7 vezes em que Alckmin mentiu publicamente sobre a crise da água em SP

Segundo o governador, São Paulo não sofreria com desabastecimento ou racionamento e a água do volume morto “é perfeita”.

Milton Michida/Governo do Estado

1. “Não haverá racionamento em São Paulo.” (04/02/2014)

Geraldo Alckmin disse mais de uma vez, em fevereiro do ano passado, que o estado de São Paulo não passaria por racionamento. Em janeiro de 2015 o governador disse que “na prática, o racionamento já existe desde o ano passado”.

2. “Nós estamos preparados para a seca.” (04/08/2014)

Milton Michida/Governo do Estado

“Temos um cronograma todo delineado para assegurar [a oferta de] água”, disse o governador em agosto do ano passado, mesmo sabendo que o Ministério Público Federal havia acabado de recomendar a adoção de racionamento pelo Estado.

3. “Não falta água em São Paulo, não vai faltar água em São Paulo.” (30/09/2014)

Reprodução / UOL

A frase foi dita por Alckmin durante debate eleitoral em setembro, quando o governador era candidato à reeleição. No mesmo mês, o jornal El País já apontava que a falta d’água afetava mais de 15 milhões de pessoas no Estado.

4. “A água do volume morto é perfeita.” (13/05/2014)

Reprodução / G1

A frase foi dita em maio. Alckmin preferiu chamar o volume morto de “reserva técnica” e disse que “é água igual às outras”. Mas a água do volume morto é de qualidade inferior e promotores do Ministério Público, professores universitários e especialistas alertam que a água pode estar contaminada por metais pesados e causar doenças.

5. “Não planejamos usar a 2ª cota do volume morto.” (13/07/2014)

Governo do Estado de São Paulo

 

Durante as eleições, Alckmin disse que não havia intenção de usar a segunda cota do volume morto do sistema Cantareira, mas a Sabesp já estava planejando retirar 100 bilhões de litros desta reserva. Três meses depois, a segunda cota já está no fim e o governo já fala em utilização de uma terceira e última cota.

6. “Não há risco de racionamento de água em 2015.” (30/09/2014)

Governo do Estado de São Paulo

Em setembro de 2014 Alckmin voltou a negar a possibilidade de racionamento em São Paulo e disse que o Estado não precisaria nem ter “chuva abundante”. “Pode até chover menos do que a média que ultrapassaremos o novo período seco”, disse o governador, em entrevista à Folha de S.Paulo.

7. “Não há risco de racionamento. Nós já temos repetido isso desde o início do ano.” (11/11/2014)

Governo do Estado de São Paulo

Alckmin repetiu mesmo que não havia risco de racionamento várias vezes ao longo de 2014. A frase acima foi dita em novembro, quando, segundo o que disse próprio governador recentemente, o racionamento já existia “na prática”.

Check out more articles on BuzzFeed.com!

Alexandre Orrico é redator do BuzzFeed, em São Paulo.
 
  Sua reação
 

Reações

Buzzing agora