios para os participantes deste ano.

    Fico pensando o quanto deve ser muito cômodo morar meses sem precisar ir até à farmácia e ao supermercado comprar essas coisas. Seria muito mágico na vida de qualquer jovem adulto ter uma dessas em casa, fica a dica de serviço aí pra você empreendedor.

    Depois de ver a despensa cheia alguns influenciadores resolveram roubar algumas coisas para levar embora pra casa. O diretor do programa teve de avisar naquela voz que vem do nada: "os itens da casa devem permanecer na casa". Que vergonha. Mas não nos proibiram de usar alguns daqueles produtos e eu bem que escovei os dentes por lá.

    Vamos dizer que é bem estranho você imaginar que está escovando os dentes dentro da Globo, vigiado por dezenas de câmeras no que seria um programa de TV. Nessa hora eu realmente lembrei das câmeras.

    Victor Pollak

    Esse sou eu sentado na sala neste belíssimo sofá verde e enorme.

    Durante a visita, aquela voz de demônio que lembra o Darth Vader falou algumas vezes, inclusive chamando cada visitante para dentro do confessionário do programa.

    O confessionário é uma salinha pequena, escura, com uma câmera gigante voltada para a direção de quem está lá dentro. Tem um sofá virando de ponta-cabeça da nova decoração e a voz do Tiago Leifert. Na minha vez eu demorei um pouco pra abrir a porta e o Tiago me disse "imagine se você demora e a gente atrasa o programa?".

    Ali a gente trocou uma ideia, eu brinquei de ser um participante do programa indicado ao paredão e tive 30 segundos para supostamente convencer a audiência a não votar em mim.

    É nessa hora que eu tive certeza de que jamais ganharia um programa desses. Bom, eu supostamente disse que queria continuar para seguir divertindo o Brasil enquanto ficava na casa. Segue o mesmo para os meus posts aqui do BuzzFeed, eu quero que vocês se divirtam, então bora ler todos os deste link, ok?

    Reprodução Rede Globo

    Aqui o Tiago Leifert tá explicando qualé das esculturas com os participantes da casa. As muitas luzes da sala ficam bem acima desse lustre no meio da foto.

    De repente o Tiago Leifert apareceu na casa pra conversar com a turma que estava por lá. Caso você queira saber ele foi bem educado, tem uma vibe boa demais e 1,76m.

    O Tiago contou que já entrou na piscina do "BBB" algumas vezes e que sempre entra na casa para testar algumas provas, pois precisa descrevê-las para os participantes do programa.

    Ele também explicou que no jardim os vidros são de formas e tamanhos diferentes para confundir os participantes e eles não descobrirem onde estão as câmeras.

    Na cozinha ele mostrou um telão com um esquema para controle de quanta água tem disponível para consumo da casa. Ele disse que todo ano os participantes gastam muita água e que o público reclama disso.

    Mauricio Fidalgo

    Tinha algo muito interessante acontecendo no lado de lá da foto, como vocês podem perceber, porém não ver.

    Foi nessa hora que aconteceu algo muito engraçado. Ele fez um gesto de uma pessoa digitando e dizendo histericamente "a água do mundo está acabando, eles gastam água demais!!!". Depois voltou ao tom de voz normal e disse que o público tem razão.

    Enquanto o Tiago estava explicando uma regra do jogo para o "BBB19", a voz do Boninho o interrompeu e deu uma bronca nele.

    Não sei vocês, mas eu acho ótimo lembrar que até mesmo o apresentador do reality show mais importante do Brasil é também um funcionário de uma empresa como boa parte dos brasileiros.

    Ele até fez um pedido de desculpas pro Boninho e deu a entender que não era exatamente isso que eles tinham combinado, mas que iria aceitar o que o chefe estava dizendo. Igualzinho eu, você e todo funcionário que precisa mudar de ideia rapidamente e obedecer logo o que o chefe resolveu pedir pra você fazer.

    Reprodução Rede Globo

    Aqui você pode ver o apresentador Tiago Leifert prestes a tomar uma bronca.

    Ele também falou sobre a escolha dos participantes desta edição. Perguntado se o politicamente correto foi uma espécie de critério, como andam dizendo por aí, ele disse "a gente não escolhe pensando nisso, a pessoa tem que ser legal".

    Depois disso o Tiago deu mais uma volta pela casa e logo foi embora sem interagir muito com a galera. Uma pena, pois seria muito legal conversar mais e descobrir dele mesmo mais coisas sobre sobre o programa.

    Por exemplo, eu comentei que não entendia como as pessoas que vão entrar na casa de verdade deixavam as redes sociais delas abertas, com direito a momentos maravilhosos e podres estranhos de muitos anos atrás, prontos para serem stalkeados pelo público.

    A produção do programa explicou, sem muitos detalhes, que os participantes do programa ficam sabendo que vão de fato entrar na casa pouco dias antes do programa começar. O que faz sentido. Não deu pra descobrir mais coisas, então ficam os outros mistérios aí.

    Mauricio Fidalgo

    Gritando "uh é BBB".

    Ainda não falei neste post de um lugar muito importante: a piscina. Ela não é muito funda para quem tem minha altura (1,80m), mas grande o suficiente para distrair qualquer galera por horas. A água naquela tarde estava na temperatura ideal pra se divertir.

    Também é por ali que ficam algumas espreguiçadeiras excelentes e, como aparentemente tudo ali, muito confortáveis. Tem dois sofás em locais cobertos na casa que são excelentes lugares pra ficar trocando uma ideia, fazendo fofoca e pensando em quem votar no próximo paredão.

    Da varanda bem próxima da sala agora tem um balanço delícia. Eu, que não perco a chance de deitar, fiquei por ali um tempo e reparei que olhando pra cima dá pra ver o céu e as árvores que rodeiam a casa. Dá vontade de ficar ali um tempão de boas descansando.

    Dali também dá pra ver um dos lugares que quase ninguém repara: a lavanderia da casa. Ela fica em um canto, tem um tanque, uma máquina de lavar e uma escada tipo caracol bem simples que leva ao andar de cima da casa, em um lugar para eles estenderem as roupas. Ainda bem que não vemos muito disso na casa, pois sinceramente lavanderias não trazem entretenimento nenhum para ninguém neste programa.

    No geral, podemos dizer que a casa do "BBB" é tipo uma casa de praia de rico de tamanho médio com um cheiro que mistura um pouco ar condicionado de shopping e loja de móveis chiques. Tudo cheira novo, limpo e recém-lavado.

    Eu entrei na casa do mesmo jeito que entra um participante do programa, sem relógios, sem celular, carteira, sem nada que pudesse me ajudar a contar o tempo.

    Victor Pollak

    Faltou bem pouco pra eu dormir no "BBB".

    Tenho a sensação de que passei umas quatro horas lá, mas a Globo disse que ficamos lá por duas horas. O tempo passa de um jeito muito diferente quando você não tem controle dele. Imagino o quanto isso deve ser maluco para as pessoas que ficam dias, semanas ou meses ali.

    Não poder olhar no celular, nem contar o tempo, nem tirar uma fotinha sequer na casa é algo bem esquisito.

    Quando a experiência estava acabando, eu estava comendo um misto quente na cozinha e jamais iria deixar meu sanduíche pela metade. Antes de terminar, ainda peguei um copo d'água e fiquei ali finalizando o lanchinho.

    As pessoas foram embora e de repente eu percebi que estava sozinho dentro da casa do "BBB". COMPLETAMENTE. SOZINHO.

    Aí sim aquele lugar em seu modo silencioso parece ENORME, GIGANTESCO e MUITO ESTRANHO. A começar que em todo o resto do tempo não houve silêncio algum ali, boa parte da visita foi totalmente permeada por muita conversa, bastante gritaria e barulho. Não sei você, mas na minha casa eu consigo ficar em paz e em silêncio, sem barulho. Nem imagino o que é viver assim nesse caos total por meses seguidos.

    Por falta de tempo, nada de especial aconteceu em seguida, eu terminei de comer e sai. Na verdade, fico imaginando que o peso do vazio existencial ficaria ainda mais pesado se eu ficasse por muito tempo naquele lugar vazio.

    Enquanto escrevo este post penso que pouquíssimas pessoas, mesmo das que participaram do programa de verdade, tiveram a oportunidade de vivenciar aquela casa em total e completo silêncio – afinal, o programa não foi feito para isso.

    Na edição de 2018, Airton e Ana Clara foram dos únicos que passaram por isso quando um dos dois fazia uma prova externa e o outro ficava na casa. Quando aconteceu com a Ana Clara, ela até disse: "ai que delícia! Gente, eu nunca tive tanta paz nesta residência". Eu te entendo, Ana Clara!

    Já fora da casa os influenciadores e jornalistas diziam que tinham acabado de passar por uma das experiências mais incríveis e diferentes da vida profissional deles.

    E olha que podemos dizer que jornalistas e influenciadores em geral têm o privilégio de ter uma vida bem diferentona, conhecer gente famosa, ganhar presentes de marcas e outras coisas nada comuns. Ao mesmo tempo, senti realmente bastante sinceridade no que a galera estava falando pois não é mesmo para qualquer um entrar naquela casa.

    Victor Pollak

    Conversando com o Tiago Leifert COM A TESTA SUANDO.

    Eu jamais imaginei na minha vida que estaria na casa de um dos programas de TV mais vistos da história deste país. Se me contassem que isso aconteceria duas vezes eu nunca levaria a sério.

    E sem passar por processos de seleção longos, passar vergonha na TV, sem ser tema de textão no Facebook, ficar lá trancado por meses, ir para nenhum paredão ou ser vigiado por milhões de brasileiros. Também não fiquei famoso, o que pra mim tá beleza. Porém não ganhei muito dinheiro, o que não seria uma má ideia. Mas como diria o poeta Paulo Ricardo: "o que você faria, onde iria chegar?".

    Dá pra acreditar que eu entrei para a pequena lista de brasileiros que estiveram naquele lugar pelo menos duas vezes? Junto comigo estão Kleber Bambam, Dhomini, Anamara, Eliéser, Fani, Nathália e Yuri, Marcelo Dourado, Fernanda Cardoso, entre outros nomes que muita gente nem lembra mais – nem se importa. Normal, você também não vai lembrar de mim.

    TV and Movies

    Get all the best moments in pop culture & entertainment delivered to your inbox.

    Newsletter signup form