back to top

PSDB lidera ranking de prefeituras sob suspeita na Máfia da Merenda

Dominada por tucanos, CPI da Merenda busca colocar foco das investigações no PT, que administra 17 prefeituras sob suspeita; PSDB tem 42 municípios sob suspeita e PMDB, 21.

publicado

Levantamento feito pelo BuzzFeed Brasil, com base em documentos apreendidos pela polícia, revela o ranking das prefeituras de São Paulo cujos contratos estão sob suspeita de envolvimento com a Máfia da Merenda.

Tucanos, peemedebistas e petistas lideram:


Na terça (28), a CPI da Merenda realiza sua segunda reunião para escolher o relator do caso. Oito dos nove integrantes fazem parte da base do governo Geraldo Alckmin (PSDB).

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, eles manobram para centrar as investigações em prefeituras administradas pelo PT — a "medalha de bronze" do ranking. PSDB e PMDB ocupam, respectivamente, os dois lugares mais altos do pódio da suspeição.

O principal investigado pela Operação Alba Branca, até agora, é o presidente da Assembleia, Fernando Capez (PSDB), aliado próximo de Alckmin. O tucano nega envolvimento com o esquema e diz que seu nome foi envolvido na investigação com interesses políticos.

Uma planilha apreendida na Coaf (Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar), organização que deu origem à investigação, mostra que ao menos 152 prefeituras paulistas tinham contratos com cooperativas que participavam do esquema.

Ao lado de outras duas cooperativas, a Coaf loteava contratos de merenda escolar. As organizações combinavam preços e pagavam propinas a agentes públicos, de acordo com o depoimento do ex-presidente da Coaf, Cássio Izique Chebabi.

Com base no documento, o BuzzFeed Brasil montou um ranking das prefeituras sob suspeita por partido político do prefeito.

Em 2013 — ano em que as cooperativas fizeram o loteamento —, o orçamento potencialmente comprometido nessas 152 prefeituras somava R$ 62 milhões.

Veja mais:

A CPI da Merenda começou e este foi o nível da discussão

Mansão de operador da Máfia da Merenda tem dívida de R$ 500 mil em IPTU

Máfia da merenda também atuava na Secretaria de Agricultura do governo de São Paulo, apontam gravações

Em parceria com