back to top

Alckmin entrega estação de Metrô com 4 anos de atraso e culpa iniciativa privada

"Fala-se muito de que a iniciativa privada é uma maravilha. Não é verdade, ela também tem problemas. Tem muita empresa que não cumpre contrato, que quebra no meio da obra, que não cumpre prazo", afirmou o governador.

publicado

O governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência, Geraldo Alckmin (PSDB), inaugurou nesta terça (23) a estação Higienópolis-Mackenzie, da Linha 4-Amarela do Metrô.

A obra gerou protestos e havia sido prometida para 2014, mas só ficou pronta agora. Até o dia 3 de fevereiro, a estação funcionará em horário reduzido, das 10h às 15h.

"Ninguém colhe em 24 horas", disse Alckmin em seu discurso.

Alexandre Aragão / BuzzFeed

Na entrada da estação, manifestantes estenderam uma faixa contra o aumento da tarifa de Metrô e de ônibus para R$ 4 — desde o início do mês, o Movimento Passe Livre (MPL) promove protestos.

Após o evento de inauguração, que reuniu centenas de pessoas entre funcionários da concessionária, políticos e assessores do governo, Alckmin disse que a obra atrasou por culpa do consórcio Isolux Corsán-Corviam.

"Nós tivemos que rescindir o contrato, multar a empresa, o consórcio — um grande consórcio espanhol —, torná-la inabilitada para participar de licitação em São Paulo, abrir uma nova licitação, contratamos e estamos entregando as obras", disse.

A construção foi iniciada em 2012 e, no ano seguinte, o governo do Estado rescindiu o contrato em decorrência de atrasos nas obras. O projeto foi retomado em 2016, após uma nova licitação.

"Fala-se muito de que a iniciativa privada é uma maravilha. Não é verdade, ela também tem problemas. Tem muita empresa que não cumpre contrato, que quebra no meio da obra, que não cumpre prazo. Nós enfrentamos isso todo dia", afirmou Alckmin.

"E com a crise que as empresas passaram, nos últimos três anos, isso se acentuou ainda mais", completou o governador. A próxima estação prometida é a Oscar Freire, que tem inauguração prevista para março.

Veja também:

Esta obra do governo Alckmin dobrou de preço antes de sair do papel — e o prejuízo pode ser de R$ 4,9 milhões

Alckmin vai a evento bancado por empresa que deve R$ 1,9 bilhão ao Estado de São Paulo

Alexandre Aragão é Repórter do BuzzFeed e trabalha em São Paulo. Entre em contato com ele pelo email alexandre.aragao@buzzfeed.com

Contact Alexandre Aragão at alexandre.aragao@buzzfeed.com.

Got a confidential tip? Submit it here.

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil?

Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.