go to content

20 coisas que você talvez não sabia sobre o sêmen

O fluído pré-ejaculatório na verdade não contém esperma. Porém, isso não significa que você não deva ter cuidado com ele.

publicado

1. Esperma e sêmen não são a mesma coisa.

Espermatozoide, ou esperma, é o nome dado à célula reprodutiva que se parece com um girino. O líquido seminal é a substância na qual os girinos nadam. Juntos eles formam o sêmen — um tanque blindado que carrega o super-herói da fertilização. Ou, como Morgentaler o chama, "míssil teleguiado".

2. O líquido seminal é o protetor do esperma.

O líquido seminal ajuda o esperma a "cumprir sua missão biológica", de acordo com Morgentaler, auxiliando o esperma a entrar no corpo feminino. O líquido seminal é alcalino, para reduzir a acidez que o esperma encontra no sistema reprodutor feminino. E, talvez o mais importante, o líquido seminal dá ao esperma a energia (na forma de frutose) necessário para a árdua natação.

3. O sêmen é formado em três partes diferentes do corpo, não apenas nos testículos.

Segundo Morgentaler, o sêmen vem de três estruturas principais do sistema reprodutor masculino. O primeiro é a próstata, que forma uma substância leitosa repleta de enzimas, proteínas e minerais. O segundo são as vesículas seminais, que produzem a frutose e dois terços do fluído. O terceiro são os testículos, que produzem o esperma e outros fluídos.

4. O esperma é a única célula humana produzida em um indivíduo, mas desenvolvida para sobreviver em outro.

"O esperma é fantástico", diz Morgentaler, por causa desse fato. Pense nisso! Nossos corpos são desenvolvidos para atacarem qualquer coisa que não seja de nosso próprio corpo. O esperma, porém, não recebeu esse recado. Assim como o grisalho viajante de cabelos Anthony Bourdain, o esperma também se aventura em terras desconhecidas.

5. Os caras produzem um montão de esperma.

De acordo com Morgentaler, um homem produz cerca de 150 milhões de esperma por dia. Isso significa que você está produzindo alguns milhares de espermas a cada segundo.

6. A maior parte do esperma masculino é inútil.

De acordo com Morgentaler, "os caras se preocupam mais com quantidade e não muito com qualidade". Apenas pouco mais de metade do sêmen de uma ejaculação normal pode nadar, diz ele, e cerca de 70 a 90% não possuem a forma ideal para nadar. Estamos falando de duas cabeças, duas caudas, cabeças grandes, cabeças pequenas, caudas grandes, caudas pequenas, sem caudas... é uma grande bagunça.

7. O sêmen é protegido do sistema imunológico de seu corpo para que ele não seja atacado como um corpo estranho.

O esperma não começa a se formar no corpo masculino até que se atinja a puberdade. Nessa época, o sistema imunológico de seu corpo já decidiu que tipos de células são parte do corpo humano e quais não são. Isso significa, de acordo com Morgentaler, que, se coubesse apenas a ele, seu corpo atacaria o esperma como um invasor. É por isso que os testículos são protegidos (de diversas maneiras complexas) do resto do corpo. Os testículos são o que é referido como um "local imunologicamente privilegiado".

8. Quando o sêmen é ejaculado, ele é um gel. Se transforma em líquido depois.

Esta mudança é causada por uma enzima chamada antígeno prostático específico ou PSA. Apesar de Morgentaler advertir que se trata apenas de especulação, alguns acham que a razão para isso é que um gel estaria menos sujeito à gravidade e poderia permanecer com mais sucesso no canal vaginal. Por causa disso, os médicos geralmente têm de esperar cerca de 20 minutos antes de analisar o sêmen no microscópio, para que ele esteja em um estado totalmente líquido.

9. O sêmen é, em sua maioria, água.

Charlotte Gomez for BuzzFeed

E é cerca de apenas 1% esperma, diz Morgentaler. Também há um monte de outras coisas nele, como cálcio, frutose e outras enzimas e minerais.

