back to top

Tarja preta em relatório da PF revela nome de José Serra quando removida

Pessoas começaram a postar no Facebook que um simples ctrl+c e ctrl+v permite ler os nomes sob as tarjas. Documento da Lava Jato esconde ainda o nome do governador Fernando Pimentel (PT-MG), mas expõe o de outros políticos. PF diz que não vai comentar o caso.

publicado

A Polícia Federal elaborou um relatório com o conteúdo dos celulares do presidente de uma das maiores construtoras do país, Marcelo Odebrecht, preso na 14ª fase da operação Lava Jato, que investiga corrupção na Petrobras.

Twitter: @blogdopim

Marcelo Bahia Odebrecht foi indiciado por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, fraude em licitações e crime contra a ordem econômica. O documento conta com 31 páginas e foi disponibilizado na íntegra pelo Estadão. Como apontou o jornal, o maior empreiteiro do país usava siglas em mensagens de texto para referir-se a políticos, como GA (Geraldo Alckmin) e MT (Michel Temer).

Alguns trechos do documento estão cobertos por uma tarja preta, como na página 12. A Polícia dá correspondentes para todas as siglas citadas neste parágrafo, menos para a sigla "JS".

Algumas pessoas começaram a postar no Facebook que era possível ler o conteúdo escondido. Rodrigo Vinholo ensinou como fazer. "Se você selecionar, copiar esse texto e colar em qualquer editor de texto, o conteúdo se torna legível".

Facebook: rodrigo.vinholo
Publicidade

Usando a tática dá para ler que é o nome de José Serra que está escondido.

Reprodução

José Serra é senador de São Paulo pelo PSDB.

O nome de José Serra aparece mais vezes no relatório, como esta menção na página 13.

politica.estadao.com.br

É só copiar e colar o conteúdo para revelar o que está escrito. Tente você mesmo no documento.

O trecho dá um telefone e um endereço de José Serra. "Identificação de Jose Serra (JS) o telefone da secretária (11) 3087.XXXX está registrado em nome de Jose Serra, o endereço da Joaquim Xxxxxx, possui telefone (11) 2157.XXXX registrado em nome de Jose Serra."

Outros trechos censurados escondem o nome de Fernando Pimentel, governador de Minas Gerais pelo PT.

politica.estadao.com.br

Copiando e colando o trecho, lemos: "Adiante Marcelo utiliza a sigla FP – verificando as demais anotações constantes do aparelho em análise, verifica-se que tais letras são as iniciais de Fernando Pimentel (atual governador de Minas Gerais) – para escrever a enigmática frase “ela cai eu caio”. Inclusive o endereço supracitado é o mesmo encontrado no cadastro de pessoa física (CPF) de Fernando Damata Pimentel."

Na página 2 há uma explicação para a censura: "em alguns pontos deste relatório foram colocadas tarjas a fim de preservar informações sobre possíveis agentes cujos cargos detém prerrogativa de foro".

politica.estadao.com.br

O que não explica, porém, por qual motivo os nomes de Geraldo Alckmin, governador de SP, e Michel Temer, vice-presidente da República, estão expostos, enquanto os de José Serra, senador de SP, e Fernando Pimentel, governador de MG, estão escondidos.

Além destes, estão ocultos também os nomes de Carlos Zaratini (PT-SP), José Eduardo Cardozo (PT) Luís Inácio Lucena Adams (AGU), Fernando Haddad (PT-SP), e Blairo Maggi (PR-PR).

O BuzzFeed Brasil entrou em contato com a assessoria da Polícia Federal para tentar entender por que alguns nomes estão com tarja e outros não. Por telefone, a assessoria de imprensa afirmou que a PF não dará explicações sobre o caso.

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss