1 de jun de 2018

    Já é 2018 e estes comentários em uma notícia de abuso mostram que o feminismo continua mais necessário que nunca

    "Talvez a única solução plausível seja parar de ter filhos e acabar a humanidade".

    Ontem o G1 publicou essa notícia chocante e a postou em sua página no Facebook.

    Reprodução / Via Facebook: g1

    E apesar da notícia dizer claramente: "HOMEM ABUSAVA DE MENINAS ENQUANTO DORMIAM", infelizmente um dos comentários mais acertados foi esse:

    Reprodução / Via Facebook: g1

    Rapidamente, dentro da notícia e em comentários do Facebook, uma multidão de desconhecidos apareceu se considerando especialista em tudo: na vida amorosa da mãe...

    Reprodução / Via g1.globo.com

    O texto não fala em momento algum quantos parceiros essa mãe teve – e mesmo que ela tenha tido 500, o criminoso continua sendo este homem, e não ela.

    No tempo mínimo de relacionamento que alguém deve ter para ter certeza que suas filhas não serão estupradas...

    Reprodução / Via g1.globo.com

    A matéria não fala quanto tempo de relacionamento a mulher tinha com o acusado. E uma dica: você NUNCA vai ter certeza.

    E apareceram também "experts" em perfil criminoso dos casos de abuso – errado, é claro.

    Reprodução / Via g1.globo.com

    Segundo um levantamento feito em 2011 pela Universidade de São Paulo (USP), a cada 10 crianças que sofreram abuso, quatro foram molestadas pelo pai e três pelo padrasto. Tios, primos e vizinhos vêm na sequência.

    Correram para julgar a mãe – note que até agora pouco se falou do padrasto, que foi nada mais nada menos QUEM COMETEU O CRIME. O pai das meninas tampouco foi citado.

    Reprodução / Via g1.globo.com

    Mesmo comentários aparentemente sensatos escondem a responsabilização – e, em última análise, a culpabilização – da mulher, em vez de falar sobre o problema original: o homem que cometeu o crime.

    Reprodução / Via Facebook: g1

    Se for seguir o raciocínio de "a culpada é a mãe, que botou esse homem dentro de casa", dá para concluir que, se você for assaltado, o culpado é você, que saiu com dinheiro.

    Reprodução / Via g1.globo.com

    Procure sair sem dinheiro SEMPRE, ok?

    Mas também apareceram pessoas dispostas a botar os pingos nos devidos Is, apontando o verdadeiro culpado da situação.

    Reprodução / Via g1.globo.com

    E lembrando que ninguém está livre de ser vítima de um crime.

    Reprodução / Via Facebook: g1

    Outras pessoas apareceram para lembrar que jogar as cobranças sobre a mãe mostra, além de falta de visão, falta de empatia.

    Reprodução / Via Facebook: g1

    E quando o abusador é o pai, o que estes comentaristas diriam à mãe? Que ela devia NÃO TER TIDO uma filha?

    Reprodução / Via Facebook: g1

    "Se você tivesse só meninos, isso não aconteceria! Onde já se viu, parir uma menina?!". Sem contar que, segundo alguns dados, meninos sofrem tanto abuso sexual quanto meninas durante a infância.

    Então, enquanto o que as pessoas tiverem a dizer para uma mãe que viu as filhas serem atacadas dentro de casa for isso, talvez o melhor seja seguir esta sugestão.

    Reprodução / Via Facebook: g1

    Veja também:

    Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

    BuzzFeed Daily

    Keep up with the latest daily buzz with the BuzzFeed Daily newsletter!

    Newsletter signup form