10. Em média, os homens ejaculam cerca de uma colher de chá de sêmen.

Morgentaler diz que uma ejaculação média varia de 1,5 ml a 5,0 ml.

11. Sêmen também contém proteína. A mesma encontrada em clara de ovos!

A proteína em questão é chamada albumina e, de acordo com Morgentaler, é encontrada na maioria dos fluídos do corpo humano.

12. E tem poucas calorias! Cada ejaculação contém cerca de 10 calorias por colher de chá.

Não é de se surpreender, já que quase todo água.

13. Ainda assim, o sêmen não é uma boa fonte de nutrientes.

Dica profissional: Não use o conteúdo nutricional do sêmen como um argumento para convencer alguém (ou se convencer) a fazer algo com a qual ele(a) ou você não esteja confortável. De acordo com Morgentaler, o sêmen tem o conteúdo nutricional de "alguns insetos".

14. Você não pode pegar a gripe comum através apenas do sêmen, mas pode pegar algumas doenças sexualmente transmissíveis.

O sêmen, por si só, não consegue transmitir algo como a gripe comum. Isso não significa que os outros fluídos trocados durante a atividade sexual não possam. O sêmen, contudo, PODE transmitir muitas DSTs.

15. O fluído pré-ejaculatório na verdade não contém esperma.

Muitos de nós aprendemos nas aulas de educação sexual que o sêmen que sai do pênis do homem antes do orgasmo pode ocasionar gravidez. A maioria dos alunos de medicina de Morgentaler também tinham essa visão antes de suas aulas. Mas isso não é, cientificamente falando, verdade. O fluído pré-ejaculatório vem de uma glândula inteiramente diferente, a glândula de Cowper, e acredita-se que ele sirva como lubrificante para o sêmen que vem na ejaculação. Dito isso, caso você tenha ejaculado recentemente, seu fluído pré-ejaculatório poderia pegar um pouco do esperma restante ao sair, então sempre é bom ser precavido.

16. Coisas que você come e bebe podem afetar seu sêmen.

Em primeiro lugar, o quão hidratado alguém está pode afetar o volume e a viscosidade de sua ejaculação. Há muitas evidências anedóticas que sugerem que a dieta pode afetar o gosto do sêmen, apesar de Morgentaler apontar que poucos estudos foram realizados sobre esse tópico e de que o "gosto está no paladar de quem prova".

17. Não há nada científico que comprove que suplementos podem aumentar o volume da ejaculação masculina.

Fora a hidratação e segurar um pouco a ejaculação, não há muita coisa que alguém possa fazer para modificar o volume de sua ejaculação. De acordo com Morgentaler, não há nada científico por trás de outros métodos ou suplementos.

18. Quando você faz uma vasectomia, ainda ejacula quase a mesma quantidade de fluídos de antes da operação.

Uma vasectomia é a operação que separa os canais deferentes, a passagem através do qual o esperma se encontra com o restante da equipe do sêmen, do restante do sistema reprodutivo. Após a vasectomia as ejaculações possuem cerca de 5 a 10% menos fluídos (a quantidade que os testículos contribuem para o sêmen), mas, de acordo com Morgentaler, isso é quase imperceptível.

19. Não há nenhum modo verdadeiro de testar a fertilidade de seu esperma sem a ajuda de um médico.

Claro, se alguém engravidar é seguro presumir que o esperma responsável era saudável e fértil. Mas o cara não pode se masturbar e dar uma conferida ele mesmo. Médicos, porém, podem realizar um espermograma, que analisa coisas o quão bem o esperma nada e quanto esperma há no sêmen de um homem.

20. Maiores quantidades não necessariamente indicam um sêmen mais potente.

Na realidade, não há correlação entre fertilidade e volume da ejaculação, afirma Morgentaler. De fato, há casos raros em que isso poderia ser considerado um problema. Morgentaler acha que esse (relativamente recente) desejo por ejaculações mais volumosas é resultado, principalmente, da popularidade de pornografia.

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss