go to content

Caixa continuará sendo maior patrocinadora de times em 2017, apesar de cortes

Plano de restruturação, que projeta corte de até 10 mil pessoas em plano de demissão voluntária, não afeta futebol e Caixa estampa sua marca nas camisas de 13 dos 20 clubes da Série A. Banco público do RS, estado mergulhado em crise profunda, continuará aporte milionário em Inter e Grêmio.

publicado

A Caixa continuará sendo a maior patrocinadora de times da Série A do Campeonato Brasileiro, apesar de passar por uma reestruturação que inclui um plano de demissões com a ambição de cortar 10 mil dos 97 mil servidores do banco.

Buda Mendes / Getty Images

Lucas Lima (Santos) e Diego (Flamengo) disputam a bola durante a última rodada do Brasileirão de 2016. Os dois times continuarão com patrocínio da Caixa.

O banco gastará neste ano a mesma quantia que desembolsou em 2016, R$ 132,5 milhões, conforme informou o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, ao site Poder360.

O Corinthians continuará sendo o time que mais recebe dinheiro do banco, R$ 30 milhões. Veja a lista abaixo.

Além dos times da Série A, a Caixa também patrocina equipes da Série B. Ao todo, o banco mantém investimentos em 20 clubes.

Segundo Occhi, a estratégia do banco em 2017 ao patrocinar times não é apenas divulgar a marca da Caixa, mas também fechar parcerias financeiras com os clubes.

"Nosso objetivo é ser a única instituição financeira parceira do clube que fizer negócio conosco", afirmou Occhi, em novembro.

Outra instituição financeira — a Crefisa, que patrocinou a campanha campeã do Palmeiras em 2016 — deve continuar sendo a segunda colocada em valor de patrocínio.

Em 2016, a empresa pagou R$ 62 milhões ao clube. Segundo o UOL, o valor será maior neste ano, R$ 85 milhões, mas Crefisa e Palmeiras ainda não confirmaram a informação.

Outro banco estatal, o Banrisul, é o terceiro maior patrocinador da Série A. Com investimentos no Grêmio e no Internacional, a instituição gaúcha gasta R$ 12,9 milhões com cada por ano.

O patrocínio à dupla Gre-Nal pelo banco controlado pelo governo do Rio Grande do Sul vem desde a década passada.

Em novembro, o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB), decretou calamidade financeira no Estado. Sob grave crise fiscal, o Estado parcelou os salários do funcionalismo e reduziu a prestação de serviços públicos. Depois, aprovou um polêmico pacote de ajuste, que extinguiu órgãos e fundações.

O Banrisul também patrocina outros times gaúchos, como o Juventude e o Caxias, que não estão na Série A do Brasileirão.

Veja também:

Flamengo tem a melhor gestão do futebol brasileiro, diz banco

Inter vê receitas crescerem e, fora de campo, vai melhor que o Grêmio

Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email alexandre.aragao@buzzfeed.com

Contact Alexandre Aragão at alexandre.aragao@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.