back to top

Site publica ataque a procurador e cobra R$ 10 mil por direito de resposta

O Conjur publicou um texto com críticas ao procurador Alexandre Aboud, que representa o Estado contra a refinaria de Manguinhos — cliente da assessoria Original123, que pertence ao mesmo dono do Conjur. Ele se recusou a pagar.

publicado

Após ser alvo de críticas em um texto no Conjur, o procurador do Estado de São Paulo Alexandre Aboud entrou em contato para pedir um direito de resposta. Foi informado que, para responder às acusações, deveria pagar R$ 10 mil.

O argumento do Conjur era que a crítica foi publicada como "conteúdo patrocinado", não como reportagem — e, portanto, não estaria sujeita à Lei de Direito de Resposta.

A empresa que pagou o "conteúdo patrocinado" foi, em tese, a refinaria de Manguinhos. Aboud representa São Paulo em uma ação contra a empresa, em que o Estado cobra o pagamento de R$ 1,9 bilhão em ICMS que a refinaria deixou de pagar, segundo a PGE.

Acontece que a assessoria de imprensa que representa Manguinhos é a Original123, cujo dono é Márcio Chaer, que também é dono do Conjur.

No fim, Aboud enviou uma notificação extrajudicial ao Conjur, que cedeu e publicou o direito de resposta dele, somente um mês e cinco dias depois.

"Eles tentaram me associar ao sindicato", diz o procurador ao BuzzFeed News.

"Eu estou cumprindo dever de ofício. Agora, se eles querem me associar a sindicato, não vai colar, porque a procuradoria move ações contra várias empresas do sindicato", disse Aboud.

O procurador diz que o texto em que é criticado usou declarações suas fora de contexto. "Eu fui convidado para um evento fechado, só para jornalistas, e em alguns momentos falei em tese, sem usar exemplos", ele afirma.

"Eles têm o propósito de intimidar, mas não vai adiantar. Eu vou continuar defendendo o Estado de São Paulo."

O procurador trabalha pro sindicato, diz dono de site

Questionado pelo BuzzFeed News sobre o pedido de cobrança a Aboud, Chaer mudou de assunto voltou a criticar o procurador: "O Alexandre Aboud que eu conheço trabalha para o Sindicom", afirmou, referindo-se ao Sindicato Nacional das Distribuidoras de Combustíveis.

O dono do Conjur e da Original123 não quis responder à alegação de achaque feita pelo procurador.

Em seguida, passou a questionar as intenções da reportagem.

"Esse BuzzFeed tem patrocínio? Quem são os patrocinadores?", perguntou Chaer.

"Eu vou olhar antes para saber quem mandou você me ligar."

Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email alexandre.aragao@buzzfeed.com

Contact Alexandre Aragão at alexandre.aragao@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.