back to top

14 dados que mostram a persistência da violência contra a mulher no Brasil

Caso você ainda esteja duvidando da importância do tema de redação do Enem 2015.

publicado

1. Cinco mulheres são espancadas a cada 2 minutos no Brasil.

Os dados são da Pesquisa Mulheres Brasileiras nos Espaços Público e Privado (Fundação Perseu Abramo/SESC, 2010).

2. O parceiro (marido ou namorado) é o responsável por mais 80% dos casos de violência reportados pelas mulheres.

Da pesquisa Mulheres Brasileiras nos Espaços Público e Privado (Fundação Perseu Abramo/SESC, 2010).
Carolina Teixeira/Úterourbe

Da pesquisa Mulheres Brasileiras nos Espaços Público e Privado (Fundação Perseu Abramo/SESC, 2010).

3. O Brasil ocupa a 7ª posição no ranking de países onde acontecem mais assassinatos de mulheres.

Hoje contabilizamos 4,4 assassinatos a cada 100 mil mulheres, segundo a Pesquisa Tolerância social à violência contra as mulheres (Ipea, março-abril/2014). Segundo a ONU, no mundo, 5% dos homens assassinados são mortos por companheiras ou ex-parceiras. E 35% das mulheres assassinadas são mortas por companheiros ou ex-companheiros.
Twitter: @Fourestgremio

Hoje contabilizamos 4,4 assassinatos a cada 100 mil mulheres, segundo a Pesquisa Tolerância social à violência contra as mulheres (Ipea, março-abril/2014). Segundo a ONU, no mundo, 5% dos homens assassinados são mortos por companheiras ou ex-parceiras. E 35% das mulheres assassinadas são mortas por companheiros ou ex-companheiros.

4. 54% dos brasileiros conhecem uma mulher que já foi agredida por um parceiro.

Do estudo Percepção da sociedade sobre violência e assassinatos de mulheres (Data Popular/Instituto Patrícia Galvão, 2013).

5. E 56% conhecem um homem que já agrediu uma parceira.

Também do estudo Percepção da sociedade sobre violência e assassinatos de mulheres (Data Popular/Instituto Patrícia Galvão, 2013).
diariodepernambuco.com.br

Também do estudo Percepção da sociedade sobre violência e assassinatos de mulheres (Data Popular/Instituto Patrícia Galvão, 2013).

6. Uma em cada cinco mulheres já foi espancada pelo marido, companheiro, namorado ou ex.

Da pesquisa DataSenado sobre violência doméstica e familiar (2015).

7. Tanto as mulheres agredidas (46%) como os homens agressores confessos (50%) apontam como principal razão para a violência o "controle da fidelidade/ciúmes".

Da pesquisa Percepções sobre a Violência Doméstica contra a Mulher no Brasil (Instituto Avon/Ipsos, 2011).

8. Sete em cada 10 mulheres do mundo já foram ou serão violentadas em algum momento da vida.

Os dados são da ONU.

9. Seis em cada 10 brasileiros conhecem alguma mulher que foi vítima de violência doméstica.

10. De 2.300 mulheres entrevistadas em uma pesquisa dos Institutos Vladimir Herzog e Patrícia Galvão, 90% dizem que já deixaram de fazer alguma coisa por medo da violência.

Como usar determinadas roupas ou frequentar certos espaços públicos, por exemplo.

11. 50.320 estupros foram registrados no país em 2013.

A informação é do 8º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), de 2014.
Reprodução/ESTV

A informação é do 8º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), de 2014.

12. O Ipea estima o número real de estupros que acontecem no país seja pelo menos 10 vezes maior: cerca de 530 mil.

Ipea levou a campo um questionário sobre vitimização e a partir das respostas, estimou-se que apenas cerca de 10% dos casos são denunciados e registrados pela polícia.
imirante.com

Ipea levou a campo um questionário sobre vitimização e a partir das respostas, estimou-se que apenas cerca de 10% dos casos são denunciados e registrados pela polícia.

13. 26% dos homens entrevistados em uma pesquisa do Ipea concordam que mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas.

É a culpabilização da vítima. Os dados estão na pesquisa Tolerância social à violência contra as mulheres (Ipea, março-abril/2014).

14. 43% das mulheres em situação de violência sofrem agressões todos os dias.

Balanço dos atendimentos realizados em 2014 pela Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR).
escrevalolaescreva.blogspot.com.br

Balanço dos atendimentos realizados em 2014 pela Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR).

Veja também: