back to top

O que acontece agora que Cunha foi afastado do mandato de deputado?

A decisão ainda é temporária (mas ele não deve voltar).

publicado

Você deve ter visto que Eduardo Cunha foi afastado do seu mandato de deputado federal nesta quinta-feira. A decisão é de Teori Zavaski, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e relator da operação Lava Jato.

Teori aceitou um pedido do procurador-geral da República Rodrigo Janot, feito em dezembro do ano passado.

Quem assume imediatamente é o 1º vice, Waldir Maranhão (PP-MA), que também é investigado pela Lava Jato. Nesta quarta-feira, ele já ocupou a cadeira de Cunha no início dos trabalhos na Casa.

plus.google.com

Ele também é alvo de outros dois inquéritos que correm no STF por lavagem de dinheiro e ocultação de bens.

A justificativa para o afastamento é que Cunha tem agido para atrapalhar as investigações contra ele na Lava Jato. Entre outros motivos citados, há relatos de que ele ameaçou funcionários e que recebeu de vantagens indevidas.

Andressa Anholete / AFP / Getty Images

O Ministério Público Federal listou diversas razões para que Eduardo Cunha seja afastado do cargo, como convocação da advogada Beatriz Catta Preta à CPI da Petrobras para "intimidar quem ousou contrariar seus interesses" e "manobras espúrias" feitas pelo deputado para evitar investigação no Conselho de Ética Câmara, "com obstrução da pauta com intuito de se beneficiar".

Publicidade

A decisão é liminar, ou seja, temporária. Mas Teori vai levar o afastamento para votação na tarde desta quinta no STF, para que os outros ministros tornem o parecer definitivo.

A mesma votação também discutirá outra ação sobre Cunha, apresentada pela Rede de Marina Silva, que pede que Cunha seja afastado da presidência da Câmara.

Ueslei Marcelino / Reuters

Cunha é réu em um processo que o acusa de ter recebido propina de US$ 5 milhões em contratos da Petrobras. Segundo a Rede, o fato de Cunha estar respondendo por um crime deveria ser o suficiente para removê-lo da presidência da Câmara, principalmente porque, caso Dilma venha a sofrer impeachment e Temer assuma, o deputado seria primeiro na linha sucessória presidencial (o que pode acontecer já na próxima semana).

O resultado da votação será importante também para o presidente do Senado, Renan Calheiros. Em caso de ausência de Temer e do presidente da Câmara, Renan assumiria interinamente a presidência da República. O alagoano ainda não é réu, mas está sendo investigado em 12 inquéritos.

Caso as duas ações sejam aprovadas no STF, Cunha fica impedido de ocupar a presidência da Câmara e é afastado de vez do mandato de deputado. O vice, Waldir Maranhão, fica então com a missão de convocar novas eleições para a presidência da Câmara em até cinco sessões.

Cunha está, neste momento, reunido com seus advogados para tentar encontrar um recurso à decisão.

Every. Tasty. Video. EVER. The new Tasty app is here!

Dismiss