Empresa que administra presídio culpa governo do Amazonas por massacre

A Umanizzare, responsável pelo complexo penitenciário em que 56 presos foram assassinados, publicou texto nos principais jornais do país no qual diz que "comando direção e disciplina" dos presídios é função "indelegável" do Estado.

publicado

A empresa Umanizzare, que administra a penitenciária Anísio Jobim, em Manaus, publicou nesta quarta (11) um anúncio nos principais jornais do país em que atribui a responsabilidade pela execução de 56 presos ao governo do Amazonas.

"Ao poder público são atribuídas as funções indelegáveis de comando, direção e disciplina dos presídios", diz o texto.

Na peça publicitária, a Umanizzare diz lamentar a "tragédia ocorrida no complexo penitenciário Anísio Jobim".

Em seguida, afirma que funcionários da empresa "também foram vítimas da brutal violência praticada por facções criminosas que atuam no sistema prisional brasileiro".

No domingo (8), o jornal O Globo revelou que a família que controla a Umanizzare doou R$ 1,2 milhão à campanha do governador do Amazonas, José Melo (Pros).

Na semana passada, ao comentar o massacre, o governador afirmou que "não tinha nenhum santo" entre os mortos.

Melo disse ainda que "os recursos para a construção de novas prisões não foram na mesma velocidade que as secretarias de segurança agiram prendendo as pessoas", o que teria contribuído para a superlotação.

Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email alexandre.aragao@buzzfeed.com

Contact Alexandre Aragão at alexandre.aragao@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.